Blog do Leão

Fortaleza 2×1 Independiente – Realeza momentânea

0 7

Juninho abriu o placar da vitória tricolor, mas gol nos acréscimos tira a classificação. Foto: Leonardo Moreira/ FEC

 

 

Caros tricolores, vou começar o post comparando com o anterior quando escrevi que fizemos em Aracaju nossa pior partida do ano. Pois bem, na noite desta quinta-feira, na Arena Castelão, diante os argentinos do Independiente fizemos nossa melhor partida em 2020, disparadamente.

Que jogaço. Osvaldo, Romarinho, Felipe, David, Juninho, Paulão, Felipe Alves, Bruno Melo, Gabriel Dias. Difícil escolher um destaque. Foi uma aula de futebol que só não foi perfeita porque não definimos o placar, e a gente conhece bem o adversário pela sua história. O Rei de Copas não pode ser alimentado com a esperança da sobrevida, pois a qualquer momento o golpe fatal será executado. A famosa bola vadia também fala espanhol. Bem vindos ao futebol Sulamericano. Aquela historinha que a gente só via na TV acontecendo com os Palmeiras, Corinthians e Flamengos da vida, tivemos o “privilégio” de ver ao vivo e em cores e assim poder lamentar mais um capítulo de êxito do futebol argentino em solo brasileiro.

Uma pena não termos o Wellington Paulista em bom momento e passando confiança ao Rogério para poder escalá-lo nestes 180 minutos em que sentimos tanto a necessidade de um especialista em fazer gols.

Ficou o momento gravado em nossa retina. A euforia de uma participação curta, porém intensa; a alegria de fazer parte de um seleto grupo de clubes sulamericanos; e a lição de que faltam experiência, malícia e preparo refinado para competições desta envergadura. Valeu pela engrossada de pescoço, ficamos mais cascudos. E quem sabe cada vez mais? afinal não seria de todo mal ficarmos acostumados a frequentar a festa dos reis.

Valeu, León!