Meu Negócio

Precisa melhorar um fluxo? Aplique a metodologia PDCA no seu negócio

Pessoas em uma sala se reúnem. Eles observam uma lousa. Ilustra a metodologia PDCA.

Foto: peoplecreations/Freekpik

Voltada para a resolução de processos, a PDCA avalia diferentes setores da empresa para chegar a um resultado eficiente

Em negócios de qualquer porte, a melhora de alguns fluxos sempre é possível. Aquele registro em estoque que pode ser efetivado em menos tempo, ou uma etapa a menos para a realização de determinado serviço. Dessa forma, é importante que a empresa realize testes para reavaliar cada atividade. Para analisar o negócio, uma das ferramentas é a metodologia PDCA, cujo significado vem de Planejamento, Fazer, Checar e Ação, na sigla em inglês.

A metodologia é configurada como um ciclo com foco na melhoria contínua, que ajuda o gestor a entender onde estão os entraves de processos e produtos, e como podem ser solucionados.  A prática pode ser aplicada em projetos, ajudando a direcionar a equipe para a identificação das falhas, de forma a aumentar a eficiência.

“A aplicação do PDCA inicia-se com o desejo do empresário de ter um diferencial com foco na qualidade, excelência e elevação do nível de serviço para torná-lo mais competitivo”, explica Roseanne Pimentel, especialista em Business Process Management (BPM)*. Ela afirma que a empresa ou empresário pode buscar uma consultoria especializada para entendimento dos negócios. “Dando início ao ciclo, que é adaptado às ferramentas, técnicas e atividades conforme o perfil e nível de maturidade da organização.”

“O PDCA tem foco na excelência, e a consequência disso é a redução de desperdícios, maior controle sobre o negócio, processos otimizados, equipe de alta performance, produtos e serviços competitivos, satisfação do cliente e, consequentemente, lucro”, encerra Roseanne..

A metodologia surgiu em 1920, desenvolvida por Walter Andrew Shewhart, físico estadunidense, pioneiro no controle estatístico de qualidade.

Confira cada estágio da metodologia PDCA:

Planejar: Nessa etapa é criado um Plano de Ação, que norteia a trajetória necessária para promover os ganhos e melhorias na empresa, identificando a meta que a empresa pretende alcançar ou o problema que precisa ser resolvido. Dessa forma, há um direcionamento prévio, antes de serem montadas estratégias. Para tanto, são utilizadas ferramentas como: Diagnóstico Organizacional, Cadeia de Valor de Processos, Análise de Maturidade de Processos, Perfil de Lideranças, entre outros.

Realizar: Aqui, é colocado em prática o Plano de Ação e incrementos de melhorias como: desenho de novos processos, para resolver eventuais entraves, implantação de novas tecnologias, treinamentos com os colaboradores de cada área, implantação da metodologia Lean, e aplicação de ferramentas de BPM.

Checar: Nesta fase, são avaliados os resultados alcançados, identificando os pontos de ajustes e melhorias, com atenção ao que foi conquistado e o que ficou dentro das expectativas do planejamento.

Agir: Nesta fase chega a hora de colocar em ação as melhorias a serem implantadas nos processos. A partir dessa ação, se pode focar os esforços no desenvolvimento de um novo ciclo, para aprimorar outro setor ou segmento da empresa.

*Roseanne Pimentel é consultora do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE)

SAIBA MAIS SOBRE PCDA

GUIA DE FINANÇAS PARA NEGÓCIOS

GUIA DE FINANÇAS PESSOAIS

GUIA DE GESTÃO DE PREÇOS

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *