Ancoradouro

Senador reforça cobrança às autoridades sobre “Verdinha” de Ludmilla em programa de TV

“Demos uma prazo mais que suficiente quanto à denúncia que nós fizemos sobre aquela música que é uma verdadeira apologia às drogas,  em horário de TV aberta. Temos de cobrar às autoridades por um posicionamento”. A fala é exclusiva do Senador Eduardo Girão (Podemos) ao blog Ancoradouro. O parlamentar se refere à música “Verdinha”, da funkeira Ludmilla, que foi ao ar em horário matinal no programa Encontro com Fátima Bernardes (TV Globo), dia 23 de dezembro de 2019. No início desse ano, o senador protocolou um ofício ao Ministério da Justiça pedindo as medidas cabíveis.

Senador Eduardo Girão.

“Imagine que seus filhos, em período de férias, estão na segurança do seu lar, assistindo televisão pela manhã, em horário familiar, e, de repente, o programa que está passando começa a defender o uso e a produção de drogas. Pois foi isso o que aconteceu no dia 23 de dezembro de 2019, quando o programa de televisão ‘Encontro com Fátima Bernardes’, da Rede Globo, chocou as famílias brasileiras ao apresentar, ao vivo, performance artística que faz apologia clara às drogas”, escreveu o senador. 

“O Brasil tem leis e elas precisam de cumprimento”, advertiu Girão lembrando da importância da mobilização da sociedade. “Eu já falei com os vereadores de Fortaleza Sargento Reginauro (PR) e Jorge Pinheiro (PSDC) que vão articular uma moção de repúdio ao acontecido e pedir providências às autoridades”,adianta Girão. O senador conta que ainda conversou na Assembleia Legislativa do Ceará com o deputado Luiz Henrique (PP) que promete mobilização semelhante. 

Vereador Jorge Pinheiro.

Na Câmara Federal e no Senado também aconteceram manifestações contrárias à música da funkeira, acionando Ministério da Justiça, Polícia Federal e Procuradoria. “Esperamos uma providência quanto a isso porque os limites precisam ser respeitados para o bem da sociedade. Não vamos abrir mão deste preceito”, assevera o senador.

Em outra oportunidade, Girão apresentou sua indignação sobre a música “Verdinha”. “Esse acontecimento e a recepção dele na imprensa mostram como o lobby da maconha é poderoso, investe pesado, e não liga se você irá ver sofrer seus filhos, seus netos… Duas ou mais gerações de brasileiros perdidas por causa do vício. Nem mesmo o cigarro pode ter propaganda na TV, e os anúncios de bebidas alcoólicas só são permitidos tarde da noite, após as 21 horas – que são drogas lícitas”.

Ludmilla diz que mães têm lhe agradecido pelo clipe, pois os filhos passaram a consumir alface.

Para Girão, a música e o clipe da funkeira trata-se, sim, de apologia às drogas. ” A gente vê esse clipe falando sobre a maconha, glamorizando, fumando…Uma apologia clara às drogas e fere a nossa legislação”. Ludmilla negou diante da repercussão negativa que a música e o clipe incentivem o consumo de maconha. Conta que mães têm agradecido pelo clipe, pois a partir dele os filhos passaram a comer alface.

Embora se procure negar que a canção não  se trate sobre a maconha, colunas especializadas  em cultura como o Pop & Art do Portal G1 descreveu que o clipe faz uma alusão direta à erva. “Apesar da plantação ser de alface, a alusão à maconha é direta, inclusive a cantora e o elenco fumam. A referência é o clipe de ‘Pour It Up‘, da cantora americana Rihanna”, lê-se na matéria publicada em 29/11/2019.

O blog ANCORADOURO encaminhou algumas perguntas para a assessoria de imprensa da TV Globo, mas até o momento não obteve resposta.

Seguem abaixo as perguntas que foram enviadas: 

– Apologia às drogas no Brasil é crime. Como a emissora reage às críticas de telespectadores que enxergam na música “verdinha” uma referência direta à maconha, ao seu consumo e venda, mediante o conjunto de informações  comunicado na letra e clipe exibidos no Programa Fátima Bernardes?

– O senador Eduardo Girão (Podemos) classificou a performance artística no programa como uma “clara apologia às drogas”, logo, uma prática criminosa, por isso protocolou ofício no Ministério da Justiça e Segurança Pública denunciando o episódio. O que a emissora tem a dizer aos telespectadores sobre tal exibição?

– Como o Programa Encontro com Fátima Bernardes, que tem classificação etária livre, exibiu uma música, acompanhada de clipe, classificada para maiores de 18 anos?

– No clipe, a cantora aparece com um cigarro à mão, no clipe. O Programa e , respectivamente, a emissora TV Globo endossa a prática tabagista, levando em conta que ainda é uma das maiores causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde?

Girão e a conscientização contra os efeitos maléficos das drogas 

Eduardo Girão começou seu trabalho de conscientização e prevenção às drogas há muitos anos, mais especificamente contra o lobby da maconha, há seis  anos, quando conseguiu, através de mobilização social, desmantelar uma tentativa de legalização da maconha para uso recreativo. O fato aconteceu em 2014 depois do militante André Kiepper ter conseguido colocar uma Sugestão Parlamentar em andamento para a legalização da erva. O então senador Cristovam Buarque fora o relator.

De acordo com a “Visão Global sobre os Vícios 2019” (“Global Views on Vices 2019”), 76% dos brasileiros são contrários à  legalização da maconha para uso recreativo, número expressivo que vai de encontro ao lobby da maconha que quer a todo custo normatizar o uso da erva no país

Acompanhe o caso que recebeu cobertura do blog Ancoradouro 

Legalização da Maconha] Parecer de Cristovam Buarque em xeque. Senador é citado em vídeo denunciado à PF

Confira alguns vídeos das audiências sobre a legalização da maconha

https://www.youtube.com/channel/UCF_2E_i8qwK-APy6howqs5w/videos

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *