Plínio Bortolotti

Sobre as manifestações contra o governo Dilma: “A marcha”

607 2

“Ponto de Vista” publicado na editoria Política, edição de 13/4/2015, do O POVO, a respeito das manifestações contra o governo Dilma Rousseff ocorridas no dia anterior.

Hélio Rôla

Arte: Hélio Rôla

A marcha
Plínio Bortolotti

Militantes da esquerda estão comemorando, nas redes sociais, o fato de a manifestação de ontem ter reunido público menor do que a ocorrida em março. Desculpem, mas louvar tal fato seria o mesmo que se festejasse caso a derrota para o Brasil frente à Alemanha não fora de sete a um, e sim de cinco a um.

De qualquer modo, o líder do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, anunciou que não mais convocará atos na capital paulista, pois pretende levar os protestos até o Congresso Nacional. Para isso organizará uma caminhada de São Paulo até Brasília.

Se ele conseguir o feito, além de perder o monopólio das ruas (como escrevi em meu blog no dia da manifestação de março), a esquerda perderá também o monopólio das estradas, pois as “marchas” são tática característica do trabalhadores rurais do MST.

Porém, um aviso aos neomanifestantes: marcha de longo tiro não é um passeio pela avenida Paulista, na qual se pode recorrer ao Starbucks; ou na Praça Portugal, em Fortaleza, onde se pode entrar distraidamente na Delitália e, devido à euforia, sair esquecendo-se de pagar a conta.

Recomendado para você

2 Comentários

  • carlos disse:

    Eu sabia que iria ler isso, esse movimento ridículo fracassou.
    Aliás acredito que foi um enorme tiro no pé da direita mostrar sua face antidemocrática,autoritária e fascista.
    A direita é isso menos direitos trabalhistas e crianças mortas pela polícia, nada mais.
    Só acho lamentável a postura, mais uma vez,covarde do PT.
    Quem se manifesta pedindo intervenção militar deve ser preso, não consigo engolir bandidos incitando o crime publicamente e ninguém tomando providência alguma.
    Se prendermos meia dúzia ,esses covardes(como todo direitista) calam suas bocas imundas.
    Não há nada mais vil e covarde do que se manifestar em uma democracia pedindo uma ditadura.
    Quem deveria ir para Cuba ou para a China são eles já que gostam de militarismo, pena de morte e odeiam direitos humanos.

  • carlos disse:

    Numa democracia a divergência política ter que ser aceita sempre, ou não é democracia. Agora, ser favorável a PL da terceirizaçao não é divergência política, é mais para crime econômico, ou de lesa patria, ou contra a humanidade, ou…Essa excrescência tem que ser combatida não apenas pela CUT, mas deveria ter sido também no dia 12, se eles soubessem o que ela representa.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *