Plínio Bortolotti

Canoa Quebrada: de paraíso a inferno

1370 72
Tropa de Choque da Polícia Militar na rua principal de Canoa Quebrada: foram necessários 60 policiais e um helicóptero para conter conflito entre bugueiros e turistas de "off road"

Tropa de Choque da Polícia Militar na rua principal de Canoa Quebrada: foram necessários 50 policiais e um helicóptero para conter conflito entre bugueiros e turistas

O POVO publica na edição hoje matéria de grave incidente acontecido em Canoa Quebrada [Aracati, CE], a praia que, pelo menos até durante a década de 1980, foi refúgio de velhos hippies e hippies tardios, bichos-grilo e outros tipos da mesma espécie, que gostavam de andar na contramão.

Se não me engano, a “descoberta” de Canoa deu-se depois que o hoje deputado Fernando Gabeira voltou de seu exílio europeu e promoveu a praia da lua e da estrela a status de um novo paraíso.

Mas como tudo o que é bom dura pouco, hoje Canoa é mais uma vitrina da burguesia endinheirada, que chama a sua antes modesta rua principal de “Broadoway”, ainda que seu nome oficial seja Dragão do Mar, como ficou conhecido Francisco José do Nascimento – lá nascido – o mulato jangadeiro que enfrentou o tráfico [e o tráfego] de negros sob a consigna: “No porto do Ceará não se embarcam mais escravos”.

Pois bem, bugueiros e praticantes de “off roads” – com seus carrões 4 x 4 e quadriciclos – que tiram o sossego de qualquer cristão que queira descansar nas areias da praia – se enfrentaram, houve feridos e, por pouco, a desgraça não foi maior.

Para acabar com a briga foi preciso mobilizar 50 policiais de seis cidades vizinhas e também um helicóptero.

Impunidade

A exemplo da seção que aqui mantenho “Fortaleza, terra de ninguém”, a desordem parece estar avançando célere por todos os municípios cearenses, incluindo as praias.

Se o camarada deixa de ir à Praia do Futuro para não ser constrangido pela ocupação desordenada dos barraqueiros e nem pela constância dos ambulantes que lhe abordam a cada segundo – e opta por algum lugar mais distante -, corre o risco de ser atropelado por um bugue, um “4×4” ou por um quadriciclo, os novos donos das areias.

E ai de quem ousa se queixar ou pelo menos olhar feio para alguns desses monstros de metal. A maioria desses sujeitos que anda em um veículo desses grandões, acha que comprou junto um passe para a impunidade.

E nesses carros ou quadriciclo é bastante comum ver crianças ou adolescentes dirigindo-os; os “papais” e “mamães” devem achar uma gracinha a precocidade dos filhos, que vão se transformando em novos monstrinhos.

Segundo o jornal Diário do Nordeste, uma das versões para o conflito é que “um adulto e um adolescente de 12 anos resolveram dar um passeio de quadriciclo nas dunas” [grifei]. Nesse momento um representante dos bugueiros [profissionais que passeiam com turistas também pelas dunas] teria abordado os dois, alertado para o perigo, etc.

E por que isso acontece?

Tirante as demonstrações de má-educação e falta de respeito com o próximo, acontece porque as “autoridades” preferem se omitir. Eles têm medo de perder votos pondo um pouco de ordem na bagunça.

Em matéria publicada no sábado, O POVO mostrou que dos 184 municípios cearenses, 136 ainda não municipalizaram o trânsito. As cidades viram uma verdadeira terra de ninguém; ou melhor propriedade dos carros que fazem o que querem e motociclistas que trafegam sem o equipamento básico de segurança: o capacete. O resultado é o aumento de vítimas atendidas no hospital IJF, em Fortaleza.

Fiscalizar o trânsito tira votos – e os prefeitos estão mais preocupados com a próxima eleição do que com a administração da cidade. A propósito, uma boa parte dos prefeitos nem mesmo mora no município que administra. Uma das principais providências de muitos prefeitos é comprar uma camioneta Hilux para ter mais conforto para visitar de vez em quando a cidade que “administra”.

Recomendado para você

72 Comentários

  • Plínio, pra começar, felicidade, muita paz e boa vida em 2010.

    Nestes dias estou longe do Ceará, mas o Ceará num sai de mim e por isso não foi possivel ficar indiferente a este episódio realmente lamentável em Canoa Quebrada, um lugar cheio de boas lembranças e marcante pra quem gosta do Ceará. Essa foto é totalmente chocante, como diz o clichê: fala por si. Nem consigo imaginar a tranquila vila de pescadores que conheci há mais de 20 anos invadida por uma tropa de choque para conter um briga de “estrangeiros”. Alias, a foto mostra ainda um sinal da presença dos homens de negócios numa placa da pousada do holandês, invasão que tem ocorrido em outros “paraisos” turisticos, nao apenas no litoral.

    Soma-se a esses conflitos e outras mazelas, a aculturações que têm sofrido os moradores desses recantos turísticos. Muitos trabalhadores, principalmente pescadores largam sua atividade produtiva para servir ao turismo. Nada contra se isso não causasse um impacto grave na produção local. Um trabalho acadêmico realizado no inicio dos anos 90 por um aluno do curso de Eng de Pesca da UFC identificou que apenas um em cada quatro filhos de pescadores artezanais do Ceará desejava seguir a profissão do pai. Isso se devia muito a falta de apoio ao rabalho de pesca, mas a atração do insdustria turística já era sentida. Hoje eu tenho impressão que essa causa secundária pode ser a principal e imgino que os problemas só estão começando.

    Não sou contra o turismo, até porque acho importante fonte de desenvolvmento e pessolmente gosto de “turismar”, mas se não houver um bom planejamento as consequencias podem ser muito ruins. Basta dar uma olhadinha no que é hoje a Praia de Iracema, que o mar não carregou tanto, como cantou Luiz Assunção, porém o resultado da exploração turistica desordenada deu razões pro Ciro Gomes chamar toda a cidade de puteiro.

    Um forte abraço, caro Plínio.

  • ISMAEL LUIZ SANTOS DE SOUSA disse:

    Parabéns,Plínio,pelo text.Infelizmente,não foi dito nem a metade do que ocorre de errado,em Canoa,outrora um paraíso,hoje tomado pela arrogância e abuso de alguns “turistas” ou pela arrogância e ignorância de alguns “nativos”,que se acham donos do lugar.Se não houver a forte interferência das autoridades,Canoa tende a ser,em breve,mais um ponto negativo no turismo cearense. O tráfico de drogas e a prostituição,escancarados,afastam os que ali frequentam em busca de paz, descanso e tranquilidade,admirando as belezas do lugar.

  • Rodrigo Forte disse:

    É muito triste ver que essa impunidade vista com frequência é sempre presenciada de perto por membros do nosso Judiciário, e que muitas vezes eles são a causa. Alguns se acham no “direito” de ficar acima da lei e a maior parte da população, a que realmente recisa, acata e vê com normalidade tais abusos dessas pessoas que deveriam trazer a justiça.
    Não me espantou nada ver que nos depoimentos dos bugueiros a promotora do município de Itapajé, Camila Gomes Barbosa, que aparentemente estava com entre esses turistas teria, segundos eles, incentivado a briga dos dois grupos. A última coisa que o presidente daquela associação lembre antes de demaiar após ser atropelado é ser chingado e estapeado por por um membro do judiciário, disse ele em entrevista ao noticiário. Desolador.
    E agora, a quem recorrer quando clamamos por justiça? Muitos dos que deveriam ser o maior exemplo nos mostram isso. Somente os menos privilagiados é que devem ser éticos, honestos e seguir a lei? Ceará, terra sem lei. Ou melhor dizendo, Brasil.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Rodrigo,
      Uma correção: o Ministério Público [Estadual e Federal] não faz parte do Poder Judiciário. O Ministério Público é uma instituição independente, sem vínculo com nenhum dos poderes do Estado.
      Plínio

  • Igor Cavalcante disse:

    Caro Plínio,

    Perdoe-me por discordar de sua posição quanto o que se sucedeu na praia de Canoa Quebrada, mas o real acontecimento foi sim aquela histórinha do contada pelo Diario do Nordeste, o unico erro nos dois jornais foi de generalizar o fato tanto para os turistas quanto para os bugueiros.

    Eu estava no hotel e sei que o tulmulto começou com uma briga entre alguns bugueiros(nao sei o numero exato) e meia dúzia de turistas, mas infelizmente a história tomou maiores proporções exclusivamente pelo excesso dos turistas ao espancarem o bugueiro e pela vontade de vingança de alguns membros da associação dos bugueiros de canoa quebrada.

    As outras pessoas que estavam na pousada não tinham nenhuma culpa porém, foram feitos refens por uma revolta alimentada por uma população alienada que apesar de não saber o que estava acontecendo, entraram na briga(havia ,inclusive,uma mulher sorrindo…de protesto passou a folia).

    Agradeço a possibilidade de esclarecer a situação e peço a comunidade mais cautela ao julgar as pessoas atravéz de boatos, Igor

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Igor,
      Aqui não é preciso pedir perdão por discordar do autor deste blog. O espaço é para debates.
      Agradeço o seu comentário,
      Plínio

  • Rodrigo Forte disse:

    Igor,

    Parabéns por vc vir aqui e compartilha a opinião de quem viu o fato lastimável de perto, sinto pelo que aconteceu a vcs na pousada, mas que bom que está dividindo sua opinião sem tomar lados.

    Abraço

  • Rodrigo Forte disse:

    Caro Plínio,
    Obrigado pela correção. Deixei-me levar pela emoção de revolta e cometi vários erros quando escrevi, como pode perceber, mas já era tarde e não pude corrigir meus erros.
    Misturei em minha mente vários fatos e casos onde temos advogados, promotores, juízes etc, envolvidos da pior maneira possível. Peço desculpas por essa generalização infeliz, mea culpa.

    Abraço

  • Rogério disse:

    Caro Sr,

    conheço esse grupo de bugreiros faz bastante tempo e pode ter certeza que alí não tem inocente.

    sob a bandeira de que estão trabalhando, cometem todo tipo de irregularidade a abuso – inclusive em relação aos turistas. Se acham donos das praias e dunas.

    Desta vez foram cometer mais uma abuso e se deram mal. São tão covardes que foram reunir os demais membros da gangue para tomar satisfação com os turistas.

  • Marcelo Braga disse:

    não só a canoa é quebrada, com a ausencia do poder público as regras de transito também são quebradas e o caos e a desordem reinam, o carnaval se aproxima e o tumulto será bem maior.

  • Romulo disse:

    quero corrigir o Plinio, pois o Ministèrio público, é orgão vinculado ao poder executivo

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Rômulo,
      Em vez de dizer que não era vinculado, deveria ter escrito que o Ministério Público não é subordinado a nenhum dos poderes da Repúblicca, para que ficasse mais claro. Agradeço o esclarecimento.
      Plínio

  • Adriano Teixeira disse:

    Este fim de semana estive em Icapui na praia de Quitérias e o descaso das autoridades é o mesmo, lá o meio de transporte mais comum é a moto, crianças, adolescentes, mulheres e homens, todos à beira mar com no mínimo 40km/h e o mais agravante sem o equipamento obrigatório o capacete quem dirá carteira de habilitação. Mais não pára por aí os carrões 4×4 também não param, inclusive o da Coelce que transitava durante todo o dia, em uma das caminhadas que fiz uma L200 passou por mim a uns 60 km/h imagine uma criança que brinca na praia tranquilhamente e é pegue por imbecil destes. Fiquei revoltado pois tenho 2 filhos e ao invés de relaxar na prais sair foi mais preocupado. Pode ser que um dia, se um filho de um figurão sofre alguma coisa, “não desejo isso”, alguém tome alguma providência.

  • brito junior disse:

    por mim podem se matar a vontade ,eu ja desisti de ir a praia ,quase não saiu ais de casa não é seguro andar numa cidade sem lei!!!!

  • Caro Plinio,
    Sou apresentador de um programa diário na TV Sinal de Aracati e gostaria de lhe parabenizar por sempre usar toda sua credibilidade em busca da mais correta informação.

    Eu gostaria apenas de acrescentar que mesmo morando em Aracati vejo essa situação delicadissima pelo seguinte foco:

    1- Conflitos anteriores envolvendo turistas e bugueiros se tornaram frequentes. O que faltava agora aconteceu, ou seja, esse episódio foi apenas o estopim quando ambas as partes ofereceram resistencia por algo que não pertece a nenhum deles. As dunas de Canoa Quebrada. Aconselho a todos que queiram realmente saber um pouco sobre essa verdade oculta que acompanhem no blog Aracati em Foco denuncias com documentos e fotos feitas por duas empresárias (uma do ramo hoteleiro e a outra na locação de veículos da empresa Rent a Car)no programa de TV Sinal. O link é: http://aracatiemfoco.blogspot.com/2009/09/empresarias-de-canoa-quebrada-denunciam.html

    2- Não sou contra os bugueiros de Canoa mas também não posso concordar que queiram monopolizar algo que já está tão deteriorada aqui em Aracati. A preservação da natureza!

    3- Não cabe a ABCQ ou qualquer outra associação o poder de polícia ou de proibir usando de uma ‘patente’ que não lhes pertence mas, que lutam com apoio de vereadores de Aracati para modificar uma lei onde a SECULT Municipal sairia de foco e a ABCQ assumiria o papel de ordenar e decidir temas como esse em conjunto com a Guarda Municipal e DEMUTRAN.

    E para não ser muito extenso o tema que o colega postou para esse texto está bem propício para o momento. Muitos turistas sairam daqui com uma péssima impressão de hospitalidade devido tanta guerra que deixa nossa Canoa cada vez mais com aquela antiga fama de ser um paraiso de drogados, traficantes, prostituição e agora de tribos se digladiando elevando mais ainda uma fama que contrasta entre o paraíso e o inferno na terra.

    Abraço e muita paz a todos!

  • Luciano Alencar disse:

    Independentemente do lamentável episódio, salta aos olhos a terrível praga que são esses veículos 4×4 para o nosso estado. Não há mais um único lugar do litoral em que se possa ficar sossegado depois que essa praga tomou conta das ruas e praias. O governo deveria elevar em muito o IPVA desse tipo de carro, que atrapalha o trânsito, consome horrores de combustível e polui muito mais que os outros.

  • Rafa Ary disse:

    Plínio, bela matéria, fico feliz de saber que existem pessoas como vc que escrevem de maneira crítica e inteligente quanto ao descaso quase que total das autoridades e falta de respeito daqueles que se acham no direito de fazer o que bem entenderem. Parabéns

  • Roberio Barreto disse:

    Caro Plínio é lamentável vemos este paraíso ecológico sendo palco de briga. Promovido pelo capitalismo e seus filhos burgueses que querem ser o dono do mundo e da verdade. Acham que tendo dinheiro podem tudo, inclusive ser a lei. Isso me lembra Cazuza e sua música
    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    A burguesia não repara na dor
    Da vendedora de chicletes
    A burguesia só olha pra si
    A burguesia só olha pra si
    A burguesia é à direita, é a guerra

    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
    Vai haver uma revolução
    Ao contrário da de 64
    O Brasil é medroso
    Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Pra rua, pra rua

    Vamos acabar com a burguesia
    Vamos dinamitar a burguesia
    Vamos pôr a burguesia na cadeia
    Numa fazenda de trabalhos forçados
    Eu sou burguês, mas eu sou artista
    Estou do lado do povo, do povo

  • claudio vianna disse:

    NÃO CONSIGO ENTENDER, PORQUE DE UMA FORMA GERAL AS PESSOAS , CONFUNDEM O DIREITO CONSTITUCIONAL : LIBERDADE DE IR E VIR. O QUE SERIA O BEM PARA TODOS. ANDAR NAS AREIAS DAS PRAIAS E RODAR DE 4X4, OU BUGGI, COM SEGURANÇA E RESPEITO A QUALQUER CIDADÃO , ELE POBRE , RICO , PESCADOR, TURISTA OU BUGGEIRO. PORÉM A VIOLÊNCIA CONTINUA IMPUNE. PIOR QUE ISTO, SÓ A DEPREDAÇÃO DO PATRIMÕNIO PÚBLICO E PRIVADO PROMOVIDO PELAS TORCIDAS ORGANIZADAS DO FORTALEZA E DO CEÁRÁ NAS SAÍDAS DOS JOGOS. VIOLÊNCIA NO TRANSITO URBANO, CRIMES CONTRA A INTEGRIDADE DOS CIDADÃOS E DE SEU PATRIMÔNIO. A FALTA DE RESPEITO AS PESSOAS ( AO PRÓXIMO )PROMOVIDA PELA INPUNIDADE , FALTA DE POLICIAMENTO E AGILIDADE NA JUSTIÇA. É MITO . MAIS FÁCIL AO ESTADO E MUNICÍPIOS COLOCAR FOTOSENSORES PARA MULTAR, DO QUE TRABALHAR PARA O ENVOLVIMENTO DOS CIDADÃOS NUMA CONVIVÊNCIA DE RESPEITO E HARMONIA. O QUE DEVERIA SER FESTA , SE TORNA CONFRONTO.
    LASTIMÁVEL. MAIS LASTIMÁVEL , AINDA, É O CONSUMO DE CRACK EM PLENA REPÚBLICA DO LÍBANO POR MENINOS QUASE TODOS OS DIAS.COMO SE FOSSE UMA COISA NORMAL.

  • Dorisval de Lima disse:

    Caro Plínio, acrescentando às considerações, também expresso minha preocupçao com esses lamentáveis acontecimentos. tenho saudades da canoa que conheci vinte e cinco anos atrás, quando fui morar em Aracati, no início da minha carreira profissional. Além do motivo já registrado na matéria, entendo que isso acontece támbém em docorrência do modelo de desenvolvimento e de turimos adotado no Estado nesse período, onde se permite a intervenção nas diversas localidades, a especulação imobiliária, a prostituição em todos os seus aspectos, agraciado com a certeza da ipunidade, infelizmente. Sinal de alerta para novas ocorrências em outros paraísos…

  • Waltemberg disse:

    Plinio

    oq vc acha q deveria ser feito?
    pois isto esta acontecendo nao so em canoa quebrada, mais em todas as praias do litoral..
    morro branco, caponga e muitas outras…
    e ninguem toma uma iniciativa!!

    abs

  • Joaquim Carvalho disse:

    Eu estava presente com meus filhos , quando começou a confusão.
    Os realmente culpados foram os Jipeiros que estavam provocando essa baderna com Jipes e quadriciclos em alta velocidade nas dunas e na beira da praia. Quando reclamaram da barderna que os Jipeiros estavam fazendo um deles que estava em um quadriciclo esbravejou dizendo que era Juiz e mandava ali.

    Detalhe: todos os Jipeiros estavam com carros com adesivos escritos ” Comando Apache ” e eles tiveram realmente o comportamento de índios selvagens.

    Esses baderneiros donos de carros 4×4 deveriam ser banidos das praias, que são lugar de banhistas.

  • Rodrigo Forte disse:

    Caro Sandro,
    Bom saber que temos mais pessoas de olho. Li seu blog e é impressionante a ação crimisa de alguns bugueiros. Mas não podemos fechar os olhos para nenhum tipo de abuso. Os erros têm que ser verificados, os culpados identificados e punidos,SEVERAMENTE, cada um no seu respectivo delito. Essa história de negligenciar o bem comum, de lei que “pega” ou não em prol de um lucro efêmero e para poucos é que causará o fim das dunas de Aracati e de outras belas paisagens do Ceará e do restante do Brasil.
    A certeza de impunidade garante que gang A ou gang B continuem agindo como queram, tomando para si o que queiram, até o espaço público, que deveria ser preservado e mantido pelos órgãos competentes e pela população.

    Abraço

  • Bruno disse:

    Esses bugueiros são muito mais pirigosos do que os turistas. Por vezes já os vi bebendo e fumando. Fazendo muita, mais muita coisa fora da lei. ( me entendão se quiser ). Vivem de ameaçar quem também tem direito de utilizar as prais e dunas ( que eles acham ser dels ). Dessa vez acharam alguém que tem voz e ação. Na sua grande maioria não tem nenhum curso de primeiros socorros, equipamentos de segurança, e nem educação para tratar com turistas. Os carros estão caindo ao pedaços. São formados em cooperativas suspeitas. Resumindo, não são os nativinhos coitados que muita gente pensa.

  • Daniel Moreira disse:

    Caro Plínio,

    Esse seu texto é totalmente tendencioso e só analisa um lado da moeda. Como se os bugueiros, todos anjinhos, tivessem seu paraíso invadido pelos cavaleiros 4×4 do apocalipse. O que, jornalisticamente, é um absurdo.

  • Sirley disse:

    É muito séria essa questão entre proprietários de 4×4, quadriciclos e bugueiros. Precisa de regulamentação e fiscalização com urgência!

    Mas, pra mim, falta muito ainda pra Canoa Quebrada perder seu brilho! Pelo menos por enquanto, a falta de educação de alguns e a intolerância de outros não destroem o encanto do lugar.

    Adoro ir pra lá e inclusive estive lá no reveillon e durante esse lastimável episódio. Mas, definitivamente, nada a ver isso de “vitrina da burguesia endinheirada”… Não gostei e não concordo com essa abordagem.

  • Renato disse:

    Plínio, teu “Terra de Ninguém” resume perfeitamente o que está acontecendo com Fortaleza e, nesse caso, também se aplica à Canoa e a TODO o litoral cearense.

    Em todas as praias há conflitos entre bugueiros e jipeiros.

    Bugueiros se acham donos do lugar porque nasceram lá. Jipeiros se acham donos da areia porque têm alto poder aquisitivo.

    Ambos querem fazer o que lhes der na telha no lugar que é “seu”, já que esse lugar não é “de ninguém”. E como não há ordem pública, quando esses interesses são conflitantes a coisa é resolvida pela lei do mais forte.

  • Eduardo disse:

    Pq não andar de bicicleta na praia, é tão saudavel, silencioso, não agride nem polui. certa vez, ano passado, fui de cumbuco a taiba de bicicleta com amigos e vi ate santana a uns 80 pelo menos qnd a maré estava baixa

  • Karla disse:

    Lamentável!!!
    Conheço e ando em Canoa à 25 anos, comecei a visitar o lugar numa época em que as pessoas podiam circular livremente pela praia e pelas dunas sem ter medo de ser atropelado, pois nem carro ia até lá.
    Os “jipeiros”, o “quadriciclistas” são sim, mal-educados, e irresponsáveis pois muitas vezes, presenciei fatos deles com velocidade alta e sem tomar cuidados e em muitos casos os quadriciclos são pilotados por crianças mimadas e mal-educadas. E normalmente se alguém for pedir (com educação) para não trafegarem entre os banhistas, eles se acham no direito e não respeitam ninguém.
    Espero sinceramente que este fato lamentável, sirva de alerta para que as autoridades, disciplinem com rigor o “trânsito” nas praias do Ceará.
    Mais educação para as pessoas da “elite”, pois parece que quanto mais dinheiro tem, mais mal-educados e arrogantes se tornam.

  • Tony disse:

    Caro Plínio,

    permita-me discordar em alguns pontos do seu texto.
    Nada é proibido se não estiver na lei. Se a lei não proíbe que se ande nas dunas, ninguém pode me impedir de fazê-lo, muito menos um bugueiro. Dunas são estruturas móveis, e passar ou não por ela, não muda nada, pois amanhã ela já estará diferente. O que falta é educação a alguns motoristas que trafegam em alta velocidade entre áreas reservadas a banhistas, e isso se resolve facilmente com sinalização e multa.
    Agora, aparece este preconceito de achar que quem usa seu lazer para praticar o off-road é burguezinho, filhinho de papai, etc – como se com o mesmo valor de um carro popular não se conseguisse comprar um carro fora de estrada (um buggy ou um jipe). Já os coitadinhos dos bugueiros, que estão trabalhando, podem tudo. Puro permissivismo, tão comum no Brasil. Frequento Canoa a muitos anos e sei que os bugueiros de lá, assim como os do Cumbuco, formam verdadeiras gangues, agredindo todos os que ousam fazer a mesma coisa que eles: curtir um passeio pelas dunas.
    No Ceará sempre existiu gente andando de carros na praia e o número de acidentes é menor que o de afogamentos ou qualquer outra coisa. Não chega a ser necessário a atitude mais drástica de se proibir tais passeios turísticos.

  • Caro Rodrigo Forte,
    Obrigado pela visita ao meu blog e ter observado claramente as denúncias que pode ser o ‘fío da meada’ mostrando de forma mais clara sobre ‘o porquê’ de tanta confusão por aqui.
    Realmente a entrevista a mim concedida pelas empresárias da própria praia de canoa mostra claramente um jogo de interesse bem maior do que aparenta ser. Na verdade existe é um jogo politico onde as autoridades daqui a começar pelo Sr. prefeito e Srs. vereadores ficam de olho nos votos de uma centena de bugueiros mais seus familiares. Volto a dizer: ‘Não sou contra bugueiros e sim a atitude extrema de seu presidente querer usar de poder de policia’. As autoridades daqui deixaram não somente a praia mais todo o municipio abandonado.

    Queria sugerir ao colega Plinio que entrasse em contato com colegas jornaistas da capital para realizar algumas matérias sobre esse abandono também nas praias de Majorlândia e Quixaba.

    Lembrar também ao colega Plinio Bortolotti que veja a matéria sugerida em meu blog e faça uma análise jornalistica sobre o assunto.

    Abraço a todos.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Sandro,
      Já falei sobre o assunto com o Núcleo de Cotidiano, editoria que cobre o tema. Vou reforçar repassando este seu texto.
      Agradeço seus comentários,
      Plínio

  • Dualisson disse:

    O Grande causador são os bugueiros que demarcam as dunas como se fosse deles. E expulsa os turistas motorista ou pedestre com sua falta de educação. E não pecebe que a maior parte do dinheiro que custeia Canoa quebrada vem do turismo.

    Paz acima de tudo!

  • Henrry disse:

    Sinto indgnaçao ao ver esta reportagem,engraçado ate mesmo pessoas da propria cidade falam mal dos bugueiros,sobre a forma truculenta como eles tratam os turistas que para lá vao em seus 4×4,e ainda aparecem mil e uma pessoas os defendendo.Bem eu nao estava lá,por conta disso prefiro ser imparcial,apesar de meu pai ser proprietário de um veiculo off-road,por mais que existisse certa (Falta de educaçao) por parte dos jipeiros.Afinal,foi certo os bugueiros terem cercado a pousada,ameaçando a todas as familias ali presentes??É certo ameaçar pessoas indefesas,idosos,gestantes,crianças??Ahh e o mais importante,já pararam para pensar que os bugueiros estão se tornando os donos de todas as praias??SIM,agora são eles que estão no comando,e alias muito se fala sobre a degradaçao ambiental por parte dos jipeiros,mais eu pergunto:Os buggys nao causam maleficios a natureza?Alem do mais,existe certa consciencia ambiental por conta dos jipeiros,ao contrario pelo que sei dos bugueiros em seus carros irregulares,sem extintor de incendio,sem a minima proteçao.Uma enorme fatalidade tudo isso que aconteceu,sempre nao gostei dos bugueiros,,agora guardo até mesmo certo rancor,para mim sao um bando de irracionais,que queriam usar das proprias mãos para violentar pessoas indefesas,AHH E QUANTO A ESTES QUE FALAM QUE OS CARA DO GRUPO OFF-ROAD SAO FILHINHOS DE PAPAI,(CHEIOS DE DINHEIRO),SE EU DISSER QUE NÃO ESTAREI MENTINDO,MAIS SAIBAM QUE O DINHEIRO DELES É HONESTO,FOI GANHO COM TRABALHO,E ELES APENAS QUERIAM TER SEU MOMENTO DE LAZER,MAIS PELO JEIT TODO MUNDO TEM INVEJA DELES NAO É MESMO??

  • Henrry disse:

    Se alguem vier falar que eu escrevi alguma coisa errada,olha,tow pouco me importando,nao quero professor de portugues por aqui nao.

  • cintia de aracati disse:

    resido nesta cidade linda e conheco esse bugueiros, eles são assim mesmo, querer ser os donos do pedaço,esse conflito poderia ter sido evitado se o Presidente da Associação não fosse tão PREPOTENTE.

  • Henrry disse:

    O mais legal de tudo,é a forma evidente como esse redator do o povo se põe a favor dos bugueiros,,aushaus,,,me faz rir.Porque todo mundo os defende?Porque são vistos como pobres inocentes que querem trabalhar para sustentar a familia?e o lado mal?fica esquecido?hahahah,,,,.Uma falta de vergonha,a forma como voces trataram esta reportagem.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro sr. Henrry,
      No rigor da palavra, o que escrevi não é uma “reportagem”; emiti opinião – e me responsabilizo por ela; mantendo a disposição de debater.
      Plínio

  • Henrry disse:

    Me deu vergonha,plinio a forma como voce se referiu a todo este assunto,super imparcial não é mesmo para nao dizer o contrario.AHAHAH,OS BUGUEIROS ANDAM TE PAGANDO PARA FAZER O FILME DELES É??FALAR BEM DELES É MELHOR PARA VOCE?o modo como voce tratou os motoristas de carro 4×4,,foi deplorável,tive medo de mim mesmo que tenho pai dono de carro 4×4,,e sei que tudo nao funciona da forma como voce cita,nao sei se quer como voce que nunca se quer teve uma experiencia a respeito pode vir aqui falar,quando voce souber o que é o mundo off-road:vai poder vir aqui,abri a boca,esculhamba-los da forma como fez aqui,mais enquanto nao,voce nao passa de um mero cara redatando algo que desconhece.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro sr. Henrry,
      Eu poderia lhe perguntar quanto os donos de “4X4” estão lhe pagando para o sr. falar bem deles, mas aí não chegaríamos a nenhum lugar, pois o diálogo se tornaria impossível. Aliás, relendo o meu post não achei nenhum trecho em que falasse “bem” dos bugueiros. Critiquei, é fato, os donos de “4×4” que invadem o espaço da areia das praias, lugar que deveria ser exclusivo das pessoas, com proibição de trânsito de veículos.

  • Não estou defendendo nem um lado nem outro… Acho que tem que ficar bem claro foi a FALTA DE RESPEITO de todos… Eles transformaram uma mera discursao (bate-boca) banal em um caso quase com final tragico (ameaca de morte, tentativa de linchamento, carcere privado, depedracao de patrimonio)… Pois sim, errados estao todos sejam eles turistas, bugueiros, 4×4, quadriciclos, policia, detran, politicos… Mas quero registrar que existe uma grande diferença entre TER um 4×4 e SER um 4×4 ou OFF ROADER ou JIPEIRO… No primeiro, basta ter (muito) dinheiro e comprar um carrão… No segundo caso, pra ser um JIPEIRO, tem que ter respeito as leis e as pessoas, bem como espirito de equipe, ter amizades e fazer sempre novos amigos, prezar pelo companherismo, lealdade, solidariedade com o outro e com a sociedade, cultivar o bom humor, nunca se aperrear e aprender a superar os seus limites… Significa tambem preservar a natureza, respeitando e ajudando as pessoas que encontramos por esses caminhos e trilhas… E vai mais alem, saber respeitar a gente humilde que, apesar da situação desfavorável, sempre nos recebe com um sorriso no rosto, acenando com as mãos, desejando boa viagem para aquele povo “esquisito” que adora AVENTURA… Uma lição e um estilo de vida!… Por isso tudo, pratique um OFF ROAD CONSCIENTE… Seje digno de ser chamado de JIPEIRO… E se associe a um bom clube tal qual Albatroz Offroad, Amigo das Trilhas, Bandoleiros, Bilionarios Offroads, Chapas Offroad, Comando Apache, Ninjas Offroad, Papatrilhas, So Jeep, Stauros Adveture, Rapaziada 4×4, Renegados, Zueira Offroad e etc etc etc…

  • O CTB no seu artigo II preve que são consideradas vias terrestres as praias abertas à circulação pública logo se é uma área pública não pode proibir de forma irracional sua utilizacao… O que se pode (e urge ser feito) é uma regulamentacao do transito com a promocao da educação a todos, tanto ambiental quanto relativo ao trânsito de veículos prorpiamente dito… E depois disso, intensa fiscalizacao… Lembem-se que todos, conforme a nossa Constituição, são iguais perante a Lei! Mas vou apontando solucoes: 1) delimitar as areas restritas ao transito – ou seja, nao se pode ficar passando com o carro perto de banhistas/barracas de praia; 2) delimitar a velocidade ao se trafegar em praias – nao existe motivos pra trafegar com velocidade acima dos 40 km/h; 3) instalar sinalizacao vertical nos locais; 4) exigir a CNH de todos; 5) criar parcerias com a ACPN e Clubes Off Roads; 6) punir os infratores…

  • Henrry disse:

    haha,,Otima sua sátira plinio,saiba de uma coisa,os donos de 4×4,nao precisam me pagar nada,sabe porque?os conheço muito bem,e sei como são,ahh,,,e nao ficou evidente na noticia que voce considera os bugueiros santinhos,só retardados nao notariam isto.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro sr. Henrry

      1 – O texto que escrevi não diz que bugueiros são “santinhos” e também não faço a “defesa” deles. Sugiro que o sr. o leia com mais atenção.
      2 – Não vejo problema em o sr. me considerar “retardado”; mas, certamente, tenho um pouco mais de educação do que o sr. No mundo de hoje, o sr. sabe, vale mais a inteligência emocional do que a “inteligência” dos “espertos”, que se consideram acima das outras pessoas [os que discordam desses são “retardados”], mas não conseguem sustentar o diálogo em termos respeitosos. Resta-lhes, portanto, usar as os “argumentos” de que dispõem: a desqualificação do oponente e os xingamentos.
      3 – O sr. não espere que as suas provocações me façam rebaixar a esse nível.

      Plínio

  • Henrry disse:

    AHH,,gostaria de dizer a voce caro plinio,que o mundo off-road é muito maior que voce pensa,se acha que é simplesmente carros (degradando o ambiente) como os leigos andam falando,está muito enganado,nos temos responsabilidade social,alem de respeito para com a natureza.

  • Henrry disse:

    Gostaria de lembrar outra coisa.O que será que os bugueiros preferem?Que existam donos de carros 4×4 transitando pelas dunas ou que estes donos de 4×4 enconstem seus carros e sejam explorados em passeios de buggy????REFLITAAA

  • Henrry disse:

    Sabe fico me perguntando:Será que apenas os carros 4×4 são o (terror) da natureza?Pelo jeito voces nao param e pensam nas construções em plena orla maritima,as dunas que por incrivel que pareça hoje em dia estão a venda (como é o caso da duna de lagoinha).É PELO JEITO TUDO CAIU SOBRE OS JIPEIROS.CLAROO,,,ARRANJARAM UMA ÓTIMA DESCULPA PARA DESCONTAR NELES NÃO É MESMO?PORQUE NÃO ESCOLHE-LOS PARA PAGAR O PATO?OS FAMOSOS `ARRUACEIROS` QUE AMEDRONTAM A TUDO E A TODOS….

  • Eduardo Pires disse:

    Sou morador de Canoa há 4 anos e nunca tive qq problema com bugueiros, mesmo tendo um 4 x 4, que ando em qq lugar. O problema é a forma de dirigir, tem que haver respeito. No dia 2 um gringo cavalgava a toda velocidade na praia que está com máre cheia, as pessoas com medo do cavalo, ai eu e mais um grupo cercamos o gringo e exigimos respeito. Aqui gringos respeitam pouco achando que é pais de terceiro mundo, bugueiros muitas vezes são intolerantes, mas quem faz a coisa direito não dá motivo, como eu. Não tenho uma reclamação sequer dos bugueiros, mas sei que eles tentam impedir que outros ganhem dinheiro com buggys ou quadriciclos, isso precisa ser regulamentado. Nesse caso específico, os jipeiros mostraram a pior face cearense, pq são folgados que pensam que podem fazer o que querem, colocando a vida dos outros em risco. Por mais que eu queira ser imparcial, fiquei do lado dos bugueiros e da população que quer acabar com a vinda de turistas sem respeito, com som alto, com velocidade sem noção, que acham que podem tudo. Mais do que a educação da escola, falta muita educação social no Ceará e isso proporciona pessoas que não respeitam os outros. FORA JIPEIROS SEM RESPEITO, BEM VINDOS JIPEIROS QUE FAZEM TUDO PRA SE DIVERTIR SEM PREJUDICAR OS DEMAIS.

  • Henrry disse:

    VOCE COMO VITIMA É OTIMO,mais saiba que querendo ou não ficou evidente em seu texto que os bugueiros foram favorecidos,nao me venha se fazer de vitima por favor.AHH EM MOMENTO ALGUM EU CITEI QUE VOCE É RETARDADO,MAIS SE ASSIM ACHA,TUDO BEM,,,,FAÇA-SE DE VITIMA.

  • Henrry disse:

    ACHEI INTERESSANTE UMA COISA,,,VOCE NAO CONSEGUIU RESPONDER MINHAS PERGUNTAS NAO É MESMO???HAHASASH,,,CLARRO QUE NAO RESPONDERIA,,,ESTARIA CONTRADIZENDO A SI MESMO.

  • Henrry disse:

    ESPERO QUE EM SUA RESPOSTA QUE SEI QUE VIRÁ,VOCE TAMBEM NÃO VÁ SE FAZER DE VITIMA,E ALEGAR EM PALAVRAS QUE EU ESTOU LHE AGREDINDO VERBALMENTE O QUE NÃO É O CASO.

  • Henrry disse:

    -A maioria desses sujeitos que anda em um veículo desses grandões, acha que comprou junto um passe para a impunidade.
    -“off roads” – com seus carrões 4 x 4 e quadriciclos (SE PRESTAREM BEM ATENÇAO NISSO,EXISTE ALGO OCULTO NESTA FRASE)
    -os “papais” e “mamães” devem achar uma gracinha a precocidade dos filhos, que vão se transformando em novos monstrinhos.
    -Nesse momento um representante dos bugueiros [profissionais que passeiam com turistas também pelas dunas] hoho PROFISSIONAIS QUE PASSEIAM PELAS DUNAS,EM CONTRAPONTO OS JIPEIROS SÃO OS MONSTROS TÃO TEMIDOS.

  • Henrry disse:

    SE ACALMA PLINIO,nao vim aqui para fazer confusão viu?!Só quero que voce assuma que esta matéria ficou em grande parte bem imparcial.Só isso,nao quero que se zangue.Afinal meu maior objetivo em vir até aqui é debater sobre o assunto em questão,e mostrar para todos estes,que o off-road,nao é bem como eles pensam.

  • Henrry disse:

    Bem,,,espero que isto esteja sendo uma discussão sadia,e que nao acabe por se sentir reprimido ou algo parecido.

  • A FALTA DE RESPEITO de todos ao nosso maior bem (a pessoa) foi a causadora deste tumultuo todo…

    Turistas (e nao 4×4) juntamente (vs) com bugueiros transformaram uma mera discursao (bate-boca) banal, num primeiro instante, em vias de fato… ISSO POR SI SO JA É LAMENTAVEL…

    Depois, no outro dia, os bugueiros cercaram a pousada e fizeram ameaca de morte aos turistas ao incentivarem o linchamento dos 2 rapazes… MAIS LAMENTAVEL AINDA…

    Se for ser tipificado: carcere privado, depedracao de patrimonio (carros), ameaca de morte, tentativa de linchamento, incentivavao ao crime, formacao de quadrilha, resistencia a prisao, e etc etc etc…

    Eu que adorava CANOA QUEBRADA, nao piso tao cedo por la… Me sinto desconfortavel perante esta situacao… E digo isso nao como JIPEIRO, mas sim como turista… Se chegaram a fazer este circo todo por nada, imagina so se realmente acontece algo serio…

    Mas sei que o problema mora no social…

    Nossas praias e vilas paradisiacas estao sendo invadidas pelo estrangeiro (nacional ou importado) que tras consigo os maus habitos ja adiquiridos na “vida moderna” dos grandes centros…

    Nao raro encontrar prostituicao e drogas (licitas ou ilicitas) rolando solta nas noites destes lugarejos…

    Quem acaba pagando o pato sera a populacao, que por ser mais ingenua, nao diferencia o joio, do trigo…

    Acabamos, assim por ver a destruicao de ambos, populacao e lugar…

    Vemos se esvairem por entre os dedos, os nossos bons filhos, que acabam por cairem na criminalidade…

    Este ultimo, local, depreciado atravez da especulacao imobiliaria, destes paraisos…

    Tempos modernos, pragas modernas…

    Lamentavel…

    Quando a poeira baixar, quem sabe eu volte por CANOA, mas por enquanto, novos horizontes…

  • É claro que um comentário feito por um jornalista sempre haverá questionamentos quando a ‘sinceridade e imparcialidade das informações e/ou opiniões’. A priori também entendi que o colega Plinio estivesse ‘contra’ os 4×4 e favorável aos bugueiros daqui de minha cidade.
    depois analisei sem por emoções e vendo o Plinio como ser humano e passivel de frases ou palavras mal colocadas realmente deu ‘uma puxada’ para os bugueiros até porque, dizendo que a turma dos 4×4, carrões etc transitam pelas praias etc… Bem! talvez tenha imaginado pelo que viu nas matérias ou por fontes algo que fizesse com que tenha ficado ‘penso’ mais para um lado.
    Eu passo por problemas parecidos. Aqui em Aracati os bugueiros, familiares e amigos deles acham que eu estou a favor dos ‘4×4’ e contra os daqui. Apenas procuro ser imparcial e mesmo assim pagamos nosso prêço.

    Então caros Henrry e Plinio, entendo perfeitamente o que se passa através de seus diálogos.

    abraço a todos!

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Sandro,
      Agradeço por você pôr as coisas em termos devidos. Fiz sim uma crítica severa aos proprietários de 4X4 e outros veículos que insistem em transitar nas áreas que deveriam ser exclusivas de banhistas e, volto a dizer, me responsabilizo por ela. Obviamente, a crítica serve para qualquer veículo, incluindo os bugues – como ficou claro no post – e mesmo carros de passeio, que fazem das praias verdadeiras avenidas para a circulação de carros.
      Conheci Canoa em 1981 e sei o que era e o que é hoje. Obviamente, não quero que o interior ou o litoral do Ceará sejam uma eterna “paisagem” para desfrute dos urbanóides que, de vez em quando, aportam por esses lugares. Mas sei também que esse tipo de “progesso” ou turismo predatório que se desenvolveu em Canoa Quebrada não leva nenhum – ou leva muito pouco – benefício aos “nativos”. Sei ainda é que possível desenvolver um tipo de turismo que preserve a meio ambiente e promova as pessoas que, secularmente, ocupam esses locais.
      Abraço,
      Plínio

  • paolo disse:

    Caro signor Plinio Bortolotti, ainda lembra italiano?
    complimenti per la sua censura tipica dei regimi totalitari!
    Que tem meu post de errado que vç nao quer pubblicar??

    • pliniobortolotti disse:

      Caro sr. Paolo,
      De fato, tenho ascendência italiana, como o sr. deve ter observado pelo meu sobrenome. No entanto, infelizmente, não sou versado na bela língua de Dante; ainda que eu possa ler algumas palavras, como as que o sr. me dirige.
      De primeiro, nem este blog, e nem este país, diga-se, tem “censura típica” de um “remime totalitário”. Não sei a sua idade, mas se o sr. viveu sob o governo de Mussolini, deverá saber exatamente o que é um “regimi totalitari” – se não viveu, certamente conhecerá um pouco da história de seu país. E poderá observar como a sua comparação é absolutamente, mas absolutamente mesmo, descabida.
      O seu comentário não foi publicado porque o sr. faz uma acusação direta a um agente publico, de o sr. ter pago “propina”, algo que eu não tenho como verificar; sem obviamente querer pôr em dúvida a sua palavra. Eu poderia, inclusive, ter publicado o seu post retirando essa parte, mas creio que o sr. me faria a mesma acusação.
      Agradeço a sua leitura e a sua participação,
      Plínio

  • paolo disse:

    X Murillus:

    Eu nao acredito!!! Come sempre aqui no brasil la culpa de cada mal es dos extrangeiros!!!!

    Vç ja vieu a qualidade do turista medio cearense em canoa?? Carro de som 3.000 W, isopo cheio de wisky e garaffas jogada na rua!

  • paolo disse:

    E ainda uma vez a culpa es dos extrangeiros!!!
    Nao acredito!
    Paolo

  • paolo disse:

    Boa tarde Plinio,
    Peço desculpas por ter começado com o pé errado a minha relação com este blog que é muito interessante.
    Infelizmente o episódio a que você se refere é uma razão pela qual esta bela terra é uma “terra de ninguém” como vç escreve frequentemente.
    Eu, sinceramente, perdeu a cabeça quando vi o meu post censurado, mas eu entendo as suas razões como editor, agora que descobri, olhando para o Globo SP, que os editores de blogs no Brasil, são penalmente responsáveis pelos comentários dos utilizadores.
    Eu não quer dizer que o Brasil es um regime totalitário, mas que a censura que tem sido aplicada a meu post foi!
    Se você acha meu post interessante para esta discussão esta autorizada a remoção d’essa parte .
    Permitam-me abordar com você que, uma outra questão : Porque muitos dos escritos que li mostra um ódio de gringos que “invadiram” o Brasil mesmo em um contexto como este, que não tem nada a ver com uma disputa entre bugueros e moradores de Fortaleza?
    Às vezes eu não me sinto bem-vindo neste país e não entendo porquê!
    Se o mesmo espírito crítico fosse applicado objectivamente muitos percebriam que 3/4 dos problemas que surgem em Canoa originam em Aracati e Canoa mesmo.
    Peço desculpas pelo meu Português hesitante, mas eu vivo no Brasil apenas oito meses e ainda estou a aprendendo a sua bela lingua.
    Paolo

    • pliniobortolotti disse:

      Caro sr. Paolo,
      O sr. é bem-vindo para fazer o debate neste blog.
      Obviamente, existem pessoas que tem aversão a estrangeiros no Brasil, mas o país – e creio que a maioria de sua população – é bastante receptiva. Agora mesmo o presidente Lula sancionou um projeto de lei dando anistia a todos os estrangeiros que chegaram ao Brasil até 1º de fevereiro deste ano e estão em situação irregular. Se todos os países do mundo tivessem mais compreensão com os imigrantes, creio que teríamos um mundo mais tolerante.
      Quanto ao seu post, como eu já o removi – apesar de ter guardado uma cópia em arquivo – caso o sr. queira reescrevê-lo, pode me enviar.
      Abraço,
      Plínio

  • J. Oliveira e Carvalho disse:

    Encontrei esse blog justamente porque estava pesquisando sobre a tranquilidade na região pois tencionava comprar um imovel para meus pais curtirem a aposentadoria. Já ví que Canoa não antende aos critérios. E isso é uma burrice dos governantes. Se mantivessem um lugar pacato e ordenado atrairima muito mais gente, o que geraria muito mais emprego e renda. Cortei canoa. Vou procurar algum recanto mais tranquilo.

  • paolo disse:

    Bom dia Plinio,
    Enfelizmente eu não concordo com a decisão do presidente Lula.
    A cidadania é um direito que é obtindo através da observação das regras, isso tornaria a imigração em uma riqueza e nao em um um problema global.
    Voltando ao asunto o que eu não entendo é a contradição de base que eu encontro em cada uma dessas discussões.
    O Ceará vive do turismo, é o terceiro estado para turismo no Brasil e quer ainda melhorar Mas os investidores estrangeiros que deixam o seu país, asseguro-vos com muitas dificuldades, porque acreditam no Brasil são recebidos como invasores e gringos.
    Aqui mesmo em Canoa conheço algunos nativos que estão acostumados a dizer: Graças a Deus que existem os gringos!
    e Suficiente viajar 30 km de canoa até encontrar villarejos que ainda não tem água, electricidade e telefone.
    Um abraço,
    Paolo

  • Henrry disse:

    Olá caro plinio,se lembra de mim?creio que sim.Sem ressentimentos gostaria de pedir-lhe encarecidamente um direito de resposta por parte dos jipeiros a todas as acusações que a eles estão sendo feitas.Fiquei perplexo ao ver uma reportagem ainda nesta semana,em que os bugueiros estavam impedindo o acesso dos 4×4 a praia,e isso se sentindo os donos da razão,inclusive dando ´´motivos“<< (que eu diria ridiculos) para que os 4×4 fossem impedidos de transitar em faixa de praia.

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Henrry,

      1. Quero que fique absolutamente claro que sou contra o trânsito de qualquer carro – bugues, 4×4 ou carros de passeio – na faixa de areia, local que deveria ser exclusivo de banhistas.
      2. Acho razoável que se debata – ouvindo populações locais e órgãos municipais, estaduais e federais – a possibilidade de se criar trilhas para “jipeiros”. O que sou contra é cada um – bugueiro ou proprietário de 4×4 fazer o que lhe der na telha.
      3. Apesar de minha posição, expressa no item 1, obviamente uma matéria tem de ouvir todos os lados quanto possíveis envolvidos na questão que se reporta [Não li esta matéria, especificamente, digo isso como um procedimento geral a ser observado].
      4. Como estou de férias, viajando pelo interior do Ceará, como v. pode ver pelos meus posts recentes; vou enviar à Redação a sua sugestão. Se estivesse aí, eu falaria pessoalmente com a editora, Tânia Alves, mas v. pode procurá-la na Redação do jornal.
      5. Você ainda pode procurar o ombudsman, Paulo Rogério, para manifestar a sua crítica.
      6. Os contatos da Tânia Alves [Núcleo de Cotidiano] e do ombudsman v. encontra no jornal.
      Abraço,
      Plínio

  • Henrry disse:

    Deixa eu citar alguns:
    -Os 4×4 causam acidentes,e depois fica a visão de que os bugueiros foram culpados. (eu diria que o bugueiro que falou isso nao é muito bom de argumentos)
    -Os 4×4 costumam transitar em nossas dunas na contra-mão.(Sabe este foi um bom argumento,mais acharia interessante se ele me citasse pelo menos um acidente envolvendo um 4×4 e um buggy nas dunas ´´deles“)

  • Um que sabe disse:

    Muito xenofobia em seus comentarios. Porem, verdade que Canoa piorou…
    Estranheiro fez e ainda faz Canoa diferente:
    Festa diferente
    Restaurante melhor e muitas vezes com qualidade (que voce nao acha em Aracati)
    Praia mais limpa, veja diferenca com praia tipica brasileira, Majorlandia
    Major disastre ambiantal foi aquela ponte (que prefeitura brasileira colocou)
    Os roubos aumentaram muito, e gringo que rouba?
    So fato colocar helicoptre e choque para resolver uma briga diz tudo sobre Brasil…

  • luiz forencio disse:

    Sou filho de aracati, mais a 28anose resido em sao paulo, fui de ferias ano passado para canoa e fiquei peplexo no que a minha maravihosa cano se transformou realmente de paraiso ta virando um iferno.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *