Clube da Luta

Leandro Naja faz maratona de lutas e avisa: “Quero muito ser campeão do Shooto Brasil”

Leandro Naja com o cinturão do Revolução MMA

Leandro Naja com o cinturão do Revolução MMA

A serpente do MMA está de volta. Depois de conquistar o cinturão do Revolução MMA, Leandro Naja tem uma maratona de lutas pela frente. O atleta da Dragon Fight/Nova União luta sobe ao octógono do Open Figth Cearense (OFC) para enfrentar Gleferson Gurgel, na categoria até 70 kg, no dia 21 de setembro. Em seguida, Naja compete no GP Iron Man, em Belém, marcado para o início de outubro, pela categoria até 66 kg. O blog Clube da Luta conversou com o lutador que revelou: “Quero muito ser campeão do Shooto Brasil”.

Confira a entrevista completa com Leandro Naja:

Clube Da Luta: Naja você já é dono do cinturão do Revolução MMA e agora luta no GP do Iron Man, em Belém. É mais um cinturão que você vai buscar?

Leandro Naja: Estou muito bem preparado. Para falar a verdade, nunca tive tão bem. Mas, sabendo das dificuldades que tem em fazer duas lutas na noite, estou junto com meus mestres criando a melhor estratégia para trazer mais esse título para casa.

CDL: Você é muito bom na arte suave e já finalizou vários adversários. O público que vai conferir o Iron Man pode esperar por mais uma finalização?

LN: Na verdade, sou um cara oriundo do muay thai, mas treino muito jiu-jitsu e luta livre. O motivo de várias finalizações é responsabilidade de meus mestres em seus ensinamentos e o meu oportunismo.

CDL: Naja, você enfrenta o Gleferson Gurgel no dia 21 de setembro. Depois, já luta no GP Iron Man. Combates como esses, em curto espaço de tempo, não pode atrapalhar seu cartel?

LN: Acho que isso só mostra o meu potencial. Estou acostumando a lutar em GP, fazer mais de uma luta na noite, sem falar que meus treinamentos diários são mais pesados que muita luta. Por isso, estou confiante em uma sequência de vitórias.

CDL: No OX MMA, GG venceu o Danilo Mota por conta de uma lesão. O público vaiou a atitude do GG que, após a vitória ser anunciada, comemorou com uma dança. O que você achou da atitude dele?

LN: Eu já quebrei o braço de um oponente e minha atitude, de imediato, foi procurar atendimento médico para meu adversário. Não passou por minha cabeça nem um tipo de comemoração, pois apesar de ser meu adversário, é um atleta como eu. Na minha opinião, uma comemoração em um momento desse é um desrespeito ao próximo. As vaias do público mostram que mais valem aplausos na derrota do que vaias na vitória.

CDL: Em sua última luta pelo Shooto, você acabou sendo derrotado. Você pretende voltar a lutar pelo evento?

LN: Perdi, fui nocauteado, mas essa derrota me engrandeceu muito. Desde então, estou focado, treinando mais forte para voltar e dar o troco. Sei que na hora certa, meus mestres vão me levar novamente, pois não escondo de ninguém que quero muito ser campeão do Shooto Brasil, na divisão do peso galo.

CDL: Deixa um recado para o público cearense que já deve estar ansioso para lhe ver lutar?

LN: Primeiramente, agradecer a meus mestres Danilo Dragon, Guilherme Santos e Willamy Chiquerim. Esses são os responsáveis por meus resultados. Em seguida, a meus patrocinadores Galdino Maia, da loja Mundo da Luta, Flavio Formas, o cara que cuida da minha nutrição. Negão Suplementos, responsável por minha suplementação. Academia Ayo Fitness Club, academia Completa Team, academia Corpo & Cia e CT Dragon Fight/Nova União. Quero agradecer também a minha família, alunos e amigos por todo o apoio. Quero deixar um abraço para a galera que todo dia está no CT Dragon Fight/Nova União treinando e ajudando no meu treino. Podem esperar que eu estou focado, estou pronto e preparado, só esperando o dia da batalha.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *