Ancoradouro

Blog fotografa vestes de João Paulo II

As vestes que foram utilizadas pelo papa João Paulo II em 1980, na celebração de abertura do X Congresso Eucarístico, em Fortaleza,  no estádio Plácido Castelo serão expostas ao público na V Festa da Misericórdia, no próximo domino, 1º de maio, no CEU- Condomínio Espiritual Uirapuru, a partir das 14h.

Hoje o blog teve acesso às vestimentas sacras que se tornaram relíquias. Há 30 anos estavam guardadas na Catedral de Fortaleza e foram cedidas pelo pároco Clairton Alexandrino a Pe. Antonio Furtado especialmente para a Festa.

Confira as imagens:

Casula e estola

Frente da casula e da estola

Verso das vestes litúrgicas

Pe. Antonio Furtado com a estola que usou João Paulo II

Fiel se emociona ao rezar diante das relíquias

Padre reza em fiel com estola

Datalhe do brasão de João Paulo II bordado na casula.

Recomendado para você

Nenhum comentário

  • MARCOS BRUNO disse:

    Gostaria de parabenizar a iniciativa que desse irmão em publicar algo tão importante e Deixar aqui um Grande abraço para o Pe. Artônio Furtado que deu sim a DEUS e por isoo podemos estar mais perto dessa relíquia do Santo Padre!!! Santo que intercede por nós e nos deixa muitas daudades…

    Te amo Santo Padre e Padre Antônio!!!

  • Giovani Carvalho Mendes disse:

    Claro que somente Deus conhece cada coração humano e concederá a um e a outro a recompensa ou o castigo eternos que merecerem, no entanto, a Igreja tem na terra a autoridade de julgar casos de pessoas que se destacaram na santidade, como é o caso do saudoso Papa João Paulo II, de Santa Paulina, da beata Teresa de Calcutá, da irmã Dulce e muitos outros homens, mulheres, jovens, velhos e até mesmo crianças.
    Essas pessoas, como alguém possa pensar, não foram apenas “boazinhas” ou “humanitárias”, mas, viveram de forma heróica a Fé, a Esperança e a Caridade (virtudes teologais), bem como a Fortaleza, a Temperança, a Justiça e a Prudência (virtudes cardeais).
    Não pensem os senhores e senhoras que o processo de beatificação e canonização é coisa simples: é rigorosíssimo, muito meticuloso e detalhado. São ouvidas várias testemunhas de defesa e, se for o caso, também de “acusação”, para que a santidade do (a) candidato (a) seja realmente provada.
    Tais candidatos a serem um dia proclamados “beatos” ou “santos” – cada um com seu traço de personalidade e estado de vida (padres, freiras, bispos, monges, casados, solteiros, missionários, donas de casa, estudantes, etc.) – conseguiu ser um (a) imitador (a) de Jesus Cristo em sua pureza, paciência, humildade, desapego, abnegação, mansidão e espírito de serviço. São heróis e heroínas da cristandade e do cristianismo. Foram exemplos do seguimento a Jesus Cristo e de coragem no fazer a vontade e Deus em meio a um mundo marcado pelo egoísmo, materialismo, relativismo e secularismo.
    A Pátria tem seus heróis. A Igreja também os tem: os santos e santas!

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 7 =