Educação

Evasão no ensino médio

500 3

Enquanto 98% de crianças e adolescentes brasileiras entre 7 e 14 anos estão na escola, 15% dos jovens de 15 a 17 anos desistiram de estudar. O abandono é refletido no número de matrículas da série final.

Se comparado ao da série inicial, o total é 35,5% menor. De acordo com o Censo Escolar, em 2007 ingressaram no ensino médio 3.440.048 estudantes. Já em 2009, foram efetuadas 2.218.830 matrículas.

Quando não há reprovações, um aluno conclui o ensino médio em três anos. Na Região Centro-Oeste, a diferença entre as matrículas é de 37% e no Sul chega a 38,53%. O Sudeste tem o menor percentual: 34,68%. Nordeste e Norte possuem índices iguais: 35,7%.

O total de matrículas mostra o abandono do ensino médio na última década. A taxa de escolaridade dos jovens entre 15 e 17 é muito baixa e isso já é sentido no ensino superior, onde há vagas ociosas.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, sugere que os estados mantenham escolas de ensino médio em todos os municípios para combater a evasão.

Fonte: O Globo (RJ)

3 Comentários

  • Paulo Roberto Girão Lessa disse:

    Não sabem ler!

    Estive no interior do Ceará, onde visitei um grupo escolar com quatro salas de aula e cerca de 80 a 100 alunos. Com tantos políticos prometendo um piso salarial mínimo para os professores, pensei que tudo estava bem, mas, na verdade, a maioria dos professores são bolsistas que recebem bem menos que o piso salarial. Existem alunos que na quinta série do antigo primário ainda não sabem ler. A verdade é que os senhores prefeitos estão admitindo bolsistas e estagiários no lugar de professores qualificados e experientes. A qualidade da educação diminui, e o piso salarial está sendo razão para os professores formados serem afastados de suas funções. Denúncia como esta tem o objetivo de questionar os cidadãos sobre a qualidade que está sendo oferecida e sobre a educação que queremos para os nossos filhos. Ou fiscalizamos os nossos municípios, ou teremos em alguns anos situações irreparáveis na educação.

  • Paulo Roberto Girão Lessa disse:

    Justiça e verdade no Enem 2010

    Quanto à anulação do Enen 2010 temos algumas considerações: os candidatos que estão preparados farão novas provas e terão boas notas.
    Os que estavam nervosos terão outra
    experiência para melhorar seu desempenho.
    E os que foram prejudicados com erros de impressão nas provas não sofrerão com a injustiça de serem diferenciados e não ser levado em conta a igualdade de oportunidades a todos.
    O MEC deve responsabilizar-se pelo erro de permitir a impressão de provas com erros grosseiros e fazer novas provas e aplicá-las agora com o rigor que tais exames exigem.
    Ou damos o exemplo de seriedade aos jovens ou estaremos a ensinar o jeitinho brasileiro até nos exames que definem o futuro do Brasil e da juventude.
    Justiça e verdade são caminhos retos para o bem de todos.

  • Paulo Roberto Girão Lessa disse:

    ENEM E COMPROMISSO COM A VERDADE

    O Jornal Folha de São Paulo tem como manchete a possibilidade de que conteúdos da prova de redação foram vazados antes da aplicação da prova do Enem 2010.
    Vemos uma crise moral em relação a tudo que se refere à honestidade no Brasil.
    Ou regeneramos nossa maneira de ver ou estaremos sempre complicando nossos débitos espirituais.
    Não é a questão só do Enem que já sofreu tantas fraudes, mas é a questão de compromisso com a verdade.
    Mais de quatro milhões e meio de jovens fazem uma prova cansativa e não se tomam medidas de segurança e lisura suficientes!
    Aconselhamos a revermos os falsos princípios de: tomar vantagem em tudo e dar um jeitinho.
    Respeito é o que os jovens brasileiros exigem dos que não veem que as atitudes não éticas prejudicam a todos e ao Brasil inteiro.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *