Futebol do Povo

Na Série B 2017, com nova regra, Ceará vai receber cota maior do que apenas os times que vieram da Série C

6737 12

Ocorreu uma modificação na divisão de cotas do Campeonato Brasileiro da Série B. A partir deste ano a colocação da equipe na temporada passada (na competição, não no ranking) vai ter influência no valor a receber no ano seguinte. A decisão foi do Conselho Técnico dos clubes da Segundona, em reunião na CBF nesta semana.

O que mudou é que 18 times (as exceções são Internacional e Goiás, com valores muito maiores em função do protecionismo de sempre, respectivamente R$ 60.000.000,00 e R$ 35.000.000,00) iriam receber R$ 5.200.000,00 cada, ou seja, cota igualitária. Agora, os times rebaixados da Série A terão valores maiores e os times que vierem da Série C, valores menores. Os demais, que permanecerem na Série B, terão uma pequena variação por colocação.

Para o Ceará, em 2017, a nova regra de distribuição de renda não modificou o valor que será recebido. Pela determinação anterior, o departamento financeiro liderado por João Paulo Silva contava com a cota de R$ 5.200.000,00, valor exato do que será destinado ao clube com as novas diretrizes. Entretanto, o Alvinegro receberá mais apenas do que as equipes que vieram da Série C.

Ficou assim a nova composição (entre parênteses, a informação da posição de cada clube em 2016):

1 – Figueirense (18º na A) – R$ 6.400.000,00
2 – Santa Cruz (19º na A) – R$ 6.200.000,00
3 – América-MG (20º na A) – R$ 6.000.000,00
4 – Náutico (5º na B) – R$ 5.800.000,00
5 – Londrina (6º na B) – R$ 5.600.000,00
6 – CRB (7º na B) – R$ 5.400.000,00
7 – Ceará (8º), Vila Nova (9º), Luverdense (10º), Criciúma (11º), Brasil (12º), Paysandu (13º), Paraná (15º) e Oeste (16º) – R$ 5.200.000,00
8 – Guarani, ABC, Boa e e Juventude (times vindos da Série C) – R$ 4.100.000,00

Recomendado para você

12 Comentários

  • João Ximenes disse:

    CERTO seria uma COTA fixa DIFERENCIADA para cada divisão(A, B, C e D)

    A = 10.000.000,00
    B = 8.000.000,00
    C = 5.000.000,00
    D(que não tem cota) = 2.000.000,00

    Esse negócio de a CBF – responsável pelo futebol no Brasil – ficar omissa nas mãos de 13 Clubes(clube dos 13), e não tomar as rédeas pra si, deixando que os Clubes que se acham, venderem por conta própria as suas marcas, vendendo diretamente seus jogos e campeonato para as TV’s, patrocinadores, e a quem quer que seja.

    Essa é a única e REAL DIFERENÇA ENTRE OS CLUBES em termos técnicos.

    ACOMODOU-SE e PERDEU forças junto as emissoras de TV’s que vendo a desordem generalizada nos campeonatos, foram por debaixo dos panos e negociaram diretamente com os Clubes, que também sentido-se prejudicados aceitaram a barganha.

    É INADMISSÍVEL você assistir todo ano a queda dos chamados grandes, e os mesmos continuarem a receber COTAS ASTRONÔMICAS, dando-lhes condições de manter um PLANTEL sempre superior, não dando chance alguma para o restante dos Clubes que caminham a mingua financeira.

    Tá acabando a frescurite dos que ainda não saíram da “ESBÓRNIA FINANCEIRA” da Azona: Flamengo, Santos, Cruzeiro, São Paulo.

    Pode ser que quando acabarem-se os INTOCÁVEIS que faltam, alguém veja o absurdo que é a situação dos coitados “Clube dos 67” e tomem providências no sentido de equilibrar de uma vez as competições nacionais.

    A vez de passar pela Bzona sofrível técnica e financeira agora é do INTERNACIONAL que hoje, no seu próprio campeonato tá lá na rabeira, mas que na Bzona, com a COTA ASTRONÔMICA que continua recebendo, vai lhe dá condição de formar um TIME bem superior aos outros concorrentes, e ainda corre o risco de “arquejar” dentro da competição como aconteceu em 2016 com o Vasco da Gama.

    COTA FIXA NAS 4 DIVISÕES;
    CLUBES QUE CAEM RECEBEM COTA DA SUA DIVISÃO CORRESPONDENTE ATUAL;
    CLUBES QUE SOBEM RECEBEM COTA DA SUA DIVISÃO CORRESPONDENTE ATUAL;

    Quero só ver se a coisa não equilibra.

    Pra isso, CBF tem de tomar pra sí a responsabilidade – e como fizeram as TV’s quando viram o fracasso anunciado dos campeonatos e foram por baixo dos panos nos Clubes -, mostrar um projeto e a real situação REGIONAL de cada Clube participante em termos de NÚMERO DE TORCEDORES NAS ARQUIBANCADAS, que não vai ser nada difícil de enxergarem que esse CLUBE DOS TREZE não passa, hoje, de meros TIMES COADJUVANTES em termos de FREQUÊNCIA NAS ARQUIBANCADAS.

    Será que é tão difícil administrar, RETOMANDO pra sí, o que a cada dia que passa vai aos poucos desmoronando-se(os campeonatos estaduais) ?

    NÉ POSSÍVEL !!!!!!

    • WAGNER ALVES FERREIRA disse:

      XIMENES VOCÊ NUM DEIXOU QUASE NADA PRA FALAR ..KKKK , PARABÉNS PELO CONHECIMENTO ..MAIS É ISSO MESMO CARA PRA QUEM PAGA A TRANSMISSAÕ DOS JOGOS DO BRASILEIRÃO ..ELA A GLOBO O INTERESSANTE É QUE OS CLUBES GRANDES SEJAM SEMPRE OS MESMOS E OS OUTROS FIQUEM COM ESMOLAS MESMO..

      • LeaonaSerieB disse:

        Realmente, a Globo não tem interesse que os clubes menores cresçam. Se ficassem sempre os 4 de Sao Paulo, os 4 do Rio, os 2 de Minas e os 2 do RS SEMPRE seria o ideal para ela, o “resto” poderia ser qualquer um.

  • Carlos Cavalcante disse:

    Cabe destacar que Náutico, Londrina e CRB tinham elencos mais baratos que o Ceará em 2016 e ficaram em melhores posições. Não falo nem do Fortaleza cuja folha sempre é maior que os concorrentes e não consegue subir.

    Isso mostra como a montagem dos elencos dos times daqui é fraca e que o dinheiro advindo de cotas, rendas, patrocínios, arquibancada são mal empregados.

  • joao paulo disse:

    Em relação as cotas mostradas há uma explicação lógica para a diferenciação, a colocação do campeonato no ano anterior…Se o Ceará tivesse sido o 5º, por exemplo, receberia a mesma cota do Náutico…Não é uma divisão casuística, advém do desempenho do time em campo… Além disso, a diferença entre o que recebe mais e o que recebe menos não é tão grande…O que não pode ocorrer são as divisões de cotas do Internacional e do Goiás (principalmente esse último) que é muito maior do que a prevista para os demais clubes criando uma desigualdade marcante, que desequilibra o campeonato…

  • otoniel disse:

    A cota do Ceara sc aumentou de 4 milhoes para 5,2 milhoes.Foi um acrescimo de mais de 1 hum milhão.Agora é procurar fazer uma campanha melhor na serie B,para em 2018 fazer jus a uma cota maior ainda.Se subir de serie sera muito melhor.

    É curioso: de onde saem esses valores chutados de 4 milhões?
    Ano passado o Ceará recebeu R$ 5 milhões.
    FG

  • Carlos H. disse:

    Bem feito pros palhaços alvinegros que se acham os “bambambans”!!!

  • consciente disse:

    Eu pensei que a referencia do futebol mundial fosse receber uma cota igual a do Inter

  • Magal disse:

    E pros palhaços da terceira que nadam e nadam e nada de sair do atoleiro, morrem sempre na série CCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCC.

  • Robson disse:

    O reflexo da sociedade inserido no futebol: violência, desigualdade financeira, cota e etc… É a merda se expandindo.

  • carlos disse:

    Isso é Brasil, o Internacional e o Goiás estão disputando a liga Inglesa, porque o ceará pela torcida que tem e pela colocação que ficou poderia ter ganho mais, já é hora de o Nordeste se impor e não ficar pedindo esmola pra essa CBF, que só tem ladrão, e estender a copa do nordeste para o ano todo, e vender para uma televisão que não seja a globosta.

  • claudiel disse:

    verdade a cbf tem que olhar mas pra nossos times do norte e do nordeste

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =