Ancoradouro

Pároco da Catedral de Fortaleza promete processar Porta dos Fundos e Netflix

6948 13

Padre Clairton Alexandrino foi contundente quando falou aos fiéis que participaram das Missas neste domingo, dia 15, na Catedral Metropolitana de Fortaleza, sobre as ofensas contidas no filme do Grupo Porta dos Fundos, “A primeira tentação de Cristo”, escolhido pela Netflix como especial de Natal. O sacerdote que é pároco da Catedral dedicada a São José disse na celebração que processaria o grupo.

Petição contra o filme já obteve mais de 2 milhões de assinaturas.

O blog Ancoradouro  conversou com o padre que é também  Advogado e Doutor em Direito Canônico.  Padre Clairton confirmou que vai processar os responsáveis pelo filme e alertou, mais uma vez, os fiéis sobre o que significa atitudes como estas que espalham o desrespeito o sentimento religioso,  justamente no período do Natal.

Padre Calirton Alexandre é também formado em Direito e Doutor em Direito Canônico.

“Estamos muito indignados com esta situação porque é uma ofensa gravíssima à fé de milhões de cristãos”, disse o padre relembrando  o capítulo  V da Constituição Federal e o  artigo  208 do Código Penal, que  tipifica os atos de  vilipêndio à fé. “O filme fez um verdadeiro debote a Jesus, Nossa Senhora e ao esposo castíssimo de Maria, são José, a quem é dedicada esta Catedral”, diz o padre.

Padre Clairton explica que a liberdade de expressão não é um direito absoluto “Em nome desse direito  eu não posso vilipendiar a fé , debochar da fé, ou pisar por cima da dignidade das pessoas, como tem acontecido  ultimamente onde muitos destroem  a fama , a honra das pessoas como se direito fosse”. 

 

O sacerdote faz uma leitura mais aprofundada do que pode desencadear  ataques gratuitos à fé cristã. “Estes  ataque à  fé cristã abrem  caminho  para uma futura perseguição,  cujos vestígios já começamos  a vislumbrar”. “No mundo todo desponta uma certa hostilidade à fé cristã. Vemos igrejas incendiadas, sacerdotes sendo atacados, presos e assassinados. O terreno começa a se tornar um pouco propício para estas grande ofensa à fé cristã”, alerta o sacerdote.

É preciso ter em conta, segundo o pároco da Sé Catedral de Fortaleza, que o cristianismo será sempre marcado pela Cruz. “A Cruz está no centro da vida do cristão porque  esteve primeiro no centro da vida de Cristo”, mas explica: “no entanto, precisamos que olhemos de frente e não nos acovardemos”.

Jesus continua sendo flagelado e zombado pelos homens de duro coração.

“Precisamos  defender a fé cristã”, exorta Padre Clairton. Prossegue caracterizando tal defesa: “sem  ódio e armas de violência, mas com aquele espírito e vigor evangélico que demonstra o zelo , o zelo pela casa do Senhor, o mesmo zelo que moveu Jesus que não aceitou a profanação do tempo de Jerusalém e expulsou os  vendilhões com a vara de chicote”.

“Silenciar diante de ofensas como esta é o mesmo que se tornar cúmplice”, sentencia o padre. “Precisamos manifestar a nossa indignação ético cristã contra esse filme debochado, depravado e desrespeitoso que constitui uma verdadeira blasfêmia contra o cristianismo. Que Deus nos ajude nesta empreita”, conclui o sacerdote.

Ao final das Missas deste domingo na Catedral, o padre conduziu um momento de desagravo a Jesus e à Maria constituídos pela profissão do Credo, oração do Pai-Nosso e recitação de Ave-Maria. 

 

Acompanhe o ato de desagravo:

Confira o que o Blog já publicou sobre o assunto:

  1. Câmara de Fortaleza repudia filme do Porta dos Fundos; Requerimento será enviado ao MPF
  2. CNBB se manifesta sobre agressão à Fé em nome da arte
  3. Juristas Islâmicos repudiam Netflix e Porta dos Fundos por especial de Natal
  4. “Cancela Netflix” ganha reforço de Bispo

Recomendado para você

13 Comentários

  • Márcia Oliveira Fernandes Menescal de Lima disse:

    Rezemos pela conversão do mundo. Deus é misericórdia, mas é também justiça! Muitos são os que se esquecem disso.

  • Homero disse:

    Lembro também art 3, IV da CF (“promover o bem de todos, sem preconceitos…”). Há limites para liberdade de expressão na própria CF, sendo possível limitar o humor quando, por exemplo, ele incentivar preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação; for ofensivo a uma determinada religião ou crença; violar de forma injustificada e desproporcional a intimidade, a vida privada, a honra ou a imagem de uma pessoa. Com certeza se eu fizesse “humor” com a mãe ou o pai ou irmã do dito “comediante” eu levaria um belo do processo.

  • Raimundo Rodrigues disse:

    Mais padre o Senhor não ficou indignado quando os catolicos apoiaram um cara que apoia a tortura, o Sr não ficou indignado quando os catolicos faziam arminha dentro das igrejas tem ao fundo a imagem de Cristo. Será que sua indignação é seletiva. Um conselho Padre, vá cuidar das suas ovelhas que estão debandando para as igrejas neopentencostais.

  • Homero disse:

    Caro Raimundo, aqui não se trata de apoiar/condenar tortura ou arminha, trata-se de se indignar quanto ao abuso da liberdade de expressão, vilipendiando a fé alheia. O padre está exatamente cuidando de seu rebanho e da sua igreja. Mesmo os ateus deveriam assim apoiar a posição dos cristãos e mulçumanos, pois todos devemos conviver pacificamente e com respeito em sociedade. Um abraço fraterno.

  • Javier disse:

    Sou catolico e o programa da porta dos fundos me pareceu um programa de humor, acho que Deus tem sentido do humor. Os cristiaos temos que ter sentido do humor. Se os catolicos temos que processar alguem, tem que ser a este governo que com seu discurso està masacrando a nossos irmaos indios e esta vendendo Brasil aos americanos. A prioridade como cristiao tem que ser a luta a favor dos pobres, não lutar contra um programa de humor. Seria importante lee Mateo,25.

  • Homero disse:

    Caro Javier, honestamente você gostaria se tal “humor” fosse feito com sua mãe, seu pai, sua filha, seus irmãos? A luta a favor dos pobres não impede que se lute contra a ignomínia. Não somente os cristãos e mulçumanos devem se indignar, mas todos os que tem respeito e amor ao próximo. Amemos a Deus sobre todas as coisas.

  • Sérgio disse:

    Padre Clairton, meus parabéns pela sua iniciativa, atitude e postura de processar esta netflix e esta desgraça chamada “porta dos fundos”. Este filme é um verdadeiro ataque a Deus e à dignidade humana.
    Não podemos e nem devemos nos calar diante de uma situação tão íngreme e desrespeitosa como esta.

  • Marcelo Campos disse:

    Deveria era ser proibido a exibição dessa pornografia.
    A censura deveria existir para esses casos, pois como cristão, devemos combater esse tipo de grande falta de respeito para com nosso senhor Jesus Cristo.
    Que Deus tome conta dessa gente.

  • Antero Coelho de Araujo disse:

    Não sou religioso. Deísta na verdade.
    Mas acho ridículo o que o Grupo Porta dos Fundos fez. Não se pode confundir humor com deboche. O grupo tem inúmeros filmes em que falam de religião de forma inteligente e sem ofender.
    Alguns humoristas dizem que o humor não deve ter limite. TUDO DEVE TER LIMITE. E o limite é simples de achar, começa quando se ofende ao outro, quando se ofende uma coisa simples e verdadeira como a fé de uma pessoa.
    Essa ideia de que o Cristão deve “oferecer a outra face” é, no minimo, forma de tornar as pessoas “cordeiros”…e não falo “cordeiros” de Deus.
    Será que esse grupo teria coragem de no próximo dia 22 de Abril, aniversario de Maomé, fazer um filme, com mesmo naipe de deboche???

  • Stefano disse:

    O meu Deus me deu o Livre Arbítrio, ou seja eu decido o que eu faço e serei EU a ser julgado quando for o momento certo. Maria Madalena iria ser apedrejada e depois que Jesus questionou a multidão cada um jogou sua pedra no chão. Quem decide se deve assistir algo ou não sou eu, pois para isso tenho a liberdade concedida por Deus quando me deu a vida e é somente a Ele que devo explicar tudo que fiz no juízo final. Quando outra pessoa quer se meter naquilo que eu deva fazer, não necessariamente ela está certa. Eu vou assistir ou não o filme porque eu quero, essa questão de critica a filmes é tão interessante que já tivemos vários filmes/documentários que falavam bem ou mal da igreja e cada um usa o seu julgamento para criticar. Quando o filme fala bem eu dou apoio, mas quando fala mal eu critico. Isso não é a melhor forma de discutir algo, isso é um filme e tenho que tratar como diversão que posso ou não gostar e me dar o direito de assistir ou não.

  • AUGUSTO CESAR disse:

    Cancelar a sua assinatura do Netflix é a melhor forma de protestar.

  • Maria de Lourdes Domingues disse:

    É lamentável que existam pessoas depravadas que blasfemam contra a fé cristã. É a maior falta de respeito e devem ser responsabilizados.

  • Acho uma falta de respeito, com a imagem de Deus. Esse tipo de “humor” não é adequado…

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *