Leituras da Bel

Dois cearenses concorrem na categoria Poesia do 60º Prêmio Jabuti de Literatura

Os escritores cearenses Íris Cavalcante e Mailson Furtado concorrem na categoria Poesia do 60º Prêmio Jabuti de Literatura. O anúncio dos finalistas foi feito na tarde desta quinta-feira, 4 de outubro, no site da premiação – que é uma das mais importantes da literatura nacional. Mailson concorre com o livro à cidade, publicado de modo independente, e Íris concorre com a obra Vento do oitavo andar, publicado pela Premius Editora.”Estou com muito feliz com a indicação, pois é uma oportunidade de mostrar que uma escrita independente de uma edição independente tem qualidade de publicação e qualidade literária a ponto de concorrer em grandes palcos”, diz Mailson, que foi responsável pelo custeio da produção e da impressão de à cidade (veja mais aqui).

Os dois cearenses vão disputar a premiação com À sombra do iluminado (Pollyanna Furtado Lima, 7letras),  Câmera Lenta (Marília Garcia, Companhia das Letras), Mecânica aplicada (Nuno Rau, Editora Patuá), Mugido [ou diário de uma doula] (Marília Floôr Kosby, Edições Garupa), Naharia (Guilherme Gontijo, Kotter Editorial), O teatro do mundo (Catarina Lins, Editora 7Letras), QVASI: segundo caderno (Edimilson de Almeida Pereira, Editora 34) e Ser quando (Samarone Marinho, Editora 7Letras).

“A nossa geração está bem rica. Os cearenses contemporâneos são poetas excelentes. Temos Renato Pessoa, Dércio Braúna, Anna K Lima. Tem um trabalho muito bacana na literatura cearense de poesia. Acho que essa duas indicações só reforçam e firmam ainda mais essa geração dentro de um cenário da poesia nacional. É mais uma afirmação da nossa poesia cearense. Aliás, não só da poesia, mas da literatura”, diz Mailson, que, além de escritor, é ator e diretor teatral. Ele é residente em Varjota, interior do Estado.

Mailson Furtado

“Quase todos que se arriscam como autores independentes não têm outras opções. Mas a literatura é realmente algo que me motiva, me dá prazer e me alimenta”, explica Íris, que também realizou o financiamento do próprio livro e considera a indicação do Jabuti um reconhecimento ao trabalho bem executado. Ela também é autora dos livros Palavras e poesias (2003), O caminho das letras (2006) e O Sobrevivente (2010). Todos foram publicados em formato independente. “Estou com dois projetos literários, um romance e um livro de contos. E, quando achar que estão prontos, vou enviar para as editoras”, argumenta, que acredita na projeção dada pelo Prêmio Jabuti.

O Eixo Literatura do Prêmio Jabuti tem sete categorias. Também concorrem autores como Maria Valéria Rezende – com o livro A Face Serena na categoria Conto -, Noemi Jaffe – com o livro Não está mais aqui quem falou na categoria Conto -, João Silvério Trevisan – com o livro Pai, pai na categoria Romance -, José Almeida Júnior – com o livro Última Hora, na categoria Romance -, e Fabrício Carpinejar – com o livro Amizade é também amor na categoria Crônica. Os outros eixos do Jabuti são Livro e Inovação, com quatro e duas categorias respectivamente. Confira o resultado completo e os nomes de todos os indicados clicando aqui!

Agora, os finalistas vão aguardar pelo resultado final do prêmio. Cada livro será analisado por uma comissão e vence a obra que receber a maior pontuação em sua categoria. O sigilo sobre o nome dos vencedores é mantido até o anúncio final, ainda sem data. O autora e a editora da obra vencedora de cada categoria receberão R$ 5 mil e o famoso Troféu Jabuti. Além disso, uma obra é considerada “livro do ano” e será escolhida entre os livros vencedores das categorias que compõem os eixos literatura e ensaios.

Íris Cavalcante

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − seis =