Plínio Bortolotti

“Meritíssimos”, sobre a greve dos juízes

375 30

Meu artigo publicado na edição de hoje (1/]/12/2011) do O POVO

Meritíssimos
Plínio Bortolotti

Juízes do trabalho e federais paralisaram ontem suas atividades reivindicando aumento salarial. Os magistrados têm “subsídio” de R$ 21,7 mil (equivalente a 36 salários mínimos) e pedem reajuste de 21%. Os meritíssimos, diferentemente de todos os brasileiros (talvez de todos trabalhadores do mundo) têm férias de 60 dias, além dos “recessos”, muito comuns na Justiça.

Mas existe explicação para o pedido de aumento e também para as férias de 60 dias. Vejamos.

A categoria reclama que está há seis anos sem reajuste, tendo perdido 40% em seus salários. Se eles não tivessem “perdido” esse percentual, o salário mínimo de um juiz seria de R$ 36.022 (para recuperar uma perda de 40% é necessário reajuste de 66%). Portanto, vamos reconhecer-lhes a generosidade: frente à gigantesca perda, estão pedindo “apenas” 21% de aumento.

Quanto às férias de 60 dias, deixo a palavra para o vice-presidente da 1ª região da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Tourinho Neto, que emitiu nota, com o seguinte teor (trecho): “O cansaço mental do magistrado, sua preocupação diuturna para bem decidir, a falta de recursos materiais para bem desempenhar sua função, exijam um descanso maior, anualmente, para eliminar o cansaço cerebral”. Justo. Justíssimo.

Sugiro aos magistrados responder a duas questões:
1) “subsídio” de mais de R$ 21 mil não é mais do que razoável, para qualquer profissão, em qualquer país do mundo?; 2) acreditam mesmo ter argumentos para convencer quem quer que seja da razoabilidade de suas reivindicações?

Recentemente, depois de duríssima greve, os professores do Estado conseguiram nova tabela salarial, para vigorar em janeiro. A tabela começa com R$ 1.608,74 e vai até R$ 4.902,88 – para professores com título de doutor.

A sociedade inteira – mesmo quem discordava de alguns dos métodos utilizados na greve – ficou ao lado dos professores. Ficará ao lado dos juízes?

Recomendado para você

30 Comentários

  • Pedro Bó disse:

    O juiz, por lidar diariamente com questões que repercutem em grandes somas monetárias, não seria melhor administrado caso ganhasse bem, mas muito bem mesmo?

    Será que pagar fortunas a um juiz não seria uma forma eficiente de desistimular a olucupletação? Juízes são assediados constantemente e muitas vezes ficam divididos entre aceitar propina ou aceitar a morte. É uma profissão perigosa que merece rei pesa de herói, não achas?

  • Kylderi disse:

    Parabéns pelo artigo sobre os juízes. Gostaria de saber quanto ganham os funcionários de nossa abnegada e eficiente Justiça. Ontem vi em telejornais os servidores (como diria Nelson Rodrigues: maltratamos muito as palavras) reclamando de 5 anos sem aumento, contudo não houve repórter que divulgasse os vencimentos deles. Ensino numa escola particular, inclusive em frente a um Tribunal do Trabalho, e desconfio que esse brasileiros que só pensam nos outros devem ganhar mais do que eu que recebi 7% de reajuste neste ano. Algum deles recebe menos do que três salários mínimos e meio?

  • edgar de castro disse:

    faço uma simples pergunta e agora será que será decretada a ilegalidade da greve”MERITISSIMOS” como está sendo feito com todas as categorias que decretam greve?

  • Hanner Pinto disse:

    Resumo: Brasil !!! aqui cada um procura a maior fatia do bolo. Creio que em comparação aos “políticos” esteja razoável a solicitação dos magistrados (risos). Fico mais chocado com a explicação para os 60 dias de férias… bastava um pouco mais de dedicação e conseguiríamos acelerar alguns processos estagnados, mas talvez alguém entrasse em exaustão cerebral.

  • MARCOS COSTA disse:

    Perfeito. Esta matéria merece toda relevância. No Estado do Ceará os Policiais Civis estão a mais 40 dias de greve, e o governo sequer os recebeu. Sabem quanto ganha um Policial Civil em início de carreira, conforme edital na internet, a bagatela de R$ 2.100,00. Isto pra morrer em defesa da integridade do cidadão, se for preciso, claro. Porém do subsídio dos magistrados, somente aqui e agora estou vendo alguém discretamente fazer alguma crítica. UM ABSURDO, num país de palperrímos, uma casta de privilegiados que nem sempre tem cargahorária integral, não cumpre prazos, não dar ao jurisdicionado uma prestação convicente fazendo greve por mais. Quero ver se o Governador vai diminuir o repasse constitucional do poder judiciário. Isto eu duvido. Mas dos Policiais, que vivem morrendo, sem as mínimas condições de trabalho, com salário injusto pra função que desempenham, têm seu salário diminuído mesmo estando trabalhando. UMA VERGONHA.

  • Pedro Sales disse:

    A Constituição Federal determina a reposição inflacionária dos salários de todos os trabalhadores. Seria correto não aplicar aos magistrados? Há diferença entre aumento salarial e reposição de perdas inflacionárias.

  • Rafaela disse:

    É interessante notar que os juízes decretaram a ilgealidade de quase todas as greve que tem ocorrido ultimamente. Quem decretará a greve deles ilegal?

  • Cícero disse:

    Os juízes brasileiros são os mais bem remunerados do mundo para um serviço que muito mal prestam: os processos são eternos, tanto que a justiça só é boa para quem deve; credor tem é que se precaver pagando entidades particulares, com Serasa, SPC.
    Agora, terrível mesmo é juiz pego no flagrante ser aposentado compulsoriamente, alguns defendendo como “prerrogativa da função”.
    É de dar nojo.

  • Bosco disse:

    Pedro Bó

    Porque um juiz tem que ganhar uma fortuna para aceitar ser honesto? E eu tenho que ser honesto ganhando mau?
    O carater de um homem não é proporcional a sua renda.
    Se fosse por isso todo professor, médico, carteiro, policial, enfermeiro, taxissista, bancário, trocador, pipoqueiro, pedreiro, jogador de time pequeno e jornalista eram desonestos.

    E os políticos? Esses seriam honestissíssimos pelo tamanho do salário que ganham.

  • Evalson Alves disse:

    E ainda é esses mesmos magistrados que decretam greves justíssimas como ilegais pois ferem o interesse público, eles estão ferindo o quê? No mínimo a alma daqueles que realmente trabalham no chão desse país.

  • Antonio Costa disse:

    O articulista finge desconhecer a Constituição Federal, que garante a reposição das perdas inflacionárias para todas as categorias, o que inclui o juiz, e usa de sofisma ao comparar o subsídio de juiz com o salário de professor, uma coisa nada tem a ver com a outra. A injustiça que se pratica com o professor não é motivo para manter congelado o subsídio do juiz, não se pode nivelar “por baixo”.
    E mais, juiz não “ganha” 21 mil, mas recebe líquido R$ 15 mil, para julgar causas dificílimas, como é o caso da Justiça Federal, qualquer advogado competente ganha muito mais por mês sem ter que manejar 10.000 mil processos em estoque para cada magistrado.

  • Nara Mikaele disse:

    Criticar os juízes é muito fácil, difícil é ser eles. Quem não está no meio jurídico não tem a mínima noção da dificuldade que é ser um juiz hoje no Brasil. O concurso é um dos mais difíceis do país, exigindo pelo menos 3 anos de dedicação aos estudos. Depois desse sacrifício, os juízes ainda se submetem a todo tipo de pressão, um erro de um magistrado é estampado em cadeia nacional, sem se preocupar com as repercussões que isso possa trazer. Quanto ao argumento da demora dos processos, isso é alegação de quem não conhece os fatos…se a justiça é lenta devemos isso aos nobres legisladores, que dão diversas brechas para excelentes advogados levarem o processo anos a fio. O fato de professores ganharem pouco não implica dizer que o valor que juízes ganham deveria ser rebaixado, mas sim o salário daqueles é que deveria ser aumentado.

  • Davi disse:

    Argumentar que valores salariais elevados previnem corrupição é uma falàcia, vide nossos deputados, o que previne tal ocorrência é fiscalização, punição e moralização. Quanto à posição especial do magistrado frente a outros cargos públicos, temos que convir que é uma função garantida pela união e não uma causa nobre como muitos alegam. E respondendo a todos, em média um técnico do judiciàrio ganha entre 3 e 5 mil e um analista entre 5 e 8 mil.

  • André disse:

    Agora eu quero ver neguinho declarar essa greve e legal e descer o cacetete nos excelentíssimos. Enquanto a maioria das categorias entram em greve pelo salário de fome (professores, rodoviários, policia civil, correios), a classe dos magistrados, que vale dizer ser possuidora das maiores regalias, não acha suficiente seus R$ 21 mil reais. Tem que aumentar é contingente de servidor, pra agente vê se o Judiciário anda alguma coisa… Pra quem não sabe, 10% desses juízes que fazem suas próprias sentenças e despachos.. O restante, bem… é pra peão que, como dizia Bezerra da Silva, tem direito a um “salário de fome e uma vida normal” – E NÃO RECLAMA, SENÃO APANHA DE POLÍCIA!

  • André disse:

    Agora eu quero ver neguinho declarar a greve “ilegal” e descer o cacetete nos nossos excelentíssimos. A sociedade inteira, representada por diversas categorias (professores, correios, rodoviários, policiais civis), reclama um salário digno do Poder Público, enquanto os nossos magistrados parecem não se contentar com a fortuna que ganham, além das inúmeras regalias (quem tem que lidar com Juiz, que o diga). Pros que não sabem, 10% desses juízes fazem suas próprias sentenças e despachos, porque o restante quem faz é o peão que, como dizia Bezerra da Silva, tem direito a um “salário de fome e uma vida normal” – E SE RECLAMAR, APANHA! Se a população quer uma resposta mais eficiente e célere do Judiciário, deve ser investido nosso dinheiro em SERVIDOR PÚBLICO!

  • André disse:

    Agora eu quero ver neguinho declarar a greve “ilegal” e descer o cacetete nos nossos excelentíssimos. A sociedade inteira, representada por diversas categorias (professores, correios, rodoviários, policiais civis), reclama um salário digno do Poder Público, enquanto os nossos magistrados parecem não se contentar com a fortuna que ganham, além das inúmeras regalias (quem tem que lidar com Juiz, que o diga). Pros que não sabem, 10% desses juízes fazem suas próprias sentenças e despachos, porque o restante quem faz é o peão que, como dizia Bezerra da Silva, tem direito a um “salário de fome e uma vida normal” – E SE RECLAMAR, APANHA DA POLÍCIA! Se a população quer uma resposta mais eficiente e célere do Judiciário, deve ser investido nosso dinheiro em SERVIDOR PÚBLICO!

  • Audisio disse:

    Nara Mikaele, concordo. E pelo seu raciocínio os médicos deveriam ganhar 3x o que ganham os juízes.

  • Abigail disse:

    Cada classe tem sua remuneração, acho justo todos lutarem por melhores salarios, o professor deveria ganhar bem mais do que está ganhando, o policial também deveria ganhar melhor e as demais classes de trabalhadores idem. Agora questionar a remuneração de servidores do judiciário é coisa de “gente pequena”, estudem mais e prestem novos cocnursos ou larguem seus empregos atuais e ingressem no judiciário se acham que estão ganhando pouco, mas não se nivele por baixo. PRA SE GANHAR BEM NÃO É NECESSÁRIO QUE O OUTRO GANHE MENOS!

  • flavio disse:

    O nobre jornalista poderia ter enriquecido mais ainda o debate acerca de seu brilhante artigo, caso citasse a situação caótica dos policiais civis, que tambem paralisados, buscam melhores condições de trabalho e salário. Sofrendo pelo descaso do governo estadual, ainda tem que engolir a decisão do Meritíssimo presidente do STF, proibindo greve de policiais, sem abrir uma alternativa para que esses servidores especiais busquem melhorias para sua atividade laboral. Sua Excelência entrega os servidores da segurança ao jugo ditatorial dos governantes, que agora têm o direito de decidir o que fazer com o futuro desses profissionais na hora que bem entenderem. É o Brasil dos contrastes. Como escreveu com muita propriedade a leitora NARA MIKAELE: “Criticar os juízes é muito fácil, difícil é ser eles. Quem não está no meio jurídico não tem a mínima noção da dificuldade que é ser um juiz hoje no Brasil.” Comentário perfeitamente aplicável aos profissionais da segurança pública do estado do Ceará.

  • PC disse:

    Quero ver alguém cortar o ponto deles e reduzirem ou retirarem por completo o salário devido a faltas de greve. Essa eu queria ver.

  • José Tavares disse:

    A questão de consciência social para o contexto sócio-econômico. Não importa saber se o que ganha um juiz, mensalmente, equivale a 40 meses de trabalho do assalariado? A elite de juduciário reivindica o status de “trabalhador” da Suécia, Dinamaarca etc. Isto sem falar que é difícil encontrar um juiz no seu local de trabalho antes das 14 horas. E sempre tem os auxiliares que fazem tudo para o magistrado assinar. Alegar que a ascensão ao cargo é dificil por conta do conscurso é desculpa sem conteudo. Dificil e criar a família decentemente com o SM nacional. Conter-se sendo empregada doméstica de um juiz. Confortar-se com tamanha disparidade vivendo sobre o mesmo teto.

  • Ceará disse:

    Tenho 20 anos de Servidor da Justiça e ainda não vi Juiz com cansaço cerebral, e olhe que já trabalhei com inúmeros juízes. A cada dia os Juízes trabalham menos (a assessoria faz tudo), e persistem inúmeras regalias ou salários indiretos, tais como, carro oficial, celular Iphone 4, auxílio moradia, notebook, gasolina, indenização de um subsídio por dependente livre de imposto, e por fim, férias remuneradas de 60 dias. Defendo sim, um Judiciário independente e que Juízes sejam bem remunerados, mas temos que acabar com certas aberrações, sendo as férias de 60 dias um verdadeiro absurdo!

  • A magistratura é muito importante para qualquer país e a democracia e deve ser remunerada condignamente. Contudo, não é justo os juízes ganharem bem mais que qualquer outra profissão, muitas das quais como médicos e professores que têm salários de miséria. Dizer que um salário de mais de R$ 21.000,00 é pouco é um insulto ao trabalhor e às outras profissões.

  • fco jose disse:

    Não sou membro do Poder Judiciário, tampouco tenho parentes na magistratura. Apenas um advogado público, e não preciso bajular nenhum juiz. Quem milita no Poder Judiciário é sabedor que um magistrado tem uma carga de trabalho das mais pesadas. Traçar paralelo entre outros profissionais, a meu sentir, é tarefa das mais difíceis se levarmos em conta a capacidade de um magistrado nos tempos hodiernos, submetidos a concursos dificílimos. Sinceramente, não vejo os salários dos juizes como grande fortunas mensais. O que ocorre, obviamente, neste País, é a política do não reconhecimento do poder público em relação a outras categorias, a começar pelos professores que deveriam ser bem remunerados, ante a sua importância no contexto social. Qualquer profissional, seja médico, advogado, juiz e outros, primeiro passa pelos ensinamentos do professor. Em relação à segurança, a vergonha anda solta. O policial civil ganha pessimanente mau. Por que não equiparar aos policiais de Brasília, que têm salários iguais aos da polícia federal. Embora respeitando a opinião dos demais, firmo convencimento que um magistrado, seja federal ou estadual, ganha abaixo do merecido. A morosidade da justiça é latente, mas a culpa é do próprio Poder Judiciário que não dão as condições necessárias. O número de juiz édesproporcional em relação à demanda. Falta servidores para dar o apoio logístico. Aqui no Ceará é público e notório que a Justiça Estadual presta um desserviço à sociedade, pois a demora nos julgamentos dos processos é irritante, sempre na fila da longa espera. apesar de cobrança perante o Conselho Nacional de Justiça, o que já foi feita pela OAB-CE, A justiça estadual é SUS em coma. Fica aqui o meu mais veemente protesto contra essa morosidade nos julgamento dos processos, máxime na Justiça Estadual. A letargia parte do próprio Tribunal de Justiça, porquanto não imprime uma política administrativa eficiente. Evidente, neste caso, que a culpa vai recair na ponta. Nos juízes e servidores.

  • ronaldo disse:

    Hoje em dia todo analfabeto fala o que quer!

  • Luciano Alencar disse:

    Só há um modo de definir essa greve: cara de pau!

  • Lima disse:

    Julgar outras categorias trabalhistas é uma tarefa difícil. Mas, convenhamos, 21 mil reais de salário e 60 dias de férias por ano é demais! Se fosse pros médicos plantonistas do IJF, eu até concordaria pq aquilio sim é trabalho que cansa o corpo e a mente ao extremo, lidando com vida e morte. O argumento de o concurso ser difícil é mais do que esfarrapado: o concurso é difícil pq o salário é alto e isso aumenta a concorrência. É só diminuir a disparidade entre o salário do juiz e dos demais profissionais que o concurso fica mais fácil rapidinho… Abs

  • De um leitor disse:

    O texto abaixo foi de um e-mail, a respeito do artigo “Meritíssimos”. Publico do modo como recebi, de um “leitor”. Retirei apenas a segunda parte, em que a ataques desvairados contra vários políticos. pelos termos, dá para notar o nível de algumas pessoas que defendem o reajuste para os magistrados
    ………………………….

    Título do e-mail: “Vc Cale sua Boca, Rapaz”

    Olha aqui, Plínio Bortolotti,

    Quem vc pensa que é pra falar mal dos magistrados da justiça do trabalho e federal? Vc por acaso sabe da rotina diária de trabalho de um magistrado, por acaso. Sabe da quantidade de processos que um juiz deve julgar. Vc tem noção do quão difícil é chegar em um cargo desses, de quantas coisas a pessoa tem que abdicar para lograr êxito, com exceção dos que entram em tribunais pelo quinto.
    Sabe que, na maioria das vezes, é necessário se ausentar completamente da família ou então constituir família em uma terra completamente diferente da sua terra natal, sem parentes por perto, e na maioria das vezes não poder ter sequer uma perspectiva de retorno. Da pressão a qual é submetido um magistrado em relação a carga de processos para julgar, ás vezes tendo que se submeter a certos abusos por parte de alguns próprios colegas que são mais antigos e exercem forte discricionariedade.
    Sabe o que é vc ter que trabalhar e, por causa disso, em alguns casos, não todos, sofrer ameaças de morte junto com sua família??? Vc tem noção disso??? Vc não conhece, acha que sabe, acha que todos os juízes não trabalham e ganham 21,7 mil na moleza…
    Rapaz não é assim não, vc está enganado. Na Constituição Federal está previsto o reajuste salarial ANUAL e já faz cinco anos que não houve nada. Se vc fosse um magistrado e estivesse ciente desta regulamentação da Constituição e estivesse cinco anos sem receber nada, vc também estaria indignado. Não interessa se o salário é alto ou baixo, se está previsto em lei, tem que ser cumprido.
    Além do que fora as ameaças a integridade física. Aí vem vc com tom de ironia brincando desse jeito. Se é pra falar merda, cale a boca rapaz… Não fale do que vc não conhece, se vc não sentiu na pele. É mais do que justo este pedido.

  • Lima disse:

    Caro Leitor,

    magistrados não são os únicos a ter vida dura neste país, não, viu? Eles só são dos poucos que ganham 21 mil reais! Fora que a CF é desrespeitada em seus princípios mais fundamentais de garantia de exist~encia digna pra aproximadamente um quinto da população. E nem por isso qualquer setor da sociedade, menos ainda os magistrados, se levanta e ergue a CF em cobrança contra esses abusos. Mais uma: ninguém é obrigado a se sacrificar pra assumir esta ou aquela profissão. Se o faz, é por responsabilidade própria! Ou talvez pra ganhar míseros 21 mil reais por mes, tendo apenas 60 dias de férias remunerads por ano!

  • Alexandre disse:

    O Brasil é mesmo um país de muitos invejosos e incapazes que criticam maldosamente, mas não gostam de estudar e trabalhar…

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *