Ancoradouro

Presidente Quer um País sem Manifestação Religiosa

O Plano Nacional dos Direitos Humanos ou PNDH – 3 aprovado com unânimidade pelos ministros e apresentado pelo presidente Lula tem em seus objetivos estratégicos a retirada de símbolos religiosos dos locais públicos. O documento justifica o ato alegando respeito á laicidade do estado.

Com a medida, as imagens religiosas que fazem parte de nossa herança cultura seriam banidas dos espaços públicos. Do crucifixo na repartição pública à imagem erigida na praça não restaria nada. E como implementar as metas do PNDH-3 nas cidades históricas como Ouro Preto? Muito simples,deve prevalecer o respeito à laicidade do estado. Então tudo que for símbolo religioso estaria com os dias contados.

Presume-se que com tal medida o próximo passo seria proibir manifestações públicas religiosas, pois o estado laico não poderia permitir tais atos. Em exemplos claros teríamos vetada a procissão do Círio de Nazaré, em Belém-PA, uma  procissão que reúne mais de 2 milhões de pessoas. Mas isso não importa para o implacável estado laico. A virgem de Nazaré poderia no máximo circular nos átrios sagrados.

Ainda seguindo esse raciocínio, cidades como Juazeiro do Norte e Canindé estariam obrigadas a desconfigurar sua identidade. Já imaginaram? Caso se proibam manifestações públicas de fé , por que não retirar  os feriados religiosos? Sexta-feira santa, A festa do corpo de Cristo, de nossa senhora Aparecida…tudo grafado de preto, não mais de vermelho. Aliás, a secretaria especial dos direitos humanos (?), responsável pela retirada dos símbolos religiosos teria seu primeiro problema  com o calendário em si. Afinal, o calendas é cristão.

Então, vamos lá, recapitulando. Proibir símbolos religiosos em locais públicos, bem como manifestações religiosas, cancelar os feriados dedicados ao sagrado. Faltaria mais alguma coisa? Sim, falataria. O senhor estado laico teria que mudar o nome de estados, capitais, municípios, bairros e ruas que trouxessem uma alcunha religiosa, pois isso é de um desrespeito sem par. Troquemos os nomes por capitalismo, socialismo, realtivismo, hedonismo, vazio, morte, angústia, aborto, liberalismo, isso sim, são termos afeitos ao laicismo e não estas pieguices de uma população de pouco mais de 170 milhões de habitantes.

Por fim, apagar que tivemos uma origem religiosa. Chamem os intelectuais, reescrevam a história da terra de santa cruz…Quando isso acontecer, o ANCORADOURO já teria sido desativado, ao menos judicialmente, mas enquanto não acontece eu lhe conclamo: Faça alguma coisa e não deixemos que isso aconteça. O Brasil pertence a Deus, Ele é o único Senhor.

Recomendado para você

Nenhum comentário

  • joão medeiros disse:

    Artigo com informações inverídicas sobre o programa de direitos humanos. O que se recomenda é tão somente a retirada de simbolos religiosos nos ÓRGÃOS e repartiçòes públicas. Jamais a liberdade religiosa ou a manifestação em espaços públicos esteve em discussão. Uma grande parte do programa trata justamente de defender a livre manifestação de crenças, em locais públicos. JORNALISMO ESTRANHISSIMO

  • whermeson bezerra disse:

    É Vanderlúcio, temos que fazer algo. Primeiro, dando o exemplo do verdadeiro cristianismo com argumentos inteligentes e voltados para Deus. São Paulo é um exemplo, criticou a sociedade demonstrando sabedoria e virtudes.

  • Roberto disse:

    Não sei pq se perde tto tempo com religião, futebol ou orientação sexual, q acho coisas tão pessoais e sem relevância para terceiros. Acho q só deve ser combatido os excessos, o fanatismo. No assunto em questão, sou contra evangélicos q nos agridem com suas pregações aos berros ou islâmicos com seu fundamentalismo.
    O catolicismo já teve seus dias de intolerância, mas hj segue quem quer. Não acho q constranja ou se imponha a ninguém.

  • joao lellis disse:

    paz e bem,

    Devemos nos manifestar com cautela e nos ater ao que está escrito e não ceder a divagações que muito pouco tem a construir, veja nosso estado sempre foi laico, e isso via de regra nunca foi cumprido, nem respeitado, no que tange a pessoas de manifestações religiosas não cristãs, ainda assim via de regra se fala ou melhor se escreve, sobre a não obrigatoriedade da manutenção em repartição pública de símbolos cristãos católicos, que não deixam a vontade evangélicos, judeus, muçulmanos e pessoas de outros credos não cristãos, lembre que defender a manutenção dos símbolos perpassa e impinge a indivíduos de todos os credos a exposição de situação vexatória constante, no mais as outras referências não se pode nem dar credito pois são protegidas por lei da liberdade religiosa, uma cidade pode e deve ter sua identidade seja ela qual for, agora se no seu local de trabalho houvesse um quadro com dizerem árabes, com passagens do Corão, ou da Torá, ou mesmo uma imagem de algum Exú como você se sentiria? Existe a possibilidade de ficar ofendido diante de tal manifestação? se sim, por que impor um crucifixo na parede? Por último costumo não usar crucifixo e sou católico, por que Cristo ressuscitou e não esta mais lá e por que a Cruz me envergonha pois foi por causa de meus pecados e minhas transgressões que Ele foi posto lá. Na dúvida pensem como Francisco de Assis reagiu sobre a Religião de Saladino e seus súditos.Não começou com a condenação deles não é!

    abraços fraternos,

  • Paulo César disse:

    João Lellis, cara, você disse tudo!!! “…por que Cristo ressuscitou e não esta mais lá e por que a Cruz me envergonha pois foi por causa de meus pecados e minhas transgressões que Ele foi posto lá.”. Essas suas palavras foram inspiradas pelo Espírito Santo!! Sou evangélico e concordo com você no tocante ao respeito a outras religiões nos prédios públicos. A laicidade do Estado brasileiro deve ser praticada e vista em suas repartições, mas o direito de exercer a fé de cada cidadão deve ser garantida constitucionalmente.

  • Fernando Antonio disse:

    Quanta bobagem junta em um só lugar.
    O PNDH – como disse o João – quer retirar as imagens religiosas de PRÉDIOS publicos. E não de praças, ruas e avenidas publicas.

    Sou Católico e totalmente favoravel ao programa.

  • Norma Muniz disse:

    Sou católica, e gosto muito da cruz, carrego no pescoço um crucufixo e uma medalha de Nossa Senhora das Graças e um terciinho na cintura, essa foi uma das maneiras mais simples de evangelizar, sempre alguma pessoa me pede um terço ou um crucifixo, então eu tiro e entrego a ele ou ela. Não me preoculpo se será proibido ou não a presença do crucifixo nas repartções públicas. É melhor aceitar essas coisas com serenidade e só esperar em Deus. Minha visão de futuro me revela que coisas piores virão. Acompanhe a leitura do livro mais lido do mundo, a Bíblia Sagrada, nela você encontra toda explicação para tudo que está acontecendo e .ainda o que está por chegar. Leio diariamente o livro Eclsiástico, Eclesiastes, Provérbios, Salmos e os Evangelhos, para não me surpreender com nada. Paz e bem.

  • Arcanjo disse:

    Realmente não consigo entender tanta polemica quanto a simbolos religiosos numa nação cristã e de imensa maioria catolica? Dizem que se pretende retirar somente os simbolos catolicos dos predios publicos,entretanto, as ruas, escolas,praças não são bens publicos e de acesso diarios e livres?Vivermos momentos em que o publico se cnfudem com o particular e usar as vias publicas com respeito,moderação e limites é coisa de elites opressoras!Em que sociedade do mundo se busca a harmonia social afrontando a imensa maioria?Sociedades são condicionais e conforme Rosseau deve ser regida pelos principios e anseios da maioria, do contrario esta deve depor o governante.Querer agradar gregos e troianos; Deus e o diabo,bem como interesses antagonicos levou aos genocidios das duas grandes guerras mundiais, fora os conflitos causados por minorias que buscam oprimir e poder pelo mundo, até a presente data!

  • W. Abreu disse:

    A MM.Juiza de Direito Maria Lúcia Lencastre Ursala, da 3ª Vara Cível Federal de São Paulo, indeferiu pedido do Ministério Público Federal, que queria a retirada de símbolos religiosos dos prédios públicos-crucifixos e Bíblias.Afirmou ser natural a presença de símbolos religiosos cristãos num país de formação cristã, pois pertence à nossa história.Não há ofensas à liberdade de crença, garantia constitucional, eis que, para os agnósticos, ou que professam crença diferenciada, aquele símbolo nada representa, assemelhando-se a um quadro ou escultura, adereços decorativos”.Estado Laico não quer dizer estado anti-religioso.O Estado laico foi a primeira organização política que garantiu a liberdade religiosa. A liberdade de crença, de culto, e a tolerância religiosa foram aceitas graças ao Estado laico, e não como oposição a ele.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =