Leituras da Bel

Os 13 porquês, série da Netflix inspirada em livro, levanta debate sobre suicídio

Clay Jensen e Hannah Baker (Foto: divulgação/netflix)

Nova série da Netflix, Os 13 porquês lança luz  sobre um assunto delicado e, ao mesmo tempo, urgente: o suicídio entre adolescentes. Produção é inspirada em livro homônimo, escrito por Jay Asher e publicado no Brasil pela Editora Ática

Por qual razão uma adolescente tira a própria vida? A nova série da plataforma de streaming Netflix, 13 Reasons Why (Os 13 porquês, em português), apresenta não um, mas 13 motivos que levam a jovem Hannah Baker a cortar os pulsos. Tratado como tabu em alguns segmentos, o suicídio é um problema tão histórico quanto urgente. Produções recentes destinadas ao público juvenil tratam do tema ou têm o suicídio como pano de fundo. Em Os 13 porquês, o mote são gravações em fitas cassete deixadas por Hannah narrando as causas da morte.

A protagonista vivenciou várias situações comuns aos adolescentes, mas, em geral, tidas como “pequenas” ou “irrelevantes”. Uma das provocações da série é colocar o suicídio como responsabilidade de todos – família, amigos, escola. Segundo o psiquiatra Henrique Luz, “pode ser considerado uma responsabilidade de todos no sentido de que os atos humanos podem impactar as subjetividades uns dos outros de maneira tão perversa e funesta que instigam o sujeito a trilhar um caminho de autodestruição”. Nesse bojo entram o bullying, o machismo e a exclusão sofridos por Hannah.

A cantora Selena Gomez (centro) fez a produção da série (Foto: divulgação/Netflix)

Ao longo da série, o espectador é confrontado com personagens complexas. Não há maniqueismos, pois os dramas particulares de cada um são pincelados ao longo da narrativa. Assim, o valentão da escola tem problemas com a mãe e a garota popular precisa lidar com a orientação sexual. Para Henrique, que também é psicanalista, há uma tendência de se buscar culpados quando uma morte acontece. “Todavia, os julgamentos extremos devem ser evitados. Não é uma questão de haver culpados e inocentes, vilões e heróis, mocinhos e bandidos. O fato é que todos devem estar advertidos de suas responsabilidades e das possíveis consequências de seus atos”, explica.

Saiba mais
Veja mais informações sobre prevenção ao suicídio

A série logo repercutiu entre várias faixas etárias. Espectadores lembraram dos próprios tempos de escola e a tag #nãosejaumporquê foi utilizada para falar da necessidade de compreender o outro. Parte do público, entretanto, condenou a abordagem ao suicídio feita na produção, alegando que ela presta um desserviço e pode induzir à autodestruição. Henrique acredita que é de grande validade que a literatura juvenil trate de temas delicados.

“Entretanto, por mais que cuidados sejam tomados, é impossível controlar e prever, com precisão, o efeito que uma obra vai exercer sobre o público que a contempla. Por exemplo, há relatos de que, no século XVIII, a publicação de Os sofrimentos do jovem Werther, um dos primores escritos por Goethe, foi seguida de uma onda de suicídios pela Europa, tendo-se atribuído a causa desse acontecimento a uma possível influência do personagem”, elabora.

Foto: divulgação/netflix

Apoio
Com o sucesso da série, cresceu em 100% o número de emails enviados ao Centro de Valorização da Vida (CVV), entidade que realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio gratuitamente. “São pessoas que estão vendo o seriado no computador e encaminham email”, diz a assessoria de imprensa do órgão. Desde a estreia de Os 13 porquês, em 31 de março, pelo menos 50 mensagens mencionaram a série.

Um dos pontos mais latentes da série é a difusão de fotografias embaraçosas através da internet. Para o psiquiatra, as redes sociais, como dispositivos de propagação de informações, podem atuar positivamente ou negativamente. “O compartilhamento não autorizado de imagens ou outros conteúdos íntimos e sexuais de uma pessoa, a reprodução de discursos de ódio, de ataques cruéis e desrespeitosos são capazes de levar o sujeito a um nível de desespero que pode conduzi-lo ao autoextermínio. Em contrapartida, nas redes sociais, pessoas angustiadas podem encontrar um espaço que lhes permite elaborar, de diversas maneiras, os mais perturbadores conflitos”.

Serviço
Os 13 porquês
Série: Primeira temporada com 13 episódios disponível na Netflix
www.netflix.com
Livro: 256 páginas, editora Ática, autor Jay Asher
Preço médio: R$ 49,90

Centro de Valorização da Vida
Realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar.
Telefone: 141 (24 horas)
Site: www.cvv.org.br
Atendimento via chat, skype e e-mail

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =