Leituras da Bel

Pandoras inicia turnê virtual de circo feminista pelo interior do país

A partir do próximo dia 5 de setembro o país conhecerá uma nova forma de promover circulação de artes cênicas com o coletivo Pandoras. Radarani Oliveira, Izabela Nascente e Fernanda Pimenta recriaram os espetáculos Pastrana e A Visita de Chico, e articularam uma rede de exibição que, além de democratizar o acesso à produção cultural no interior do país, promoverá importantes discussões sobre o papel político e social do circo e da mulher na arte e fora dela.

Em razão da pandemia, o projeto que seria de circulação presencial em cidades das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, acontecerá em 13 diferentes canais virtuais de exibição em cada uma das localidades, envolvendo para isso uma rede de produtoras e produtores culturais de cada localidade, além de organizações sociais e coletivos artísticos. Os espetáculos passarão pelas cidades Goiânia, Cidade de Goiás, Cavalcante (GO), Campo Grande , Dourados (MS), Taquaruçu, Natividade, Porto Nacional e Palmas (TO) , Cachoeira, Alagoinhas, Salvador e Ilha de Itaparica (BA).

Após cada exibição dos espetáculos haverá um debate, sempre com figuras de destaque nacional, integrantes do projeto e moradores de cada uma das regiões, partindo de temas como “Super mulheres cômicas”, “Sexualidade e ginecologia natural”, “Mulher, mito, riso e cena”, “Mulheres na Política” e “Masculinidade saudável”.

A recriação dos espetáculos para a circulação virtual contou com a correalização da Círculo Filmes, produtora audiovisual baseada no Tocantins, e da Cultivo Projetos e Soluções Criativas, com sede em Minas Gerais. As obras dialogam entre si por trazerem a figura da mulher em primeiro plano, discutindo mitos populares e feminilidade pelo lado de dentro.

Pastrana é um espetáculo de lambe-lambe que se apropria da história da Monga – A Mulher Gorila, muito popular em feiras e circos Brasil afora, para sintetizar a história de Júlia Pastrana. Já “A Visita de Chico” remonta o imaginário da mulher moderna, que lida com a vida cotidiana e recebe a inesperada e apaixonante visita de Chico, quando tem que dar conta de um amor que é uma representação e da sociedade, que não aceita o corpo feminino como ele é.

O projeto também se desdobra nas regiões e cidades que irá percorrer. A difusão de trabalhos artísticos e culturais que abordam esses temas, contribuirá para o crescimento de pessoas interessadas e de criação de outros trabalhos que poderão surgir na própria comunidade, com grupos locais, e portanto, proliferam para todo o campo cultural regional, nacional e quiçá, internacional.

Além disso, fortalece os espaços de cultura que (r)existem nos estados fora do eixo, e nas cidades fora dos grandes centros urbanos, proporcionando ganhos culturais para esses locais e para a população que eles atendem. Por fim, o projeto proporciona um ganho cultural imensurável: coloca em cena espetáculos que expõem – mais do que uma determinada linguagem ou técnica artística – produções artísticas de mulheres sobre o universo feminino e pautam questionamentos sobre a cultura do ser mulher.

O projeto é realização do coletivo Pandoras, correalizado pela Cultivo Projetos e Soluções Criativas e Círculo Filmes . Apresentação Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, Secretaria de Estado da Cultura.

Serviço
Pandoras
Mais informações sobre o projeto podem ser acessadas no site projetopandoras.com.br
Os espetáculos passarão pelas cidades Goiânia, Cidade de Goiás, Cavalcante (GO), Campo Grande , Dourados (MS), Taquaruçu, Natividade, Porto Nacional e Palmas (TO) , Cachoeira, Alagoinhas, Salvador e Ilha de Itaparica (BA).

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *