Plínio Bortolotti

Pais promovem festival de irregularidades na porta de colégios

1522 25

Da leitora Elaine Luz recebi o texto abaixo e a imagem ao lado.

«Segue uma fotografia a qual documenta que se Fortaleza é terra de ninguém é porque nem os seus munícipes a respeitam, incluindo aí as transgressões às regras de trânsito.

Veja que, tomando pelo poder aquisitivo do proprietário do veículo, o mínimo que ele deveria ter seria educação e bom senso, mas faltam-lhe ambos.

O local? Rua João Carvalho quase esquina com a Av. Barão de Studart, na lateral de um renomado colégio da capital cearense.

Agora diga-me: mesmo que a escola ensine algum mínimo de educação no trânsito pros seus alunos, você acha que o aspirante à cidadão vai levar em consideração os ensinamentos da escola quando vê seu pai e/ou mãe agindo com tamanho desrespeito??

Ao ver situação desse tipo, não hesito: ligo 190 (Ciops) e registro denúncia de estacionamento irregular para a AMC. Daí, se eles enviam viatura para fiscalizar (e consequentemente multar) são outros quinhentos…

Abraço cidadão!»

Comentário

Pode-se dar até o benefício da dúvida ao cidadão proprietario do veículo, pois ele poderia estar parado (para embarque ou desembarque) o que não seria proibido pela placa.

No entanto, quem costuma passar pelos portões dos colégios “classe A” de Fortaleza, sabe da esculhambação que os pais fazem nos horários de entrada e de saída das aulas: andam na contramão, param em filha dupla, estacionam em cima da calçadas e em locais proibidos, etc.

Dias desses, li a carta de uma leitora no O POVO queixando-se do problema grave que ela enfrenta por morar perto de um desses colégios. A mãe dela, idosa, sobre do mal de Parkinson e padece, todo dia, com o buzinaço que alguns pais promovem para chamar seus rebentos. Todos eles (pais e filhos) devem ter seus celulares de última gerão, mas talvez queiram chamar a atenção para os seus carrões.

É um belo exemplo de cidadania que os “poderosos” papais estão dando aos seus rebentos: quem pode mais, chora menos; a lei vale para os pobres, mas não para os ricos; eu satisfaço as minhas necessidades, os outros que se lasquem, etc., sem perceber que isso faz aumentar a brutalidade no convívio social.

Devem ser os mesmos que se queixam da violência, pedem a pena de morte e bradam pela redução da maioridade penal.

No comentário abaixo a leitora Elaine Luz faz um esclarecimento sobre a dúvida de o carro estar parado ou estacionado.

Recomendado para você

25 Comentários

  • Elaine Luz disse:

    É verdade, Plínio. Eu não havia observado que o proprietário do veículo, pelo ângulo de visão da foto, até poderia se beneficiar pela dúvida: se estava estacionado ou se somente parado para embarque e desembarque. Contudo, posso afirmar-lhe que nesse caso ele estava mesmo estacionado, pois lembro-me muito bem neste dia ter estado neste engarrafamento por longos minutos, o qual tinha início mais de duas quadras antes de onde o carro se localizava. Somente ao chegar próximo ao cruzamento é que nos foi possível identificar a causa do mesmo: o carro estacionado em local indevido. Em razão do tamanho do carro, somente um veículo de cada vez passava neste trecho.
    Espero ter deixado a situação mais clara desta vez.
    Abraço!!

  • Felipe disse:

    Perfeito o comentário!!

    É incrivel a falta de bom senso da nossa “elite”… se podemos dizer assim.
    Tente trafegar ou atravessar a av. Dom Luis, na altura de um dos melhores colégios da Capital… Vc vai só tentar! Pois não vai conseguir! Carros estacionados em local irregular, parados em filas duplas, enfim…. um caos! Sinceramente, eu fico envergonhado!
    Parabéns pelo post!

  • Pedro disse:

    A AMC, na gestão do Flávio Patrício, tinha uma missão diariamente, passava uma viatura, motos, nesses colégios, evitando que esses pais educados, com seus carros de luxos, não atrapalhe o trânsito, era de 11:00 as 13:00, ajudava muito, mas depois que entrou esta administração do Fernando Bezerra, do Cel. Gilson, essa missão foi cancelada, não sei por qual interesse? Talvez por ser colégios de grafinos.

  • george disse:

    concordo com todos, reconheci o colégio, meus filhos estudam nele, o problema no entorno desse colégio, seria facilmente amenizado, se a portaria da catão mamede, uma rua secundária paralela a joão carvalho fosse aberta, assim seriam ao inves de 2 portões para embarque e desembarque (silva paulet e nunes valente) 3 e essa catão mamede é uma rua de pouco movimento, falta ai a AMC botar moral e juntamente com os pais os maiores interessados exigirem do colégio que botem um porteiro (eles talveis não queiram pagar mais um) nessa portaria que vive fechada!!

  • george disse:

    ou seja não da pra tirar o do colégio da reta, todos somos responsáveis e muitas escolas não fazem o menor esforço para facilitar a entrada/saída, não querem ter despezas com novas portarias, não querem perder terreno para fazer acesso restrito/estacionamento, mais não abrem mão de seus reajustes…

  • george disse:

    uma medida que também ajudaria , seria as aulas do ensino fundamental começarem um pouco antes e acabarem antes da do ensino médio, coisa de 20 minutos, assim não ficaria aquela multidão pra sair todo mundo junto por 2 portões, é muito carro pra pouco espaço, por mais que as pessoas sejam educadas vai ter problema quase do mesmo jeito, a solução tem que ser essas..

  • Carvalho Neto disse:

    Cabe esclarecer que essa transgressão (recorrente) em frente às Instituições de Ensino, também se perpetuam em relação às funerárias.
    Cadê a AMC ????

  • Alexandre disse:

    Há quem me critique por falar, mas não me canso de repetir que o Ceará é uma província de gente, em sua maioria, mal educada e afeita à canalhice.

    Como motorista, à guisa de exemplo, junto meu lixo dentro do veículo e jamais paro em local proibido; além de ser proibido, é grande o risco de vir um bacana desses e, meio distraído, levar a lateral do carro numa colisão.

    A questão realmente é de educação e bom senso. Como dito no texto, há aqueles que, satisfeitos seus interesses, pouco se importam com a condição dos outros.

  • Felipe Lima disse:

    É incrível como um único veículo estacionado em local indevido gera consequências graves para o trânsito, gerando longos congestionamentos. E o pior de tudo é que é um problema de simples solução. Basta um guarda de trânsito aproximar-se e solicitar a remoção do veículo. No caso de recusa ou desrespeito, aplica-se a multa. Só falta isso para nosso trânsito ter uma melhora significativa: guardas nas ruas.

    Sobre o benefício da dúvida, vale lembrar que a permanência permitida em local de estacionamento proibido é o tempo de embarque e desembarque, isto é, não levaria mais que um minuto.

  • Dixon disse:

    Felipe, percebo que ao utilizar a expressão “bom senso” no seu comentário, explicitou-se um eufemismo para o que na verdade eu chamaria de FALTA DE EDUCAÇÃO. Infelizmente no Brasil, hoje em dia vive-se a cultura de que “Eu tenho direitos!”, porém ninguém quer ter deveres… Não importando a classe social.

  • Kiko disse:

    Gostaria de aproveitar e parabenizar a este que divide este espaço conosco. Plínio gostaria de lembrar os poucos que fazem o correto, pais q param ruas antes dos colégios “classe A” de Fortaleza e caminham com seus filhos passando-lhes um grande ensinamento.

  • Hugo de Brito Machado Segundo disse:

    Parabéns pelo post. Faz tempo comento esses absurdos no twitter.
    Estaciono meu carro um quarteirão antes do colégio onde meus filhos estudam, e vou deixá-los a pé. No caminho, vejo de tudo. Até uma mulher que estacionou em cima da faixa de pedestre e, quando reclamei (eu tentava atravessa a rua), ouvi dela: “- Minha filha também será pedestre quando descer do carro, por isso tenho direito de parar aqui”…
    Seria muito bom se a AMC fizesse plantão nas portas, nos horários de início e final de aulas. Melhoraria bastante o trânsito nas redondezas.
    E os pais ainda querem que seus filhos “se eduquem” no colégio, dando a eles péssimos exemplos em casa.

  • Antônio disse:

    Plínio, tenho duas filhas estudando no colégio em questão,desde o 1o. ano do ensino fundamental.A terceira filha,estudou desde o 1o. ano ,encontrando-se atualmente no 2o. ano universitário.O problema é recorrente, pois desde os primeiros anos da minha terceira filha, liguei várias vezes para AMC, solicitando a presença para ordenar o trânsito.Até hoje nunca fui atendido.Sempre deixei e peguei minhas filhas, nunca vi um agente de trânsito,como também nunca cometi uma infração, nunca desrespeitei o direito de outro.Se necessário, deixava o carro distante vários quarteirõres, chegava mais cedo, mas não deixava de exercer a cidadania, que nada mais é senão o respeito aos direitos de outros.Não se quer ,nem precisa, a presença constante de um agente de trãnsito, fiscalização se dá por amostragem.Se essas pessoas, admitissem a possibilidade de serem multadas, rebocadas, pode ter certeza que não cometeriam infrações.O que de fato existe é a total ausência de órgão de trânsito, tanto no estado, como nos municpios.Fortaleza, nem se fala, é o que se tem de pior.A gestão de trânsito é uma homenagem a inutilidade.É impressionante como a AMC congrega o que se tem de mais inservível no serviço público.É criminosa a conduta do órgão.É caso de intervenção.Mas nada disso justifica os pais marginais,que esperam confortavelmente os filhos que querem vê doutores.

  • HILARIA disse:

    MAS QUANDO O TRANSITO ESTÁ MAIS LIVRE,HÁ AQUELES QUE PASSAM NOS SEUS CARROS COM MUITA VELOCIDADE DEFRONTE ÀS ESCOLAS NÃO REDUZEM A VELOCIDADE PRÓXIMO A FAIXA DE PEDESTRES PARA QUE AS CRIANÇAS ACOMPANHADAS DOS PAIS ATRAVESSEM.QUEM FOR ATRAVESSAR QUE PARE E VOLTE IMEDIATAMENTE PARA A CALÇADA…QUER FLAGAR E MULTAR ? VÁ AO COLÉGIO QUE FICA NA SEN VIRGILIO TÁVORA ,CUJA ENTRADA E SAÍDA SE DÁ PELA RUA VICENTE LINHARES. LÁ NO HORÁRIO DAS 18 HORAS ASSISTE-SE UM FESTIVAL DE INFRAÇÕES…

  • Luiz Jr disse:

    Como dizia o Cazuza: “somos” caboclos querendo ser ingleses.Enquanto não mudarmos nossa mentalidade seremos eterna colônia.

  • Márcio disse:

    A má educação no trânsito se espalha por toda a cidade. Que circula pela Bezerra de Menezes, deve perceber quantos motoristas “queimam” os sinais ou fazem retornos em locais proibidos (como o sinal da D. Lino com Bezerra de Meneses). No entanto, a desorganização do trânsito não passa apenas pela fiscalização, mas pelas atitudes de pessoas que acham que o mundo gira ao seu redor, sem respeitar outras pessoas, sem transmitir valores a seus filhos.

  • Rafaella Miranda disse:

    Infelizmente dinheiro não compra educação, há duas semanas atrás enviei ao jornal O POVO uma foto do calçadão da Avenida Beira Mar, altura do novo espigão localizado no Aterro da Praia de Iracema com Beira Mar, que acabou de ser restaurado, quebrado na marra com uma rampa de acesso para caroos que estavam fazendo o calçadão de ESTACIONAMENTO, isso mesmo até o calçadão da Beira Mar virou estacionamento dos mal educados que frequentam o BOTECO PRAIA. Um verdadeiro ABSURDO! É uma cidade sem dono e sem gestão também, nenhum órgão funciona. A AMC era pra rodar dia e noite multando, e não ficar parados como fazem.

  • Hilton Santos disse:

    Senhores, a questão é que o coronelismo ainda não saiu (nem sairá tão cedo) de nossas mentes. Um colégio na Dom Luiz chega ao cúmulo de privatizar a rua paralela espalhando cones ao longo da via nos horários de chegada e saída para maior deleite da elite, deixando os demais cidadãos (elite ou não) a se espremer em um único lado causando assim lentidão e constrangimento, esses devem ser aqueles que bradam por civilidade em seus discursos,mas que exemplo seus filhos estão vendo?

  • José Júnior disse:

    Gostaria de deixar uma observação, para à elite de fortaleza, sou cearense mas moro em Lisboa atualente, e indico uma viagem para esses da “elite” de Fortaleza, venham para à EUROPA para ver a educação no transito; É uma vergonha ver pessoas com tanto “conhecimento” fazer isso, essas pessoas deveriam ser as primeiras a tentar fazer a diferença, e não piorar a situação: so porque tèm poder aquisitivo pensa que é melhor que os outros? As lei servem paras os pobres, vam ver la na barra do ceara se não tem muita policia multando gente por qualquer coisa!Quando eu morava ai nunca via a AMC fazer nada à respeito disso, fui ai no ano passado e~vi que não mudou nada…..

  • Adriana Herzog disse:

    Adorei essa matéria. Sofro todos os dias com o problema do trânsito para deixar meus filhos no colégio. Só que no meu caso é no Ari de Sá da Washington Soares. Eu moro a 2,5km do colégio, bem próximo. Se o trânsito fosse normal eu demoraria só uns 5min pra chegar lá. Entretanto esse tempo se estende para 20, 30min devido ao engarrafamento nas proximidades do colégio. O problema não é só dos pais. O erro é que a entrada dos pequenos, os quais os pais têm que estacionar para descer, fica na Av. Edilson Brasil no mesmo acesso para os pais que vão deixar os maiores que têm que dobrar na Washington Soares a direita. Aí fica um inferno e um perigo para essas famílias com filhos pequenos. Já falei até com a direção do colégio que reconhece o erro e diz que está tomando providências, mas essas não chegam nunca. O ideal era que deslocassem a entrada e saída dos pequenos para uma rua lateral, mais tranquila e segura para os pais e filhos que desembarcarem ali. Espero que meu depoimento realmente possa ser lido, pois não to querendo só me beneficiar e sim ajudar os outros.

  • Josias Cabelo disse:

    Em uma transmissão da televisão, o narrador, em dúvida se a mesma seria cortada para outra programa, comentou: “E aí? Ficamos ou saímos?”. Um jornalista, muito perspicaz, divulgou uma crítica ácida em relação a emissora, entitulada “Saiam meus amigos!”.

    Pois vos digo: saiam. Saiam desta cidade. Há 1 ano planejo minha saída daqui, junto com minha mulher. Como comentou bem o amigo Alexandre, a mentalidade provinciana cearense é pequena demais para os arroubos de crescimento em que o nosso estado se encontra.

    Eu tenho vergonha desta situação. Não concebo criar um filho meu, passando conceitos de civilidade, e melhor, sociabilidade, nesta pequena aldeia de 2.5 milhões de pessoas.

    Portanto, saiam meus amigos!…

  • Rafael Caneca disse:

    Concordo plenamente. Mas o mais interessante é que muitas dessas pessoas, que estacionam irregularmente, atrapalham o tráfego, congestionam as vias etc. são as primeiras a promover um verdadeiro buzinaço e reclamar quando veem alguma irregularidade. É a velha máxima do “eu posso, você não”.

  • Tony disse:

    Eu sempre vejo uns caras de pau que estacionam na Pontes Vieira, uma avenida super movimentada, para irem ao Bradesco – nem precisa dizer como atrapalha o trânsito. O problema de o Estado não coibir esses abusos é que a população passa a agir por conta própria – daqui a pouco a população vai começar a riscar esses carros ou secar os pneus.

  • Evilasio disse:

    Plinio, é absurdo isso e eu diria que não é apenas próximo às escolas. O trânsito na rua paralela à Av Humberto Monte sentido praia, para quem quer ter acesso à Bezerra de Menezes tá complicadíssimo. Fora inúmeros cruzamentos onde não existem sinais. É um show de falta de educação. Pessoas fecham cruzamento, pegam contra-mão, etc…

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *