Ancoradouro

Uma reflexão sobre a essencialidade da Igreja em tempos de calamidade

Artigo de Narcélio Lima. Filósofo, teólogo e mestrando em Ciências da Religião.

Narcélio Lima.

A pandemia não adoece apenas o corpo, mas atinge diretamente a alma das pessoas. A Igreja Católica tem sido rigorosa e exemplar na condução de todas as medidas restritivas de combate ao Coronavírus, porque o povo tem sede de Deus, procura, sobretudo agora, darem sentido às suas vidas e animarem sua fé.

Isso também é caso de saúde pública, pois inúmeras pessoas nem sequer já foram a um psicólogo. O acesso aos sacramentos sempre teve sua função terapêutica na vida de quem devotamente os recebem.

Todos sabem que a Igreja sempre foi parceira da saúde, especialmente em épocas e lugares em que esta nunca foi prioridade do poder público. Lembremos da criação das Santas Casas de Misericórdia e de tantas outras atividades afins. A Igreja também entrou na linha de frente, vai e faz o que muitos políticos não tem coragem de fazer, ela sempre foi e sempre será parceira da saúde pública e ação social, porque entende tal atividade como “venha a nós o vosso Reino”.

Esperamos que o diálogo e o bom senso sejam sempre a melhor saída para esse momento tenso e global, sem fanatismos exagerados, sempre ouvindo a ciência como a sabedoria milenar da Igreja.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *