Educação

UFC terá biomódulo voltado a pesquisas avançadas em virologia; inauguração será no segundo semestre

Prédio do NPDM

A Universidade Federal do Ceará terá um biomódulo dedicado a pesquisas avançadas em virologia, inclusive com estudos sobre o novo coronavírus (COVID-19). A unidade de pesquisa, que será instalada no estacionamento do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM), terá característica multiusuária, podendo ser utilizada por pesquisadores da Faculdade de Medicina (FAMED) da UFC e de outras unidades.

O laboratório planejado possui nível de biossegurança 3 (NB3), ou seja, será destinado a pesquisas com agentes de risco biológico da classe 3, que são microrganismos de baixo risco para a comunidade, mas de alto risco individual. Além do coronavírus, podem ser estudados agentes como o vírus da chikungunya e outros agentes patogênicos emergentes.

Dada a natureza do equipamento, o biomódulo, cuja inauguração deve ocorrer já no segundo semestre deste ano, possui dispositivos de segurança próprios para pesquisas com agentes bacterianos ou virais de alto risco, como sistemas de pressão negativa para a exaustão e filtração do ar no interior do laboratório.

O projeto faz parte do conjunto de ações que a UFC vem desenvolvendo, também por meio da Faculdade de Medicina, para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. O investimento para a construção do laboratório é de R$ 1,8 milhão.

REFERÊNCIA – “Essa unidade é um biomódulo, que é o que há de mais moderno, a ser instalado em um período de dois meses. A unidade será referência nacional nessa área de pesquisa [virologia]”, garante o diretor da FAMED, Prof. João Macedo Coelho Filho.

Ele ressalta ainda, como uma das vantagens da instalação de um equipamento como esse, a possibilidade de se trabalhar com aplicação de estudos com vírus em modelos animais, “algo possível somente em poucas universidades brasileiras”.

MOLÉCULAS – O diretor do NPDM, Prof. Odorico de Moraes, considera que a instalação do biomódulo trará a possibilidade da prospecção de moléculas com atividade antiviral, promovendo novos tratamentos para os agentes patogênicos. “Será a primeira unidade para esse tipo de abordagem científica a ser criada no Ceará, devendo funcionar como um equipamento multiusuário para todos os pesquisadores da nossa Universidade”, diz.

A unidade surge como uma ferramenta de combate ao vírus da COVID-19, enfrentado hoje pela humanidade. “O novo equipamento será de extrema valia para o conhecimento da biologia do vírus, para a pesquisa de novas moléculas com atividade antiviral, para o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico, para estudos imunológicos, e para a melhor compreensão da fisiopatologia da doença”, ressalta o Prof. Odorico.

Fonte: Prof. João Macedo Coelho Filho, diretor da FAMED – e-mail: jmacedocoelho@yahoo.com.br; Prof. Odorico de Moraes, diretor do NPDM – e-mail: odorico@ufc.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *