Educação

Lição de casa interativa: atividades práticas e aprendizagem híbrida são soluções para o retorno às aulas

Nav Digital 

Com o impacto da pandemia da Covid-19 na educação, a aprendizagem híbrida será uma solução indispensável para o retorno das escolas. Trata-se de uma abordagem mista que une o ensino presencial e a distância, permitindo que o aluno aprenda de forma on-line ou em sala de aula, interagindo com os colegas de classe e com o professor, estimulando o protagonismo dos estudantes na descoberta do próprio processo de aprendizagem.

Intercalar aulas presenciais com o aprendizado digital se tornará uma realidade para as escolas após o isolamento, como uma maneira de reduzir e/ou intercalar o número de alunos nas salas e, assim, reduzir o risco de contaminação. Como solução para auxiliar as instituições na aprendizagem on-line, o Nave à Vela, empresa educacional de soluções maker, desenvolveu o NAV Digital, plataforma de atividades maker voltadas para estudantes do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

A plataforma é aberta a todas as escolas e adaptável à realidade de cada uma. As atividades desenvolvem a criatividade e outras competências complementares ao currículo tradicional, fazendo com que os alunos se tornem responsáveis pelo seu processo de aprendizado. Inspiradas na Cultura Maker, as videoaulas disponíveis trabalham competências ligadas à inovação, como a resolução criativa de problemas e realização de projetos, junto a competências socioemocionais, como autonomia, empatia e colaboração. Além disso, as aulas são planejadas em total sintonia com a BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

As aulas têm 50 minutos de duração e contam com uma contextualização e curiosidades do assunto tratado, além de desafios baseados na ideia do “faça você mesmo” com o estímulo à colaboração e transmissão de informações entre grupos e pessoas. 

As atividades, que envolvem desde a construção de um quadro da empatia para a expressão de sentimentos, passando pela montagem de um barquinho de papel para aplicar teorias da física e descobrir se ele flutua ou afunda, entre outras mais complexas, são feitas com materiais facilmente encontrados nas residências. Quando os materiais não estão à disposição do aluno, o programa também estimula a sua criatividade para encontrar soluções que revertam a situação e as restrições encontradas no caminho.

A ideia é inovar o sistema tradicional de ensino por meio da tecnologia e da criatividade. “O objetivo é que os dois processos de ensino se complementem e proporcionem uma aprendizagem mais eficaz e motivadora e que o NAV Digital possibilite toda a parte on-line desse processo. Os formatos virtuais e presenciais, por serem diferentes entre si, tornam mais dinâmicas e atrativas as atividades escolares, engajando ainda mais tanto os alunos quanto os professores”, afirma o Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Nave à Vela, Bruno Ferrari.

Professores são essenciais no processo

Os professores são pilares fundamentais nesse processo. Para que a aprendizagem híbrida seja eficaz, é preciso ir muito além de disponibilizar conteúdos e deixar que os alunos utilizem a internet da forma que desejarem. É necessário que o professor oriente o estudo. 

Além disso, a ideia é que o formato digital seja complementar ao que é trabalhado em sala de aula e não apenas repetições do mesmo conteúdo. Assim, uma modalidade interage com a outra, havendo mais aproveitamento do ensino e estimulando, principalmente, a autonomia e a responsabilidade do aluno com o aprendizado.

Esse foco – de ensinar de maneira mais dinâmica, prática e divertida – tem guiado muitas escolas inovadoras e que buscam proporcionar uma aprendizagem mais contextualizada com as demandas atuais do mercado de trabalho, estimulando o desenvolvimento socioemocional junto da criatividade, responsabilidade e capacidade de tomada de decisão. 

—————————————————————-

Sobre o NAV Digital

O NAV Digital é um projeto que oferece uma solução para que os estudantes coloquem a mão na massa, desenvolvam a criatividade e outras competências complementares ao currículo tradicional de maneira prática. Dessa forma, eles se tornam protagonistas do seu processo de aprendizado. Baseadas na Cultura Maker, as videoaulas trabalham habilidades ligadas à inovação, como o letramento tecnológico, resolução criativa de problemas e realização de projetos, junto a competências socioemocionais, como empatia, colaboração e autonomia. 

Sobre o Nave à Vela

Ligado ao grupo Arco Educação, primeira edtech brasileira a alçar o posto de unicórnio, o Nave à Vela promove um processo de aprendizagem baseado na prática e na experimentação. Com a missão de construir uma educação mais significativa em parceria com escolas de todo o Brasil, a empresa já alcançou mais de 30 mil alunos. Utilizando a Cultura Maker, seus produtos incentivam os alunos a colocarem a mão na massa para desenvolver atividades e projetos, construindo, com isso, uma relação de exploração com o conhecimento.

FONTE: Mariana Colombo (comunique-se)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *