Clube da Luta

Qual o momento certo de interromper um combate?

1517 1
Cung Le fica com rosto desfigurado após luta contra Bisping. Foto: reprodução Combate

Cung Le fica com rosto desfigurado após luta contra Bisping. Foto: reprodução Combate

Cada vez mais, no MMA (principalmente quando ocorre no UFC), árbitros vêm ganhando mais destaque do que o próprio combate, o nocaute, a finalização ou a vitória de um atleta. Uma das discussões é sobre o momento exato de um juiz parar o duelo. Na madrugada do último sábado, 23, para este domingo, 24, o triunfo de Rafael Dos Anjos diante de Ben Henderson foi contestado – para alguns, o árbitro interrompeu o confronto cedo demais. Mas, se o importante é a integridade física dos lutadores, o árbitro Big John Mcarty acertou em decretar a vitória ao brasileiro. E, a partir dessas situações, vamos a outra: e quando o duelo fica nas mãos dos médicos?

Cung Le e Michael Bisping fizeram a luta principal do UFC na China, também realizada no último sábado, 23, em mais uma jornada dupla do Ultimate. No encontro entre as duas feras, o vietnamita levou a pior e perdeu por nocaute técnico no quarto round, de maneira avassaladora. Ou seja, até o quarto assalto, Le apanhou muito. No segundo round, o asiático já estava com os dois olhos bastantes machucados de tantos socos do inglês, que possui um bom nível no boxe. O duelo, inclusive, foi paralisado para o médico dar uma verificada nos ferimentos, mas ele deu o aval para o combate continuar.

O terceiro round da peleja foi para decretar o massacre. Le estava com os olhos fechados, machucados e inchados. Nos intervalos do segundo e terceiro, o médico também entrou no cage para analisar o estado do vietnamita. O aval foi dado e Cung voltou para o quarto período. Infelizmente, pior para ele. O Jack Chan do Vietnã levou uma sequencia de socos, chutes e uma joelhada certeira para o árbitro interromper o confronto.

Bisping não tomou conhecimento de Le. Foto: UFC/Divulgação

Bisping não tomou conhecimento de Le. Foto: UFC/Divulgação

Cung Le não foi o primeiro a sofrer um pouco mais no combate porque o árbitro ou o médico permitiu a continuação do embate. Quem não lembra de Fábio Maldonado sendo surrado por Glover Teixeira. O ‘Caipira de Aço’ precisou apanhar muito para a luta ser interrompida. E, antes do fim ser decretado, um médico também foi chamado para analisar o seu estado de saúde.

Outro exemplo recente foi o duelo entre Uriah Hall e Thiago Marreta. O ‘Homem Ambulância’ teve fratura exposta no dedo do pé e recebeu aval para continuar. Como isso foi permitido? Ele ainda ganhou a luta, mas sua integridade física não foi preservada. Assim como Jon Jones, no embate contra Chael Sonnen, sofreu do mesmo problema e continuou lutando.

Então, fica a pergunta: qual a hora certa de interromper o combate?

Recomendado para você

1 comentário

  • Paulo David disse:

    O arbitro errou bastante, nota-se claramente que o Cung Le ficou “cego” após o dedo no olho, ele tentou ainda se afastar esperando o arbitro paralisar o que não o fez, logo o Bisping aproveitou-se da situação e bateu no “cego”.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *