Fisioterapia & Saúde

PRESIDENTE DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA DIZ ABERTAMENTE QUE A LUTA É CONTRA A FISIOTERAPIA.

1572 98

Em entrevista para o JORNAL DO BRASIL, o Presidente do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA, Roberto D’avila, afirma que a necessidade de regulamentação da Medicina se deve ao avanço da Fisioterapia.

A crítica dos profissionais de saúde de que a aprovação do ato médico fará com eles fiquem sob a tutela dos médicos procede?Não, não procede, isso é um equívoco. Na verdade é um equívoco mal intencionado. Porque algumas lideranças de algumas profissões da área da saúde têm interesse em que não haja regulamentação da medicina. Enquanto não houver regulamentação poderão avançar sobre o campo tanto teórico quanto prático da medicina. A hora que você estabelece uma regulamentação e diz o que é privativo, e nós estamos dizendo que é privativo o diagnóstico e o tratamento das doenças, eles disseminam um equívoco no sentido de dizer que nós vamos acabar com a integralidade do SUS, que nós vamos impedir as outras profissões de trabalharem, que nós vamos mandar em todas as profissões, que todo paciente terá que passar primeiro pelo médico para depois ir neles, quando na verdade não fomos nós que dissemos isso. O que diz isso é a lei. A lei dos fisioterapeutas, por exemplo, diz que é privativo do fisioterapeuta aplicar métodos fisioterápicos. A lei não diz que eles podem fazer o diagnóstico e que eles podem fazer tratamento por conta própria. O que os fisioterapeutas querem? Não querem que a pessoa vá mais no médico. Querem que a pessoa vá neles para que eles então determinem que tipo de fisioterapia fazer. Isso não tem o menor sentido. Então, da nossa parte, nós estamos trabalhando com a consciência tranquila de que estamos querendo algo que protege a sociedade, que não é corporativismo.

Além dos fisioterapeutas, que outros profissionais estão contra o ato médico?Basicamente os fisioterapeutas. Os outros profissionais seriam, por exemplo, a psicologia, que está querendo passar remédios igual aos psiquiatras, está querendo fazer diagnóstico de doença mental. Não pode. A lei da psicologia diz que eles só podem fazer diagnóstico psicológico, que só podem aplicar testes para medir a função intelectual, psicotécnica – os testes psicotécnicos. Eles não podem e querem fazer o mesmo que o psiquiatra faz. Isso não pode acontecer. O curso de psicologia é um e o para ser psiquiatra tem que ser médico. Então são formações completamente diferentes. Os enfermeiros obedecem à lei deles. Em alguns pequenos pontos é que há algum desvio. Por exemplo, nós consideramos a casa d e parto um desvio da enfermagem que não tem nada a ver com o ato médico, mas que repercute porque a lei da enfermagem diz que o enfermeiro pode fazer parto, não tem nenhum problema e nós concordamos com isso, desde que integrante de uma equipe e desde que o parto corra sem problemas e que na hora que aparecer o primeiro problema, deve imediatamente chamar o médico. Então a gente só concebe que isso seja dentro de uma maternidade, com médico, pediatra na sala de parto, enfermeira, e ela pode fazer o parto que esteja ocorrendo de modo normal.

http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/12/31/e311210983.asp

98 Comentários

  • Mariana Fabricio disse:

    sinceramente, esta atirude causa repulsa.Que vergonha tal ditadura!!

  • nossa, isso é uma vergonha, um senhor desse presidente do conselho federal de medicina falar asneiras.. eu só quero que se regulamentada esse ato médico, o nosso conselho inoperante passe a tomar providências para proteger nós fisioterapeutas contra esse absurdo.. pelo menos tem uma lado positivo, está mais que comprovado a evolução da fisioterapia, tanto que está causando ciúmes ou inveja em outras áreas

  • Débora Assunção disse:

    “Sim” ao Ato Médico, APENAS se esses profissionais estiverem dispostos a dedicar mais uns anos de suas vidas para estudar o conteúdo de mais 11 cursos da área da saúde. Assim, estarão aptos para traçar um protocolo de tratamento FISIOTERAPEUTICO (ou de qualquer outra área, que não a medicina) para os seus pacientes.
    UM ABSURDO! UMA VERGONHA! E o que for possível, será feito para que o Ato Médico não vigore.

  • Fabiano M. Vasconcellos disse:

    Que vergonha! Quando se diz que a Lei é privativa dos fisioterapeutas, nós somos os responsáveis por exerce-la, SIM, E não os médicos. Caso não saibam, o diagnóstico traçado por fisioterapeutas é o diagnóstico cinesiológico-funcional, completamente diferente do diagnostico médico. Dizer que vcs estão fazendo isso com a consciência tranquila é o inadmissível. Gostaria muito de ver se aindavpermanecerão com a consciência tranquila, quando traçarem um protocolo de tratamento fisioterapeutico errado, pelo fato de vcs não saberem como manusear a nossa aparelhagem eletroterapeutica. Uma pergunta: vc sabe ql o comprimento de onde, qual a seria a sua conduta, qual a frequencia ideal do TENS (e não TENSES como muitos escrevem) para se usar em um paciente com osteoartrose de quadril, fazendo uso de pinos, devido fratura ocasionada por queda?! usaria calor profundo ou superficial?! pq?! e o gelo?! durante quanto tempo?! fariam alongamento?! sim/nao?! passivo ou ativos?! e o uso do laser ou US é indicado?! deve-se fazer fortalecimento?! sim/nao?! quais musculos?! pq?! Por favor, nos respondam urgentemente para que possamos ficar “a favor” dessa malandragem que é o Ato Médico 😉

  • Rafael Prado disse:

    Como assim um absurdo o Fisioterapeuta determinar o tipo de fisioterapia a fazer?? Não temos dúvida que de Fisioterapia nós entendemos e muito bem e somos responsáveis para determinar qual será o tratamento fisioterapêutico mais adequado para cada disfunção. Sabemos que muitos médicos não sabem nem distinguir uma técnica de fisioterapia de outra técnica. O que eles querem? Nos dizer como devemos fazer nossa profissão?? Isso é um abuso de poder e agride nossa AUTONOMIA. Precisamos todos nos unir contra o monopólio médico ao nosso tratamento!!

  • Andressa Leoni disse:

    Sinceramente isso que é EGOcentrismo. Os médicos agora querem ser a LEI de tudo e de todos. Querem ser Deus para poder dizer o que deve e o não deve ser feito com a “sociedade”. Me poupe. Eu acho que isso tudo é só “medo”, porque um tempo atrás os médicos que tinham o poder de tudo, e hoje estão tendo que calar a boca porque tem gente que estuda tanto quanto eles, e que estão fazendo a diferença em uma equipe multidisciplinar. Só despeito. E quer saber mais??? Vocês ainda vão se doer mais, porque nós fisioterapeutas estamos crescendo a cada dia mais!!!!!

  • Allana Castro disse:

    Mais uma atitude repulsiva dos médicos e também ridícula de alguem que se diz tão esclarecido.
    Não queremos tirar espaço de ninguém e sim galgar o melhor para a fisioterapia e acima de tudo aos pacientes que tanto requerem atenção de TODOS os profissionais de saúde. Cada profissão possui sua especificidade e a fisioterapia possui sua importância, assim como a medicina e tantas outras áreas da saúde.
    Acho de o Sr. Roberto D’Avila deveria medir suas palavras e procurar estudar mais, pois não falaria tamanha asneira em público, pois se ele tivesse um mínimo de conhecimento na área, saberia o quão é importante a fisioterapia para os pacientes e saberia também que só e somente só o fisioterapeuta é digno e apto a dá o diagnostico e o melhor tratamento fisioterapeutico.

    E tenha certeza que a fisioterapia irá ganhar mais espaço sim!!!!

  • Fernanda Aymoré disse:

    Triste é ver um presidente do conselho federal de medicina travando luta contra a Fisioterapia, quando deveria estar travando luta contra as PÉSSIMAS condições de vários hospitais públicos…

    Triste também é ver um médico escondendo seu medo de “perder espaço” atrás de uma suposta lei…

    Mais triste ainda é ver uma área tão bonita quanto a medicina querendo guerra contra uma outra área de saúde, quando deveria estar querendo se juntar a ela, para juntos melhorar cada vez mais as condições de atendimento para os PACIENTES, que deveriam ser prioridade, porém são os mais prejudicados dessa palhaçada toda.

    Triste mesmo.

  • Cristina de Oliveira disse:

    daqui a pouco os médicos vão processar as vovós que ficam passando chá de alho com limão pra curar gripe, afinal só médico pode tratar né. e fisioteraeuta estuda exatemente pra saber que tipo de fisioterapia fazer e psicólogo que passa receita de remédio é mal visto até entre os psicólogos, pra isso serve denúncia em conselhos profissionais.

    “que diz é a lei não somos nós” e quem é que tá fazendo essa lei absurda?!!

  • PSICO disse:

    SIM ao Ato Médico contanto que os médicos estudem o currículo de todas as 13 profissões que vai atingir. assim eles podem passar mais anos na faculdade e menos tempo fora fazendo besteiras como essa lei

  • João Paulo Coêlho disse:

    Eu sou psicólogo e não conheço um colega de profissão sequer que prescreva farmacoterápicos ou seja a favor da prescrição de remédios. Mesmo cursando disciplinas como fisiologia humana, psicofisiologia e psicofarmacologia, não estamos aptos a tal atividade. Psicólogos prescrevendo remédios é considerado um absurdo recriminado primeiramente pelos próprios psicólogos! Não é necessário uma brigada médica para tanto! Não há um movimento “pró-medicação” por parte dos psicólogos, como afirmam alguns médicos desinformados ou mal-intencionados. ISSO É UMA FALÁCIA! Os médicos que tentam sustentar seu posicionamento com tal argumento agem de má fé!

    Os pontos polêmicos que atingem de alguma maneira a prática psicológica são:

    1) O diagnóstico psicopatológico; 2) a chefia de equipes que oferecem serviço médico; 3) processos invasivos – acunputura.

    Não preciso dizer que o primeiro é um absurdo, não é verdade? As contribuições da Psicologia para o entendimento dos transtornos mentais e da própria Psicopatologia são de valor inestimável.

    O segundo não é tão absurdo, mas perigoso, uma vez que será difícil deixar claro o que constitui “serviço médico”. É muito provável que médicos transformem “serviços de saúde” em “serviços médicos”.

    Em relação ao terceiro, eu não tenho muito conhecimento pra falar. A acunpuntura em si não é algo estritamente ligada a prática psicológica. No entanto, a Acupuntura, historicamente, se constituiu como uma prática multidiscplinar e a tentativa de medicina de tornar um ato antes recriminado pela própria classe em algo privativo do médico não me cheira a outra coisa que não RESERVA DE MERCADO!

    Me entristeço a ver o Presidente do Conselho Federal de Medicina falando tamanhas asneiras. Fica muito claro o viés de politicagem que as discussões sobre o Ato Médico vêm tomando. Me entristeço porque só quem perde com tudo isso é o cidadão brasileiro que deveria ter assegurado o direito a uma saúde pública e de qualidade.

  • Cátia disse:

    Em pleno século XXI ainda somos obrigados a ter que escutar tanta baboseira desse tipo.
    Pelo que estou vendo, o sucesso e o recolhencimento da importância ,pela sociedade, das demais profissões da saúde tem incomodado alguns incompetentes profissionais médicos!!
    Sou à favor de um ato contendo: Sim, a menos Erros médicos!!!

    Cátia
    Fisioterapeuta e mestranda em EngªBiomédica (UFRJ)

  • sabbak borges disse:

    Essa cabeça imoral naõ sabe o que diz, nao sabe o que faz ele apenas se acha DEUS.

  • Aurélio disse:

    Mais que vergonha Sr Roberto D’avila falar tamanha asneira!!! Você nunca será o dono da verdade e nem terá a capacidade de ter total conhecimento de todas as áreas da saúde. De que adianta ter um diagnóstico médico e o próprio médico indicar qual o tratamento fisioterapêutico a ser realizado, se ele não sabe qual o tipo de corrente eletroterápica a ser indicada para tal patologia? Qual o tipo de cinesioterapia a ser realizada? É um absurdo isso! O que nós fisioterapeutas queremos é ofertar a nossos pacientes um tratamentos holístico. Vamos acabar com essa guerra de uma vez por todas.

  • @dr_marcelo disse:

    O título infelizmente distorce a matéria. A questão da regulamentação da atividade médica tem sido amplamente discutida com todos os segmentos de saúde, e é lamentável que este jornalistão promova a discórdia entre classes tão complementares quanto médicos e fisioterapeutas.

  • Larissa Santos disse:

    Também acho um absurdo essa Lei. Os médicos não tem como prescrever Fisioterapia se eles mal sabem quais os recursos q nós usamos. Já peguei cada absurdo como prescrição de tratamento fisioterapeutico receitado pelo médico, se eu fosse aplicar ainda levaria a culpa pela Fisioterapia não prestar, como muitos pacientes de doenças crônicas que não seguem o tratamento a risca ou não fazem mudanças de habitos para melhorar a qualidade vida alegam quando não conseguem bons resultados com a Fisioterapia.
    É muito triste saber que essa é a opinião de um profissional de um cargo muito importante na Medicina. Respeito muito os Médicos, nunca e jamais terei a capacidade de diagnosticar doenças já q não é da minha competência, apenas podemos realizar um diagnostico cinetico funcional. É mais triste ainda saber que quem sai perdendo são os pacientes, que ficaram presos a uma class profissional q sabemos que ultimamente devido a sobrecarga dos planos de saude e o proprio SUS ser de dificil acesso. Não me oponho a reforma na Medicina com tanto q isso seja feito dentro da propria classe não limitando o trabalho de outros profissionais, afinal não é só fato de termos apenas 1 ano a menos de graduação q nós impede de servos tão bons profissionais da saúde quanto os Médicos.

  • Clailson Farias disse:

    É impressionante como o Presidente do CFM se contradiz quando fala que as profissões não respeitam as Leis, seja o psicologo ou Fisioterapeuta, ambos fazem o seus diagnósticos específicos e procedimentos privativos, deveriam fazer valer , junto aos planos de saúde a pagar pela tabela específica de cada profissão, mas quando o assunto é este, os planos querem pagar a tabela dos médicos, desta forma mas uma vez querem impor a decadente prepotência da Medicina. Os problemas não são com os médicos do dia a dia e sim Institucional. Não há nada que obrigue o encaminhamento de algum médico para tratamento de psicologia ou Fisioterapia, ambos são profissionais de nnível superior e não sofrem gerência de nehuma outra profissão. Vamos a Luta Somos milhões de votos de profissionais de saúde contra poucos milhares de médicos, Será que os políticos ficaram do lado de quem?

  • Clailson Farias disse:

    O CFM não se da conta que nenhum dos procedimentos realizasos pelos médicos são ilegais, uma vez que este ATO MEDICO, é justamente para legalizar a profissão de médico que na realidade não existe legalmente, por isso não se consegue punir as imprudências e negligências causadas por muitos médicos. As profissões citadas são legalizadas e seus profissionais tem todo amparo legal, isto prova a responsabilidade que o COFITTO e CFP tem com os usuários,a população, não agem de forma a aproveitar conhecimentos e técnicas alheias, na tentaiva de roubar os procedimentos de profissionais de classes distintas.

  • Carol disse:

    Estes médicos políticos não sabem o que dizem. Se realmente o CFM fizesse uma pesquisa de interesse entre os médicos, verificaria que a maior parte deles acredita no trabalho conjunto com os fisioterapeutas e muitos se recusam a trabalhar em unidades de terapia intensiva sem a presença do fisioterapeuta. É uma pena que um representante como o presidente do CFM não represente o desejo da sua classe.

  • Gisele disse:

    Um homem tão inteligente falando tanta besteira. Ele sabe que não queremos tirar o tratamento que somente o médico pode fazer. Queremos que o médico faça o que é de sua obrigação e deixe que o fisioterapeuta trabalhe em paz e faça o que o médico não sabe. Médico não é Deus, não sabe tudo. Que cada um trabalhe de forma honesta e com zelo.

  • Wiron. Lima Filho - Presidente SBF disse:

    Caros amigos, Dr. Roberto D´Ávila é um dos grandes dinossauros da Medicina Moderna, nem seus colegas acreditam nele.
    A Medicina não tem esse comportamento patológico pseudo-dominador e nem quer dominar a saúde de forma integral, pois as demandas de saúde não conseguem ser amparadas com essa filosofia Neandertal, a grande maioria dos colegas médicos acreditam e pedem inteligentemente o comportamento interdisciplinar para aliviar a carga de responsabilidade frente aos seus clientes.
    Amigos, o nível de complexidade da atenção fisioterapêutica transcende a compreensão de profissionais não-fisioterapeutas, pois o entendimento clínico cinesiológico-funcional passa por conceitos biodinâmicos, interpretações de eventos neurobioquímicos e ações proprioceptivas ligadas ao amplo espectro da recuperação funcional.
    O Dr. Roberto D´Avila está a serviço da massa mínima acrítica da Medicina, daqueles que se amparam em estruturas falidas da semi-divinidade e principalmente de profissionais que perderam seu status profissional, como os fisiatras, que de tão inexpressivos perderam espaço não apenas para a Fisioterapia, mas para a Ortopedia, Reumatologia, Neurocirurgia, Neurologia e outros.
    O Projeto do Ato Médico não será aceito enquanto o seu texto for composto por falácias técnicas que ferem a práxis de outras profissões, sejam essas protagonistas ou adjuvantes na atenção ao cliente, os profissionais não-fisioterapeutas precisam entender que existem outras opções diagnósticas e terapêuticas, mas que estas não competem entre si e não são necessariamente opostas, mas na maioria das vezes complementares.
    O CFM não consegue ganhar uma disputa judicial, pois não existe quem acredite numa saúde verticalizada e medicalizada ao ponto de termos outras profissões engessadas pelo desconhecimento de outros colegas, sejam médicos ou não, sobre assuntos que deveriam ser de seu domínio ,ou pelo menos de seu conhecimento, devendo existir a cooperação de outrem na equipe.
    Vale sempre a discussão científica. Condutas médicas que evoluem, condutas fisioterapêuticas que nascem e se desenvolvem. As escolas podem debater a validade delas, mas o princípio do exercício profissional é soberano e único em cada profissão.
    Veja bem, uma bursite vista por um médico é totalmente diferente da mesma entidade vista por um fisioterapeuta. O primeiro observa a inflamação estrutural e vai atuar na tentativa de reverter essa condição. O Diagnóstico Cinesiológico –Funcional (criticado pelo nosso amigo Dr. D´Ávila) analisa o complexo gleno-umeral pela ótica da ineficiência biodinâmica e o trabalho para reverter essa condição é totalmente diferente, porém não menos importante que a atuação do profissional não-fisioterapeuta.
    Não existe Dr. D´Àvila qualquer interesse por parte dos fisioterapeutas sérios, isso, por parte daqueles que defendem e buscam o estado de arte dessa profissão, projeto de substituir o papel do médico, apesar da história e a evolução do tempo demonstrar que especialidades com profissionais fisiatras, nutrólogos e foniatras já não mais são necessárias ao convívio social, primeiro pela inexpressiva formação e segundo por prestarem um desserviço à sociedade com suas prerrogativas reabilitadoras e atrasadas.
    Reconheço a necessidade da Medicina ter seu ato definido e protegido, mas nem na era da reabilitação dos processos referentes à poliomielite tivemos comportamentos e pronunciamentos ridículos e sem crédito.
    Claro, temos que falar que algumas atitudes terapêuticas têm colaborado para a discussão mais acirrada em termos técnicos e científicos, mas a patética participação do Sr. Dr. D´Ávila nem de longe merece a participação nesse tipo de discussão.
    Espero ter deixado alguns pontos claros:
    a) A interdisciplinaridade é fundamental
    b) Fisioterapia não é Medicina e nem faz parte dela
    c) O Diagnóstico Cinesiológico-Funcional(DCF) é diferente do Diagnóstico Nosológico, e não menos importante
    d) A Fisioterapia evoluiu e algumas de suas intervenções são de alta complexidade biomecânica
    e) A saúde não é composta apenas de fisioterapeutas, mas temos profissionais não –fisioterapeutas que são importantes nas 3 esferas da saúde.

  • Wiron. Lima Filho - Presidente SBF disse:

    Caros amigos, o Dr. Roberto D´Ávila é um dos grandes dinossauros da Medicina Moderna, nem os seus colegas acreditam nele.
    A Medicina não tem esse comportamento patológico pseudo-dominador e nem quer dominar a saúde de forma integral, pois as demandas de saúde não conseguem ser amparadas com essa filosofia Neandertal, a grande maioria dos colegas médicos acreditam e pedem inteligentemente o comportamento interdisciplinar para aliviar a carga de responsabilidade frente aos seus clientes.
    Amigos, o nível de complexidade da atenção fisioterapêutica transcende a compreensão de profissionais não-fisioterapeutas, pois o entendimento clínico cinesiológico-funcional passa por conceitos biodinâmicos, interpretações de eventos neurobioquímicos e ações proprioceptivas ligadas ao amplo espectro da recuperação funcional.
    O Dr. Roberto D´Avila está a serviço da massa mínima acrítica da Medicina, daqueles que se amparam em estruturas falidas da semi-divinidade e principalmente de profissionais que perderam seu status profissional, como os fisiatras, que de tão inexpressivos perderam espaço não apenas para a Fisioterapia, mas para a Ortopedia, Reumatologia, Neurocirurgia, Neurologia e outros.
    O Projeto do Ato Médico não será aceito enquanto o seu texto for composto por falácias técnicas que ferem a práxis de outras profissões, sejam essas protagonistas ou adjuvantes na atenção ao cliente, os profissionais não-fisioterapeutas precisam entender que existem outras opções diagnósticas e terapêuticas, mas que estas não competem entre si e não são necessariamente opostas, mas na maioria das vezes complementares.
    O CFM não consegue ganhar uma disputa judicial, pois não existe quem acredite numa saúde verticalizada e medicalizada ao ponto de termos outras profissões engessadas pelo desconhecimento de outros colegas, sejam médicos ou não, sobre assuntos que deveriam ser de seu domínio ,ou pelo menos de seu conhecimento, devendo existir a cooperação de outrem na equipe.
    Vale sempre a discussão científica. Condutas médicas que evoluem, condutas fisioterapêuticas que nascem e se desenvolvem. As escolas podem debater a validade delas, mas o princípio do exercício profissional é soberano e único em cada profissão.
    Veja bem, uma bursite vista por um médico é totalmente diferente da mesma entidade vista por um fisioterapeuta. O primeiro observa a inflamação estrutural e vai atuar na tentativa de reverter essa condição. O Diagnóstico Cinesiológico –Funcional (criticado pelo nosso amigo Dr. D´Ávila) analisa o complexo gleno-umeral pela ótica da ineficiência biodinâmica e o trabalho para reverter essa condição é totalmente diferente, porém não menos importante que a atuação do profissional não-fisioterapeuta.
    Não existe Dr. D´Àvila qualquer interesse por parte dos fisioterapeutas sérios, isso, por parte daqueles que defendem e buscam o estado de arte dessa profissão, projeto de substituir o papel do médico, apesar da história e a evolução do tempo demonstrar que especialidades com profissionais fisiatras, nutrólogos e foniatras já não mais são necessárias ao convívio social, primeiro pela inexpressiva formação e segundo por prestarem um desserviço à sociedade com suas prerrogativas reabilitadoras e atrasadas.
    Reconheço a necessidade da Medicina ter seu ato definido e protegido, mas nem na era da reabilitação dos processos referentes à poliomielite tivemos comportamentos e pronunciamentos ridículos e sem crédito.
    Claro, temos que falar que algumas atitudes terapêuticas têm colaborado para a discussão mais acirrada em termos técnicos e científicos, mas a patética participação do Sr. Dr. D´Ávila nem de longe merece a participação nesse tipo de discussão.
    Espero ter deixado alguns pontos claros:
    a) A interdisciplinaridade é fundamental
    b) Fisioterapia não é Medicina e nem faz parte dela
    c) O Diagnóstico Cinesiológico-Funcional(DCF) é diferente do Diagnóstico Nosológico, e não menos importante
    d) A Fisioterapia evoluiu e algumas de suas intervenções são de alta complexidade biomecânica
    e) A saúde não é composta apenas de fisioterapeutas, mas temos profissionais não –fisioterapeutas que são importantes nas 3 esferas da saúde.

  • Izabella Modesto disse:

    O que é de se encabular é que os médicos primeiramente quer que os pacientes passem por suas mãos antes da realização de qualquer procedimento fisioterápico…agora eu pergunto. Os médicos não possuem um conhecimento aprofundado das técnicas de tratamento fisioterápicas? de suas indicações e contra indicações?… e os mesmos dizem que fisioterapeuta não podem fazer diagnósticos… segundo o código de ética fisioterapêutico os fisioterapeutas estão autorizados a realizar o diagnóstico cinético funcional que é de sua única e exclusiva competência…É UMA VERGONHA O PRESIDENTE DO CFM querer dominar todas ás áreas da saúde…este ato médico só é mais um capricho da medicina porquê médicos acham que são os “tals” um paciente chega em seu consultório, são tratados com descaso,são profissionais que não tem sentimentos,…o máximo que os médicos podem fazer é uma cirurgia depois disso os mesmos perguntam? e o “KIKO”ai já vem a fisioterapia que da novamente o sentido de viver ao paciente que é sua capacidade funcional mas o ato médico jamais vai ganhar das equipes pois a cada 10 medicos há 100 integrantes das diversas áreas interdisciplinares.

  • Gustavo Pacheco disse:

    ‎”A lei dos fisioterapeutas, por exemplo, diz que é privativo do fisioterapeuta aplicar métodos fisioterápicos. A lei não diz que eles podem fazer o diagnóstico e que eles podem fazer tratamento por conta própria. O que os fisioterapeutas querem? Não querem que a pessoa vá mais no médico. Querem que a pessoa vá neles para que eles então determinem que tipo de fisioterapia fazer. Isso não tem o menor sentido” Essa aqui foi a melhor parte… a minha pergunta é: Como os médicos podem dizer que tipo de fisioterapia deve fazer um paciente, se eles NÃO APRENDEM ISSO NA FACULDADE?? Será que é por esse mesmo motivo que eu não falo que tipo de REMÉDIO ou de INCISÃO CIRÚRGICA o paciente deve fazer???? quanta besteira…

  • Luciana disse:

    Tem que lutar contra a fisioterapia mesmo afinal de contas a medicina moooooooooorre de medo dela! Ridículo!

  • Lucas Miranda disse:

    é simples querem voltar pra epoca da escravidao é so apoiar o ato medico, seremos todos escravos de medicos, outra coisa niguem vê fisioterapeuta dando xilique no trabalho do medico nem querendo fazer um ATO DE FISIOTERAPIA e pq eles querem fazer isso com a fisioterapia ??? entao, quando ver um medico manda ele pastar chama de merdinha mesmo pq ele sabe muito mesmo do que um fisioterapeuta aplicado, hoje qlqr 100mil paga um diploma em uma faculdade particular de medicina, grandes merda ele nawm sabe porcaria nenhuma pq em UNIVERSIDADE PARTICULAR O ALUNO SAI DELA SEM SABER NADA PQ ELES NAWM COBRAM, SE O ALUNO ESTIVER EM DIA COM A MENSALIDADE ELE PASSA EM TUDO COM NOTA 10 DE CONCEITO A… Medico pra mim hj em dia nada mais é do que um bosta que se acha deus e na verdade sabe menos do que meus avos…

  • JOÃO GONDIM disse:

    É TRISTE VER UM COMENTÁRIO INFELIZ DE UMA PESSOA QUE DEVERIA PENSAR MAIS ANTES DE FALAR… DEVE SER PORQUE ELE É UM DOS DINOSSÁUROS DA MEDICINA, MAS ACREDITO AINDA EM PESSOA BOAS NO MEIO MÉDICO…

  • Lucas Miranda disse:

    Quer aprovar o ATO MEDICO entao aprova mas primeiro, transforma em medico: o enfermeiro, o fisioterapeuta, o psicologo, o dentista, o massagista, o tecnico de enfermagem, o fonodiologo, o terapeuta ocupacional, o assistente de fisioterapia dentre outras areas da saude.. transfome eles em medico e feche todos os outros cursos, pq do que adianta fazer faculdade e fikar feito escravo de medico se estudamos 5 anos para nos formar e mais 2 de residencia ??? a unica diferença que vejo é o preço e o nome do curso que por começar com M ja te cobram 4000mil reais pra fazer, essa é a unica diferença que vejo….

  • Marcia Maria disse:

    Realmente os fisioterapeutas não devem se meter na área médica querendo diagnósticar uma doença e realizar o procedimento fisioterápico que desejar e achar conveniente.

    O paciente tem que ir ao fisioterapêuta encaminhado pelo médico, isso sim. Até porque antes de tal procedimento existem vários exames a se fazer.

    Cada macaco no seu galho!

  • Mayara Miranda disse:

    Enquanto houver preocupação com o singular, enquanto tiver pacientes esperando para um atendimento que nem sempre é de qualidade, enquanto tiver classe que não se preocupa com o paciente e sim com a doença, NÓS, FISIOTERAPEUTAS vamos nos preocupar com o bom atendimento, com a interdisciplinaridade, nem sempre com a doença, mas na orientação para a busca da prevenção, com o paciente de um modo globalizado, lhe dando o atendimento merecido, escutando-o, tocando-o, orientando-o, aí…ah! Não há luta perdida!!!

  • carla disse:

    Isso é realmente um absusdo,medico mal esta sabendo fazer diagnostico e conduta clinica, quanto mais conduta fisioterapica…essa eu quero ver!!!!

  • Valéria disse:

    Métodos fisioterápicos é sim privativo do Fisioterapeuta. Quanto querer ou não se ele vai ao médico primeiro ou não, isso é ele quem está dizendo, mas de que adianta um paciente precisar de reabilitação e ficar só tratando clinicamente e quando o médico resolve, pois não agüenta mais o paciente encaminha “tarde” o mesmo para fisioterapia. E outra médico que prescreve “receita de bolo” para o fisioterapeuta fazer, eu sou capaz de ir e perguntá-lo como faz? Será que ele da conta de me ensinar? Cada um no seu quadrado.
    Será que estão trabalhando mesmo de consciência tranqüila, que querem proteger a sociedade, costumo dizer que não é a saúde que vai mau, e sim a falta de compromisso dos profissionais. E quem são estes profissionais ambiciosos que estão a frente?

  • Wiron. Lima Filho - Presidente SBF disse:

    Cara Marcia MAria.
    Não estamos discutindo se alguém deve ir primeiro para o médico ou para o fisioterapeuta. Em uma cultura medicalizada como a nossa, a visão da doença suplanta a visão existência de saúde e dos desequilíbrios funcionais. Isso leva a um comportamento onde a porta de entrada para resolutividade de problemas na saúde é o médico. Isso não está errado, o que está errado é que a interferência na área de domínio de outras profissões pode levar o médico à perda do domínio de sua própria área. Já temos problemas demais com atuações desastradas de médicos, sejam pelos diagnósticos absurdos e errados, ou pelas impropriedades terapêuticas. Temos que defender a sociedade de mais impropriedades sejam de médicos, fisioterapeutas ,ou qualquer de outro profissional e claro, que “barrar ” o Ato Médico (nos termos atuais) é uma forma inteligente, deixando para os nobres colegas médicos a arte do exercício da Medicina e só. O resto se consegue com INTERDISCIPLINARIDADE!
    Abs
    Dr. Wiron Lima
    Fisioterapeuta e Consultor em Saúde Funcional pela Sociedade Brasileira de Fisioterapia.

  • Murillo Pablo disse:

    Realmente isso é uma vergonha !!!!
    Acho que tem espaço para todos !!!

  • Grace disse:

    Ridiculo! Ridiculo mesmo! Um presidente falar tanto absurdo. Realmente, sou a favor da aprovação, caso vocês, Srs. médicos, que hoje em dia mal sabem diagnosticar uma pneumonia hoje (falando que é virose), cumprirem todos os anos dos demais profissionais, e ai sim poder diagnosticar um tratamento efetivo para os pacientes. ESTUPIDO.

  • lena disse:

    nossaaaaa… que vergonha!!! deixem os fisioterapeutas trabalharem e crescerem em paz, pois muito eles podem fazer pelos seus pacientes.

  • D. Marinho disse:

    Um médico que emite um comentário desse merece poucas palavras! Lamentável uma classe tão importante e respeitada de nossa sociedade ser dirigida por um profissional conservador, desgregador e anti-ético!

  • Hugo disse:

    É a incapacidade de processar informações globais, abrangência de visão e necessidade da saúde pública no Brasil e no mundo, gerando esse tipo de declaração. Fico triste pela representação que nossos amigos médicos tem no Brasil e imagino a vergonha da grande maioria. Bom, eles que troquem de representação, o mais rápido possível.
    Abraços, saúde

  • João Victor Moreira de Carvalho disse:

    Na minha opinião, concordo com a maioria dos médicos. Não generalizando, como médicos querem ter a palavra final em todos os diagnosticos sendo que a grande maioria erram diagnósticos, e casos cirurgicos de esquecimento de materiais cirurgicos em paciente. Outra coisa, seres humanos foram criados para compartilhar, dividir todas as suas responsabilidades, pois sem o proximo nós não somos nada. Congressos estão sempre comunicando que tratamentos e outras são de responsabilidade multiprofissional, e agora por qual motivo médicos de todas as laias querem exclusividade. Cadê o respeito com pacientes de atendimento público???? Particular, esses safados atendem como se as pessoas fossem da sua própria familia, o resto como a propria palavra fala neh é resto. Pessoas ainda ficam revoltadas com o que aquele dinamarques se eu não me engano falou mal do Brasil. País corrupto, fabrica de bandidos, tudo por causa de desigualdade, querendo sempre reprimir aquelas pessoas de qualidade de vida inferior as dos doutores. Resumindo, fale para esses “Doutores” filhinhos de papai e drogados, diagnosticar, tratar, ficar 50 minutos fazendo atividades de melhora de qualidade de vida, aplicar injeção em postinhos, trocar soro de paciente, mudar eles de decubitos de 2 em 2 horas, aspirar paciente entubado, troca fralda de pacientes em coma ou necessitados, etc…
    QUEREM EXCLUSIVIDADE NA VIDA ENTÃO FAÇAM TUDO, E COM CARINHO E RESPEITO PORQUE ISSO ACABOU A MUITO TEMPO NESSA PROFISSÂO QUE SALVAM VIDAS E QUE VOCÊS, SÓ PENSAM EM ANDAR DE CARROS DO ANO E PASSAR FÉRIAS NAS PRAIAS!!!! AGUARDO RESPOSTA E APOIO!!

  • Sou contra!!! disse:

    Minha mãe é Fisioterapeuta e já teve um paciente cujos médicos haviam desenganado, que não andaria mais. Depois do tratamento adequado que ele recebeu voltou até a dirigir.
    O Ato Médico é um retrocesso na história médica do nosso país, pois não há tal profissional apto a medicar e entender tanto de todas as áreas da medicina!

  • E marques disse:

    Antes de extender o braço sobre todas as áreas o conselho federal de medicina deveria obrigar seus carniceiros a fazer prova antes de liberá-los para exercer e punir devidamente os monstros com ego inflado que surgem desta tão manchada ciência.

  • Luana disse:

    Me descupe Senhor do conselho de medicina,esta totalmente equivocado com todos estes absurdos não queremos “roubar” a sua função de diagnosticar o caso clinico, nossa função é diagnostico cinetico funcional que totalmente diferente.

  • Este indivíduo é um maluco de pedra, pois ele joga fora toda uma história de conquistas e evoluções que ocorreram ao longo dos tempos. Acredito que ele queira ainda fazer a Medicina Aristotélica, onde o “médico” era tudo, até mago, podia fazer magias e tudo o mais.
    O cara endoidou de vez, e é inacreditável que uma profissão tão nobre como a Medicina deixa ter como líder um sujeitinho destes.
    Joga fora a evolução da humanidade para baixo do tapete e acha que tem toda a razão do mundo.
    Nós, profissionais de Fisioterapia que fizemos história na profissão a custa de muito esforço, estudo e pesquisas, inclusive algumas das quais os senhores médicos utilizam para seus tratamentos, temos provado ao longo do tempo que temos competência para estabelecermos como profissionais autônomos e podemos ser uma porta de entrada no sistema de saúde, sim. Isso é uma evolução e o povo está ciente disso, graças ao desempenho de bons profissionais.
    Os bons médicos acreditam e utilizam dos serviços de fisioterapia e dos fisioterapeutas quando querem o bem dos seus pacientes. Isso tem acontecido e nos deixa muito tranquilos.
    Não queremos destronar ninguém, apenas termos nosso espaóc garantido de atuação conforme a lei que nos regulamentou, que diz que temos autonomia para diagnóstico funcional e tratamento com os métodos e técnicas típicas da profissão.
    Não fazemos o mesmo que os médicos, somos diferentes e temos o nosso jeito de atuar.
    Tenho dito!

  • Luana disse:

    Me descupe Senhor do conselho de medicina esta totalmente equivocado, estamos aqui para atuar como uma equipe, sempre vamos depender dos médicos e vice-versa. Faremos o possivel para este absurdo seja desfeito, não queremos atuar como médicos e assim ajudar para que seu trabalho seja completo.

  • Flávio Borges disse:

    Eu sou fisioterapeuta e não estou nem um pouco preocupado com o CFM ou com o que o presidente diz, pois eu só devo satisfações ao meu conselho profissional, e este me garante por lei que é privativo do fisioterapeuta dar o diagnóstico cinesio-funcional e prescrever o tratamento fisioterapêutico. O CFM não é maior nem melhor que os outros órgãos de classe e a regulamentação da medicina não irá sobrepor a regulamentação das outras profissões, por isto, sigo tranquilo minha vida, fazendo o melhor pela recuperação dos meus pacientes, que é o que realmente importa.

  • Juliana disse:

    Médico sabe reabilitar? Eles prescrevem cada coisa que se a gente fosse usar no tratamento…tsc.tsc…ao invés de se preocuparem com a gente, poderiam se preocupar mais em aprender a intubar e trocar traqueostomia…

  • Rodrigo Ferreira disse:

    Muito Interessante os medicos se unem em prol do ato médico mas esses mesmos que se preocupam em DOMINAR todas as profissões da saúde , e claro, sem ter a mínima noção da maioria delas , não se unem em prol da qualidade de ensino nas milhares de faculdades de medicina espalhadas pelo país , formando péssimos profissionais, cometendo milhares de erros grosseiros que muitas vezes comprometem a funcionalidade ou até a vida desses pacientes … e quem segura a bomba depois ?? NÓS FISIOTERAPEUTAS !!! Muitas vezes identificando esses erros e tratando corretamente. Isso sem falar de medicos que não tem o minimo de ética profissional e traçam detalhadamente uma conduta fisioterapeutica , sabendo que n entendem NADA de reabilitação
    Como pode dar certo uam medida como essa dar certo ? Se ja Está ruim todos sabemos que tende a piorar …
    Bom …. Isso é a saúde brasileira

  • Patricia disse:

    A cada dia tenho mais certeza que no curso de medicina tem uma matéria chamada ENDEUSAMENTO! Os caras saem da faculdade achando que tem o direito de ter controle sobre tudo. Acham que são onipotentes. É tão simples… basta respeitar o espaço do outro. Cada um estudou o tempo necessário para que estivesse apto a exercer a função que lhe compete!!
    Aprovem sim o Ato médico e quando tiverem problemas no ventilador em um CTI nem pensem em gritar “FISIOOOOO”. Dominem ventilação, dominem um programa de reabilitação cardiaca nos seus varios níveis, dominem eletroterapia, reabilitação neurofuncional, biomecanica…
    Deveriam juntar-se aos outros profissionais da área da saúde para agregar conhecimento, cada um dentro da sua função e, assim, priorizar o bem estar do paciente. Pois, afinal “O MÉDICO VALE MUITO, MAS O PACIENTE VALE MUITO MAIS”!

  • GIZELE PIRES RIBEIRO disse:

    É MINHA GENTE TUDO ISTO PROVA O MEDO DO PRESIDENTE DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA!! A FISIOTERAPIA AVANÇOU E MUIITO ACHO QUE O DR. ROBERTO D’ AVILA DEVIRA CONVIVER MAIS COM A REALIDADE PRINCIPALMENTE NOS HOSPITAIS A TAL GRANDE IMPORTÂNCIA DO FISIOTERAPEUTA, NÓS ESTUDAMOS, SABEMOS NOSSOS LIMITES E RESPEITAR OS OUTROS PROFISSIONAIS!!

    E DITADURA ACOOORRDAAAAAAA!!

  • E a questão do médico dizer o tratamento que o paciente ira fazer…
    ele pode indicar a fisioterapia, rpg, pilates e entre outros, mas nunca trasar o tratamento….
    por muitas vezes ja chegou guia nas minhas mãos de médicos trasando o tratamento….
    sera que nisso nós nao estamos sendo respeitados, pois o objetivo da fisioterapia é reabilitar, mas antes temos que ter o nosso diagnostico através de testes por exemplo e o tratamento com seus objetivos… eu queria saber entao pra q nós estudamos desde o 1° periodo ate o ultimo fazendo anamnesia?

  • FELIPE GOULART disse:

    EU TENHO TANTO COLEGAS, PARENTES QUANTO PACIENTES MÉDICOS, E CADA VEZ QUE CONVERSAMOS FICO MAIS ESPANTADO COM O QUANTO ELES DESCONHECEM A NOSSA ATUAÇÃO.
    OS QUE SÃO MEUS PACIENTES CONCORDAM QUE NUNCA TERIAM ESTE TIPO DE TRATAMENTO (OSTEOPATIA)SE TIVESSEM QUE SER INDICADOS POR COLEGAS MÉDICOS.
    EXISTEM PÉSSIMOS PROFISSIONAIS EM TODAS AS PROFISSÕES, NÃO DEVEMOS JULGAR A CLASSE POR EVENTUALIDADES OU FATALIDADES, MAS CREIO QUE OS “REPRESENTANTES” DA MEDICINA AINDA TEM MUITO O QUE APRENDER E ACEITAR PARA FAZER O REAL BEM A SOCIEDADE.
    E ACREDITO QUE ESSA NOVA GERAÇÃO JÁ ESTÁ NADANDO EM DIREÇÃO DIFERENTE.

  • Lúcia disse:

    Dr.Wiron. Lima Filho – Presidente SBF –> comentário perfeito.

  • Raphaela disse:

    Eu fiz faculdade 4 anos pra nao poder exercer!?
    Sim, nós podemos fazer o fisiodiagnóstico e cabe ao fisioterapeuta escolher o melhor tratamento, ELE é o profissional que estudou para isso; e outra, se o tratamento escolhido pelo médico prejudica o paciente, quem é processado é o fisioterapeuta que utilizou o mesmo, então é óbvio que temos que rever o diagnóstico e principalmente o tratamento. Se os médicos pretendem escolher qual o melhor tratamento fisioterápico, encarem mais 5 anos de faculdade e formem-se fisioterapeutas também. Absurdo ler certas coisas.

  • HENRIQUE LOTT NOVAES SOBRINHO disse:

    É TRISTE LER E PENSAR COMO UMA PESSOA PODE SE PRESTAR A DAR UM ESCLARECIMENTO REPUDIANDO UMA CLASSE QUE SÓ QUER SEU ESPAÇO QUE POR ELE BEM VISTO QUE ESTA SEMPRE EVOLUINDO ISSO POR QUE BUSCAMOS CONHECIMENTO E PROCURAMOS ABRANGER CONHECIMENTOS.

  • Sauro Martins disse:

    A reportagem não foi muito clara com a essencia da notícia, a impressão que se mostrou que todos devem ir primeiro para o médico primeiro se diagnosticar e na verdade essa cultura já está na “pele” dos brasileiros, falta muita informação a população quanto a isso, tratamos qualquer alteração, seja fisio, psico e etc. como doença e o primeiro profissional que vem a cabeça é o médico, mas com isso temos profissionais que usam o cargo e beneficios de prestigio na área para se beneficiar levantando uma briga antigo que é o “Ato Médico” nos termos que querem, vamos falar no popular “sem condições”, o médico não pode querer dominar outra área da saúde na qual não tem conhecimento nem embasamento necessário a isto. Temos que de forma consciente orientar e informar a população e também pedir a todos profissionais de saúde (médicos, fisioterapeutas, Pscicologos, etc) que trabalhem isso também , o médico tem que se aperfeiçoar a medicina, o fisioterapeuta a fisioterapis e assim por diante…

  • eleonora Vasconcelos disse:

    Se dentro da área de saúde cada um fizesse com competência sua parte, sem ficar criticando ou vigiando o trabalho do outro, não estaríamos passando por essa calamidade no Brasil……o importante é mostrar serviço e competência, e não ficar discutindo espaço…..nós fisioterapeutas somos competentes e não costumamos dizer não a palavra trabalho, que esta sempre acima da palavra dinheiro……

  • Guilherme de borges dias disse:

    Vejo com tristeza a entrevista do presidente do conselho federal de medicina; Porem consigo entende-lo ! Nao e nada facil perder o ar de semi deuses que alguns medicos incorporaram, muito menos serem questionados quanto a certos procedimentos medicos .Amigos o ato medico e uma decisão politica e nos somos a maioria… vamos pro jogo !!! Apoio a quem nos apoia e repudio a quem e contra ou que nao se pronuncie.Digo mais ,e preciso uma campanha para que nos profissionais de saude nao votemos em nenhum medico, pois so assim fariamos um numero maior de vereadores, prefeitos ,deputados… ai sim era hora do xeque mate.Pense amigos!! bate boca com medico nao resolve nada. A soluçao e articulaçao politica; so isso muda a situaçao.

  • Claúdia disse:

    Não sou fisioterapeuta, muito menos médica mas, acho que esse senhor está muito equivocado, sou leiga nas duas profissões mas, já fiz precisei de tratamento médico e fisioterápico, quando isso aconteceu, o médico me atendeu,examinou,diagnosticou minha doença,medicou, fui operada, tudo realizado por médico, depois de tudo isso ele me indicou o tratamento fisioterápico e aí sim o profissional da área tratou do meu problema com técnicas de fisioterapia em cima do diagnóstico do médico, acho que é assim que já funciona, não vi nenhum fisioterapeuta fazer diagnóstico nem precrever nenhum medicamento para ninguém na clínica que me tratei.
    Esse senhor está achando que médico é Deus e que eles entendem de tudo o que se relaciona a todas as outras áreas da medicina, bom se fosse assim, porque indicam psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas, etc.,se já são conhecedores de tudo.As faculadades de medicina estão muito longe de conseguir um ensino desse nível. Toda vez que converso com fisioterapeutas eles dizem que o paciente tem que procurar o médico primeiro,não sei, sinceramente de onde o CFM tirou essa idéia, só sei que os médicos são incapazes de fazer o tratamento que os fisioteraputas fazem, até mesmo porque eles não tem conhecimento técnico pra isso, trabalho com médicos e sei disso.

  • Milane Sá disse:

    É no mínimo lamentável o que o Dr° Roberto D’avila pensa sobre a fisioterapia. Não queremos tomar o espaço de ninguém, muito pelo contrário. Nós fisioterapêutas lutamos pela saúde e bem-estar de nossos pacientes. Talvez o senhor pense então o porque de escolhermos tal profissão. Talvez seja porque nós os fisioterapêutas lutamos em prol de nossos pacientes e para nossos pacientes, o que queremos é reintegrar essas pessoas novamente a sociedade, se não proporcionando a elas a saúde plena, ao menos dando-lhes melhores condições de vida. Fica a dica para alguns caros colegas da medicina: Lutem pela saúde de seus pacientes, não pela “integridade” de seus bolsos!

  • Joceli disse:

    Mas foi uma pena Roberto D’avila ter esquecido de comentar o quão superiores os médicos são… que foram eles que indicaram os melhores recursos pra Deus utilizar ao criar o mundo. Deixando bem claro que os medicos são semi-Deuzes e os demais profissionais meros coadjuvantes e totalmente dispensaveis.
    Eu só não entendo pq os outros profissionais teimam em estudar por tantos anos pra poder escolher o melhor recurso para tratar seu paciente, se é tão simples receber pronta uma “receita de bolo” de um semi-Deus e aplicar.

    aiai é tanta hipocrisia!!

  • Marcelo Pedrosa Freias disse:

    Esse cara não sabe nem onde é o umbigo dele! A dor de cotovelo consiste no crescimento da Fisioterapia, e cada vez mais, médicos despreparados estão cometendo desde erros simples como um fácil diagnóstico até erros gravíssimos como cirurgias. E com tudo isso querem mandar em que? Senhores médicos (não todos, mas uma grande maioria) cuidem de sua atuação que cuidamos da nossa!

  • Dr Ismair Lourenço disse:

    quando o Sr sabe tudo sofrer um acidente automobilístico e ocorrer uma fratura de fêmur e utilizar um fixador externo ilizarov e for encaminhado a FISIOTERAPIA vou torcer para o fisioterapeuta virar e falar para o Sr sabe tudo, faça vc mesmo pois já que queres tanto a nossa técnica pois então se vire… estou na torcida

  • Valquíria disse:

    Acho engraçado alguém que estuda praticamente o mesmo tempo que nós fisioterapeutas, achar que tem a capacidade e a formação necessarias de diversas profissões, caso você não saiba os fisiotepeutas dão o diagnostico cinético-funcional e não o diagnótico clinico que este sim é determinado por vocês, nós ao contrario de vocês não estamos querendo tomar a área de atuação profissional de ninguém, vocês salvam a vidas e nos é que fazemos ela continuar valendo a pena, é só perguntar a todos os milhares de pacientes por nós recuperados pelo mundo inteiro, e nunca dizemos a eles que não retornem ao médico, pelo contrário sempre incentivamos a idá ao médico para controle e prevenção de doenças, em uma verdadeira promoção de saúde.

    Estudamos tanto ética, e vocês agora o que estão fazendo, estão sendo éticos?

  • Eli disse:

    Lamentável. Se a Fisioterapia vem crescendo e progredindo mais do que a Medicina a culpa é da própria classe médica. Ainda acho que o médico deverá prescrevea/solicitar avaliação da FST. O diagnóstico realizado pela FST é funcional, e não médico. Infelizmente os próprios médicos vêm perdendo o foco de quais são as suas obrigações, não sabem diagnosticar adequadamente, e portanto não têm capacidade de dirigir o tratamento. Infelizmente a Graduação da Medicina vem se tornando cada vez mais falha, deplorável, é a falta de conhecimento e “humildade” que torna o ATO MÉDICO uma realidade. Deveríamos, antes de mais nada, nos preocuparmos com o PACIENTE, e não com o próprio ego ferido.
    Aceito as indicações e prescições/solicitações médicas, mas quem decide qual procedimento utilizar sou eu! Já ouvi absurdos, já solicitaram que realizasse técnicas fisioterapêuticas Contra-indicadas em alguns casos, mas nada que um bom diálogo não resolvesse. Parte da culpa é da FST, não ganhamos para assumir responsabilidades dos médicos, que são muito bem pagos para isso. Fisioterapeutas… Não se revoltem… Basta continuarmos atuando de acordo com a lei…

  • Érica disse:

    Médicos estamos em 2011, a era da pedra já passou, a Fisioterapia vem crescendo e provando através de pesquisas seus bons resultados na avaliação, diagnóstico cinético funcional e tratamento, não é atuação do médico decidir tratamento fisioterapeutico, pois os médicos não estudam fisioterapia.

  • Fernanda disse:

    A classe medica teme mt o avanço da fisioterapia, isso está mais que claro, em nenhum momento o pct ira de deixar de passar no medico, mas NAO É CORRETO O MEDICO PASSAR PRO FISIOTERAPEUTA A SERIE DE EXERCICIOS QUE IRAO SER REALIZADOS, eles nao estudam pra isso! QUE ESTUDA PRA ISSO È O FISIOTERAPEUTA!
    isso tudo é medo, pois como eles mecionam, o ‘ AVANÇO DA FISIOTERAPIA’!

  • Caroline disse:

    Não entendi o que ele quis dizer com: o fisioterapeuta NÃO PODE determinar que tipo de fisioterapia fazer. Também não acho que o fisioterapeuta possa fazer diagnóstico clínico e sim o diagnóstico FUNCIONAL como aprendemos na faculdade, assim como é função do fisioterapeuta determinar que tipos de métodos fisioterapêuticos serão usados no tratamentos e não o médico com indicação de: US, infravermelho e TENS, como se isso fosse a única coisa que se faz na fisioterapia.

  • Fabio disse:

    O presidente do conselho de medicina é a cara desse Brasil, uma VERGONHAAAAAAAAAAAA

  • fabiana disse:

    Nossa! Que texto mal escrito. Cheio de erros de português. ..dói só e ler e idenificar tanto” assassinato” na língua portuguesa…o conteúdo então,sem comentários… um porém: se ao fisioterapeuta não cabe estabelecer as condutas fisioterapicas e sim aos médico s (conforme
    relato desse senhor)a eles tbm pertence o poder de estabelecer as condutas para os cuidados de uma VACA doente…ho palhaço

  • silvia disse:

    Vergonhoso! Por que uma grande parcela dos médicos acham que são os donos do mundo? Desçam daí, abaixem esses narizes empinados e trabalhem junto com os demais profissionais da saúde. Ridículo quando ele comenta que o Fisioterapeuta não deve decidir pelo tratamento fisioterapêutico. Eles só sabem prescrever: US X POR DIA.Será que eles acham que sabem mais dos procedimentos fisioterapêuticos que os próprios FISIOTERAPEUTAS?

  • Aline disse:

    Art 1º – Fica incluída no Grupo-Outras Atividades de Nível Superior estruturado pelo Decreto nº 72.493, de 19 de julho de 1973, com as alterações posteriores a Categoria Funcional de Fisioterapeuta, designada pelo código NS-943 ou LT-NS-943.
    Parágrafo único – A categoria funcional de que trata este artigo compreende atividades de nível superior, envolvendo supervisão, coordenação, programação e execução especializada referente a trabalhos relativos à utilização de métodos e técnicas fisioterápicas, avaliação e reavaliação de todo processo terapêutico utilizado em prol da reabilitação física e mental do paciente.
    Art 2º – As classes integrantes da categoria funcional prevista no artigo anterior distribuir-se-ão na forma do anexo deste decreto e terão as seguintes características:
    Classe “C’’ – atividades de planejamento, supervisão, coordenação, orientação, avaliação, controle e execução em grau de maior complexidade;
    Classe ‘’B’’ – atividades de supervisão, coordenação, orientação, programação, controle, avaliação e execução especializada, em grau de maior complexidade;
    Classe “A’’ – atividades de supervisão, coordenação, orientação, controle, programação e execução especializada.

  • Aline disse:

    RETIRADO DO CÓDIGO DE ÉTICA DA FISIOTERAPIA: VII – informar ao cliente quanto ao diagnóstico e prognóstico fisioterápico e/ou terapêutico ocupacional e objetivos do tratamento, salvo quanto tais informações possam causar-lhe dano; Art. 9º. O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional fazem o diagnóstico fisioterápico e/ou terapêutico ocupacional e elaboram o programa de tratamento.

  • Dione Scherer disse:

    É repudiante ler tantos absurdos escritos pelo presidente do conselho federal da medicina!! A quem você está querendo enganar?! NÃO AO ATO MÉDICO e a verticalização da saúde que os médicos estão querendo fazer todos os demais profissionais da saúde e os usuários dela engolirem a seco!! Sr. presidente, tenha um pingo de respeito por si mesmo e principalmente aos demais profissionais da saúde, pois sem eles, você também não trabalha!!!

  • FÁTIMA CRUZ disse:

    LAMENTÁVEL….ESSE SENHOR REALMENTE NÃO TEM A MENOR IDÉIA DO QUE UM FISIOTERAPEUTA FAZ.

  • Tanise disse:

    No PL do ato médico, está escrito que é privativo do médico fazer diagnóstico nosológico. Ok. Vocês estudam para ter esta competência.
    Nós fisioterapeutas estudamos entre 4 e 5 anos para ser capazes de fazer uma ótima avaliação, concluindo um Diagnóstico Cinético-Funcional, que pode e até deve ser complementado pelo Nosológico, e montar um tratamento com vários recursos para melhorar a FUNÇÃO, ADM, qualidade das AVDs.
    Mas agora a PL quer deixar privativo aos médicos prescrição de tratamento…
    Acredito que depois de 4 anos, se virando com falta de aparelhos, seja por estar estragado (acontece muito em faculdade federal) ou por apenas não ter, e ainda assim ver o paciente ir embora evoluindo e sentindo-se bem, nos dá tal direito.

  • Pedro Henrique disse:

    essas pessoas são podres, sou fisioterapeuta e vejo a cada dia que a fisioterapia, psicologia, nutrição, odonto, educação física e etc estão crescendo a cada dia e a classe médica está com medo de perder espaço na sociedade. sei que as nossas classes estão melhorando pq trabalha com amor e respeito às pessoas que estão nos procurando, agora da parte deles( tenho serias dúvidas). estão com medinho……

  • Dan disse:

    Lamentável!!!!!! Ano passado passei por um problema de saúde, usei vários remédios, mas a única solução foi a fisioterapia!! Fui encaminhada a fisioterapia por uma médica excelente, e que realmente reconhece a importância da fisioterapia.. porém, a própria fisioterapeuta relatou que sempre precisa explicar o seu trabalho aos médicos, pois a maioria desconhece o que ela faz. Parabéns aos fisioterapeutas pela linda profissão, e tenho certeza que são muito bem capacitados para realiza-lá.. E seguindo a discussão a medicina é muito importante sim, existem médicos excelentes, porém não são capazes de fazer tudo, precisam dos demais profissionais da saúde.

  • Lucas disse:

    Esse Presidente Do CFM ta querendo brincar de ser Deus mesmo Viu,si coloca no seu lugar seu bosta!

  • Vanderson disse:

    Tem uns médicos se achando especialista em fisioterapia, quando encaminha o paciente para a fisioterapia já encaminha com o exercicios, uso de eletro, calor e gelo para o paciente. como se eles soubessem e tivessem avaliado o paciente. kkkkkkkkkkkkkkkkk bando de incompetente.

  • Simone Contatori disse:

    SEMI DEUSES!!! COITADOS!!! DEVERIAM TODOS ELES ALÉM DE TODOS OS TANTOS ANOS QUE DIZEM QUE ESTUDAM (POUCOS SÃO OS QUE ESTUDAM DE VERDADE E O RESTO TEM O DIPLOMA COMPRADO PELO PAPAI) INCLUIR TRABALHOS E TRABALHOS DE HUMANIZAÇÃO, CARGA HORÁRIA DURANTE TODO O CURSO SOBRE COMO CUIDAR DE GENTE COM AMOR E RESPEITO. MÉDICO QUE TEM AMOR E RESPEITO NÃO EXISTE, SE EXISTEM CONTAMOS NOS DEDOS.

  • KKK disse:

    Médicos pensão que são deuses, o que ele diz é um absurdo e diz ainda que e presidente do conselho de medicina aff…

  • guilherme disse:

    O presidente do conselho de medicina, deveria se informar antes de sair dizendo besteiras. temos competencia para realizar diagnosticos cinetico funcionais e tambem pedir exames complementares.
    Entao nao venha com esse papo furado sr.presidente historia!

  • Paciente... disse:

    Absurdo? Absurdo é fisioterapeuta se achando Doutor. Já fizeram doutorado por um acaso? Q eu saiba nenhuma profissão só com a graduação tem dieiro a esse título (exceto médico). Nem advogados (q se acham os Doutores) não têm esse direito.. Faço fisioterapia na “Ortopedia Sudoeste” em Brasília e não suporto ficar ouvindo as secretárias chamarem os fisioterapeutas de doutores!!! É ridículo, parece q é p impor uma competência q eles NÃO têm, não têm pq a habilidade deles é outra. Mas não são doutores!

  • Paciente... disse:

    Absurdo? Absurdo é fisioterapeuta se achando Doutor. Já fizeram doutorado por um acaso? Q eu saiba nenhuma profissão só com a graduação tem direito a esse título (exceto médico). Nem advogados (q se acham os Doutores) não têm esse direito.. Faço fisioterapia na “Ortopedia Sudoeste” em Brasília e não suporto ficar ouvindo as secretárias chamarem os fisioterapeutas de doutores!!! É ridículo, parece q é p impor uma competência q eles NÃO têm, não têm pq a habilidade deles é outra. Mas não são doutores!

  • Filipe disse:

    Pensem aonde vocês iriam primeiro para afastar possíveis diagnósticos. O médico é primeiro formado generalista e é por isso que tem a capacidade de identificar possíveis patologias. E como dar o diagnóstico do “bem estar” ou “saudável” se não souber, por exemplo, se não puder dar o diagnóstico do “não estar bem” ou “não saudável”? A história é bem mais complicada. O Ato Médico é pra defender o direito do cidadão, principalmente aquele mais pobre. Porque você, fisioterapeuta, psicólogo ou nutricionista, vai ter um colega médico pra dar uma olhada nos seus exames, vai ter dinheiro pra afastar certas patologias. Muitos cânceres por exemplo começam com queixas musculares apenas, e é sim preciso passar pelo médico; a conversa é outra. Não vamos prescrever qual fisioterapia fazer, não se trata disso. Agora vamos encaminhar sim. É simples assim! Acontece que quem quer ser médico, deveria fazer medicina e não fisioterapia! Deveria ser fisiatra e não fisioterapeuta, isso não torna uma profissão submissa a outra necessariamente; mas são competências diferentes. Somos todos submissos a Lei; e nem a própria Lei consegue se impor na medicina, é isso que queremos, a Lei.

  • Sergio Soares disse:

    A FISIOTERAPIA É UMA REALIDADE, CONSOLIDADA E EMBASADA NO CONHECIMENTO CIENTIFICO. QUE GANHA ESPAÇO NA SOCIEDADE E CHAMA ATENÇÃO DA REALIDADE DA SAÚDE NO BRASIL. ONDE OS MÉDICOS NÃO CUMPREM O SEU VERDADEIRO PAPEL SOCIAL E JUSTIFICAM OS SEUS ERROS AGREDINDO OUTRAS PROFISSÕES. SERÁ QUE ESTE SENHOR QUE SE DIZ PRESIDENTE DO CONSELHO DE MEDICINA , CONHECE O VERDADEIRO PAPEL DO FISIOTERAPEUTA NA SOCIEDADE?
    E GOSTARIA DE SABER, SE UM DIA ELE PRECISAR DE UM FISIOTERAPEUTA, QUAL SERIA A CONDUTA DELE?

    ESTAS CRÍTICAS VAZIAS E SEM FUNDAMENTO SÓ FORTALECE A UNIÃO DOS FISIOTERAPEUTAS E OS DEMAIS PROFISSIONAIS DA SAÚDE.

  • Aline Bueno disse:

    JUÍZES RESPEITAM ADVOGADOS, ADVOGADOS RESPEITAM ESTAGIÁRIOS TUPO PELO UMA BOA JUSTIÇA! E A NOSSA SAÚDE COMO FICA SE MÉDICOS NÃO RESPEITAM FISIOTERAPEUTAS E MUITO MENOS PSICÓLOGOS ONDE VAMOS PARAR DESSE JEITO COM ESSA QUEDA DE BRAÇO E PODER…!

  • Edu disse:

    Que médico sem conhecimento!!! Que absurdo falar que os fisios não podem saber o tipo de fisioterapia a fazer no paciente. Então eles tem dentro do curso de medicina um curso de fisioterapia incluido? Acho que ele bateu a cabeça antes de dar a entrevista só pode. Cade o coffito para processar ele pode difamação ou qualquer outra coisa?Sinceramente, os médicos devem achar que os fisioterapeutas vão a faculdade para aprender a fazer massagem, acho que nunca tiveram o trabalho de ver a grade curricular que compõe o curso. Ao contrario dos médicos, os fisioterapeutas avaliam os pacientes, fazem anamnese, exame físico, testes específicos e só depois fazem o diagnostico funcional e determinam a sua contaduta. Quando vamos ao médico, mal perguntam o que sentem e já estão com as receitas prontas. Acho que os Doutores, quer dizer graduados em medicina, que se acham os doutores, não tem nem capacidade de fazer o diagnóstico clínico sozinho, quem dirá fazer protocolo de tratamento fisioterapeutico, acho que ele queria fazer todo mundo rir com as declarações.

  • Flávia Araújo disse:

    Que idiota, imbecil…
    Os fisioterapeutas tem a capacidade de prescrever uma exercício, fazer uma conduta para seu paciente, quantas e quantas vezes se ver prescrições de Médicos Merdas, totalmente erradas, são absurdos os tipos de prescrições de exercícios que chega aos fisioterapeutas, estudem mais uns 10 anos, para saber o minimo que esses tantos profissionais que vcs estão querendo rebaixar a qualquer custo sabem… Respeite as profissões as escolhas, contenham-se ao que cabe a vocês, egoismo não leva ao sucesso… Seu presidente de Merda.

  • Renato disse:

    Antes do paciente passar pelo fisioterapeuta, o ideal seria que passasse antes no médico ortopedista, sempre foi assim.

    Verdade seja dita: Muitos estão fazendo alarde a respeito do ato médico, mas estão deixando passar despercebido o ATO DOS FISIOTERAPEUTAS, que atualmente, por meio dos crefitos, têm procurado abocanhar com uma fome voraz o trabalho das esteticistas, de massoterapeutas e dos educadores físicos; estética é com esteticista, massagem com massoterapeuta, mas como ambas as profissões são lucrativas, começaram a fazer propaganda negativa na internet, por culpa do crefito 3 que fez apologia a isso, afirmando que apenas massoterapia e drenagem são atos privativos da fisio. Apareceram com a “fisioterapia estética” que legalmente não pode existir, já que não é atribuição da fisioterapia segundo a própria lei que a regulamenta. Também começaram a invadir a EF, prescrevendo ginástica laboral, ato de exclusividade do educador físico, já que a mesma não é utilizada para reabilitar, mas apenas como forma de melhorar a qualidade de vida de um indivíduo saudável, melhorando seu condicionamento físico.

    Ao meu ver, os fisioterapeutas que abusaram de suas atribuições estão colhendo o que plantaram. Falam em uma perseguição que eles mesmos praticam contra outras classes profissionais, estão cheios de atitudes abusivas.

  • Ana disse:

    Como um Presidente do Conselho Federal de Medicina fala tantas asneiras… De onde ele tira conclusoes tao infundadas, inclusive a que o psicólogo quer medicar como o psiquiatra? essa NUNCA foi uma posição que os psicologos colocaram em pauta, inclusive há um respeito pelo psiquiatra qdo os mesmos encaminham o paciente para avaliação e CONDUTA do paciente.
    Ah e por favor o que acontece qdo o médico faz um diagnostico tao rapido, alguns em minutos, para diagnosticas transtornos psiquiatricos? ah faça me o favor… Caro presidente volte primeiro para a faculdade de medicina e estude por favor, os 05 anos e mais as especializações que estudamos…

  • ROMEU SERGIO DIAS BUENO disse:

    Eu acho que quando um procedimento invasivo tem que ser feita por médicos altamente especializado;porque tal procedimento precisa de pratica e técnica especifica para tal procedimento; mais em certa condições não invasiva pode ser feito por outro profissional com grau de conhecimento na área pertinente a sua formação( psicologo , fisioterapia;biomédicos;massagista e outro; que tem uma formação mais profunda em sua área;portanto o medico mais que tenha conhecimento e qualificação não pode fazer toda as área da medicina se o fazer corre risco de cometer falar no use diagnostico ou precrever uma medicação errada;o medico é um profissional de grande importância para medicina insubtuivel mais não é DEU;nâo pode fazer tudo por favor respeite outro profissional que tanto invete com trabalho e dedicaçâo para saúde da população

  • Renato disse:

    Doutor é quem possui doutorado, fato, essa de fisioterapeuta querer título de doutor só com bacharelado é total dor de cotovelo, inveja do médico.

    Cuidado, a fisioterapia brasileira anda desviando o foco para o ato médico, para que ninguém perceba a fisioterapia abocanhando outras profissões. Acupuntura, massoterapia, estética, educação física e agora andam querendo prescrever drogas para pacientes.

  • Cláudio disse:

    É verdade, vejo que a maioria dos médicos não são doutores, se julgarmos por um doutorado. Pelo menos 90% deles não tem nem mestrado! e são chamados de doutores! Pra mim, doutor é aquele que resolve o problema do paciente, porque apenas título não quer dizer nada aposto que você chama de doutor um monte de residente que ainda nem terminaram de estudar, e já se sentem! Não sou fisioterapeuta, mas já precisei da fisioterapia!
    Fisioterapeutas façam como os médicos, terminem a faculdade e usem o título, sem barreira e sem vergonha, melhor ser chamado de doutor do que de menina, moço, coleguinha, “massagista”!

  • Afonso Oliveira disse:

    Sou estudante de Fisioterapia, e acho vergonhoso ver o quanto as pessoas(inclusive profissionais da saúde) desconhecem a nossa atuação. Existe uma diferença muito grande entre diagnóstico clínico e diagnóstico Fisioterápico.
    Só Deus sabe o quanto nós estudamos avaliação diagnóstica, Semiologia, testes especiais, medidas e avaliações antropométricas, avaliação funcional, avaliação postural e da marcha, Interpretação de exames Radiológicos… entre outras disciplinas extremamente complexas.
    E cá entre nós, como é possível tratar um paciente que chega só com diagnóstico clínico sem fazer avaliação e testes para definir o que a patologia causou e está causando? Ou vocês acham que todo laudo clínico chega prontinho com todas as metas e objetivos de tratamento?
    O Fisioterapeuta é que se vire!!! Sorte dele se o paciente já chegar com o laudo, e não com apenas uma queixa de “dor”!

  • Carlos disse:

    Médico no Brasil é tudo mercenário só pensam em ganhar dinheiro e trabalhar que é bom nada … exemplo procura um médico nos feriadões em qualquer cidade do interior do Brasil .. você vai ficar chupando dedo, POR ISSO A DILMA TROUSSE MÉDICOS DE CUBA E DE OUTROS LUGARES. Acorda Brasil.

  • ALEXANDRE disse:

    Bom, quem se incomoda com eles, estamos estudando cada vez mais, cursos de quiropraxia, osteopatia, agulhamento, hoje as U.T.I.s não podem mais funcionar sem o nosso serviço, estamos atordoando o meio que ate outro dia era só de uma área, temos conhecimentos, algumas universidades possuem corpo docente altamente capacitado com pesquisadores e P.H.Ds, todos fisioterapeutas renomados, somos hoje em dia, mais que uma terapia alternativa, somos procurados em primeira mão pela capacidade diagnóstica funcional, com nossas mãos conseguimos aliviar e curar nossos pacientes, com técnicas tais como MULLIGAN, MAYTLAND, KLAPP, WILLINS, MAKENZIE, BOBATH, KABATH ENTRE OUTRAS TÉCNICAS FNP, estudamos profundamente os gânglios viscerais e nervos periféricos em técnicas osteopáticas, a sociedade esta nos reconhecendo cada vez mais, somos chamados inclusive para diagnósticos funcionais laborais pelos tribunas do trabalho, pois eles não possuem em sua grade biomecânica, somos indispensáveis a saúde publica e reconhecidos pela sociedade, então nem penso no que esses profissionais falam sobre nós fisioterapeutas.

  • Ronaldgep disse:

    buy viagra 100 mg online where to buy viagra in melbourne – how long does it take viagra to work

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *