Futebol do Povo

Ceará: um bicampeão incontestável

2668 52

Foto: Mateus Dantas/O POVO.

Com autoridade tática, técnica e um planejamento preciso da comissão liderada pelo treinador Marcelo Chamusca para utilizar um elenco que já atuou 28 vezes na temporada por três competições diferentes, o Ceará conquistou neste domingo seu 45º título estadual.

Como no primeiro encontro da final, quarta-feira passada, o Alvinegro venceu o Fortaleza por 2 a 1 (Pio e Felipe Azevedo para o Ceará e Adalberto para o Fortaleza), em um Castelão com o maior público do ano. Assim, para 39.920 pagantes, o Alvinegro garantiu o bicampeonato cearense, já que bateu o Ferroviário em 2017.

A campanha do elenco comandado por Marcelo Chamusca foi marcada pela utilização de todo o grupo de atletas. Envolvido também na Copa do Brasil (foi eliminado pelo Atlético-PR) e na Copa do Nordeste (é um dos favoritos ao título e vai enfrentar o CRB nas quartas de final), o Ceará escalou sua equipe reserva em 10 partidas do estadual, mas sempre que encontrava o Fortaleza pela frente tratava de escalar o que tinha de melhor. Assim, nos quatro confrontos diante do Tricolor na temporada, foram três vitórias e um empate, com sete tentos marcados e três sofridos.

O título é mais um para consolidar o trabalho de Marcelo Chamusca, que não conseguiu acompanhar a conquista porque passou mal, com queda de pressão, mas restante da comissão e atletas foram maduros para seguir em frente, sabedores que o problema não era sério.

Em seu sexto ano o treinador já conquistou três títulos estaduais. O primeiro foi pelo Fortaleza, em 2015. Em 2016 levantou a taça pelo Paysandu e agora repete um título estadual pelo Ceará, entrando para o seleto grupo de treinadores campeões por Alvinegro e Tricolor.

Também neste período, Marcelo Chamusca conseguiu um feito inédito no futebol brasileiro ao entrar para a história como o primeiro técnico a conquistar o acesso em todas as divisões do Campeonato Brasileiro, feito realizado por Salgueiro (Série D para a Série C); Guarani de Campinas (Série C para a Série B) e Ceará (Série B para Série A), tudo ao lado do auxiliar Caé Cunha e posteriormente do preparador físico Roger Gouveia.