Educação

Juventude e Políticas Sociais no Brasil

432 1

Dados da publicação “Juventude e Políticas Sociais no Brasil”, lançado ontem no último dia19 de janeiro pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), mostram que 18% dos adolescentes entre 15 e 17 anos não estão na escola.

SALA_VAZIA

A principal causa para o abandono entre os garotos é a oportunidade de trabalho e, entre as garotas, a gravidez precoce. Sobre gravidez na adolescência, o livro destaca a necessidade de um novo olhar sobre a questão.

Os autores ressaltam que nem sempre a gestação é indesejada, muitas vezes, as jovens fazem dela seu projeto de vida. Já os meninos podem enxergar na situação de trabalho a chance de serem vistos como homens. Dizem ainda que se a conotação negativa fosse retirada da gravidez na adolescência, as políticas públicas seriam mais eficazes.

Fica a dica de leitura para entendermos melhor essa situação. Até o final da semana repasso um resumo para vocês.

Recomendado para você

1 comentário

  • eudes baima disse:

    Caros (as) companheiros (as) da Imprensa,

    Através deste vimos convidá-los para uma entrevista coletiva a ser prestada pela diretoria da Seção Sindical dos Docentes da URCA – SINDURCA, com a participação das direções das Seções Sindicais da UECE e da UVA, bem como do ANDES-SN.
    Na ocasião, será feita uma explanação apresentando os resultados da Auditoria realizada na Fundação de Desenvolvimento Tecnológico do Cariri – FUNDETEC, Fundação de direito privado ligada a URCA, referente ao período que vai de junho de 2003 a junho de 2007, no período em que foi Reitor desta Universidade o Prof. André Herzog.
    A auditoria foi contratada junto à “MARPE Auditores Associados” pelo atual Reitor da URCA, Prof. Plácido Cidade Nuvens, como esclarece o relatório da auditoria, “em virtude de suspeitas de malversação de recursos, levantadas contra a entidade”.
    Concluídos os trabalhos de auditagem, e sendo seus resultados públicos, conforme legislação em vigor, a SINDURCA decidiu solicitar cópia do relatório dos trabalhos, no que foi atendida pela Reitoria.
    Dada a gravidade das constatações feitas pela auditoria, a SINDURCA acha por bem, dado o caráter público dos recursos manipulados pela FUNDETEC, divulgar amplamente os resultados da auditoria, cuja gravidade levou os auditores a recomendar a abertura de inquérito administrativo disciplinar contra os ex-superintendentes da instituiição no período analisado e contra o ex-Reitor André Herzog.
    Na entrevista, distribuiremos cópias do relatório e exporemos seus prinicipais achados.

    A entrevista ocorrerá no próximo dia 1º de fevereiro, às 9h no Comitê de Imprensa da Assembléia Legislativa.

    Certo da presença de todos,

    Augusto Nobre – Presidente da SINDURCA-SSind

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *