Política

Capitão Wagner acusa delegada de forjar provas em inquérito de chacina

681 15
Prisão de PMs acusados de chacina é "injustiça", diz Wagner (Foto: Divulgação)

Prisão de PMs acusados de chacina é “injustiça”, diz Wagner (Foto: Divulgação)

O deputado Capitão Wagner (PR) acusou nesta quarta-feira, 22, responsáveis pelo inquérito da Chacina da Messejana de terem “forjado provas” contra 44 policiais militares presos no caso. Acusando delegada do caso de apontar provas que não existiam nos autos, o parlamentar criticou ainda “falta de coragem” da Justiça do Ceará para libertar os agentes.

“Até hoje, não existe nenhuma testemunha que aponte provas contra esses militares (…) a delegada apontou fatos que não existiam nos autos. Ela forjou localização geográfica nos mapas apresentados no processo. Eu não entendo porque, com tantas falhas, o juiz não liberta esses policiais”, disse Wagner na Assembleia.

Capitão Wagner destacou ainda recente decisão que liberou grupo criminoso conhecido como “Quadrilha dos Pipoca”, envolvida em assaltos a banco e carros-fortes no interior. “Essa quadrilha, apreendida com armamento de grosso calibre e que já matou três policiais, foi libertada por decisão do STF, mas nenhum juiz cearense teve coragem para soltar os 44 PMs”.

Chacina da Messejana

Os 44 policiais acusados de participarem na chacina tiveram prisão decretada por um colegiado de três juízes em agosto do ano passado. Segundo denúncia do Ministério Público do Estado (MP-CE), eles teriam participação no assassinato de onze pessoas na Chacina da Messejana, ocorrida na madrugada de 12 de novembro de 2015.

Em denúncia de 16 volumes, mais de cinco mil páginas e que ouviu mais de 33 testemunhas, o MP apontou indícios de execuções “sumárias e aleatórias”. Segundo o órgão, a chacina iniciou como retaliação ao assassinado do soldado Valtemberg Serpa, ocorrida na véspera. Diante do insucesso na localização de alvos, as vítimas passaram a ser escolhidas de forma aleatória.

Quase todas as vítimas tinham menos de 20 anos, tendo apenas duas elas passagens pela polícia – uma por acidente de trânsito e outra por não pagamento de pensão. O MP afirma ainda que existem provas suficientes para condenar os acusados. Entre as testemunhas de acusação, estão inclusive um sargento e um policial da PM.

Outro lado

A delegada Adriana Câmara, responsável pelo inquérito do caso, não quis comentar declarações de Wagner. Em nota, a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) informou que investigação tocada pela Delegacia de Assuntos Internos (DAI) respeitou todo o trâmite processual. Ela destaca ainda que mais de 200 testemunhas foram ouvidas no caso.

O deputado aponta ainda que não existem testemunhas que apontem provas concretas contra os acusados. O Ministério Público rebate essa tese, destacando que, no momento dos assassinatos, os autores da chacina estavam encapuzados.

Recomendado para você

15 Comentários

  • José Carlos disse:

    Este capitão já provou por a mais b, que está no parlamento, se e somente se, para defender policiais militares. Já os cidadãos que pagam seus impostos e pagam os salários destes mesmos policiais e dos parlamentares, que se lixe.

    • Tiago disse:

      Policial tbm não é Cidadão? Policial tbm não paga impostos? Acompanhe mais o trabalho do mesmo…

    • Miguel Ferreira disse:

      Meu amigo ele defende todos só que a Pauta e os policiais militares se fosse. Contra cidadãos ele falaria OK saiba observar as coisas com mais clareza ele defende professores, todos mas a exclusividade e os policiais militares que estão injusticadosm

    • Miguel Ferreira disse:

      José Carlos veja o todo não do um lado policial e antes cidadão. Se ponha no lugar deles

  • ANTÔNIO LUCIANO disse:

    Provas testemunhais? Testemunhas da própria comunidade, de conduta e caráter duvidoso. Esse País e principalmente o Estado do Ceará são uma vergonha para o mundo.

  • Wagner disse:

    Então o ministério público sabe quem foi os encapuzados , que foram matar e no capuz colocaram suas fotos pra serem reconhecidos , sendo que os próprios dos 44 e presos e a a maioria é estavam fardado, monitorados, com indetifiçao Nós uniformes e com GPS e sem a mínima possibilidade de estarem encapuzados , pois não é permitido ao PM usar capuz de serviços nas viaturas rondas e POG’s e o ministério público fala com ênfase que os executores eatavam com rostos cobertura , agora me falem, como é que o ministério público tem a certeza que foram eles ?

  • Wagner disse:

    Então o ministério público sabe quem foi os encapuzados, que foram matar! Pois nos capuzes deles estavam suas fotos para serem reconhecidos, sendo que, os próprios 44 presos a maioria estavam fardados, monitorados, indetificados e com GPS e sem a mínima possibilidade de estarem encapuzados, pois não é permitido ao PM usar balaclavas. O ministério público fala com ênfase que os executores estavam com rostos cobertos agora lhes pergunto: como é que o ministério público tem a certeza que foram eles ? Os promotores viram nas imagens das câmeras e-o coonheram todos os 44 policiais encapuzados? Nem as vítimas em juízo conheceram imagine eles que não estavam na hora.

  • SILVIO VIEIRA disse:

    Em parte o Deputado tem razão, NÃO HAVERÁ NO ESTADO UM ÚNICO MAGISTRADO COM CORAGEM PARA SOLTAR QUALQUER UM DOS INDICIADOS. Ocorre porém que ele há de compreender que, diante das denuncias de vendas de liminares feita por um ex-presidente do TJCE, qualquer decisão favorável a liberdade de pessoas envolvidas em casos de grande repercussão será visto com “maus olhos”, pairando sempre uma desconfiança sobre quem tiver a coragem de soltar algum indiciado. É bom que o deputado saiba que esta situação de aprisionamento como meio de resposta aos anseios da sociedade é uma praxe no sistema jurisprudencia cearense, e no caso dos policiais, sua prisão é apenas mais uma demonstração do conceito punitivo que paira e domina aqueles que deveriam se por como baluartes da lei. Mesmo no STJ, há possibilidade de soltura é remota, pois, A SOCIEDADE EXIGE que a reprimenda antecipe o julgamento.

  • Luis bismarck disse:

    Porque será que o capitão tá parecendo perdido nessa sua tentativa de mostrar serviço em prol dos policiais. Porque ele não entra logo com uma assessoria jurídica no stf. Ora bolas!

  • Ernane disse:

    Meu DEUS como pode,soltar uma QUADRILHA COM PROVAS CONCRETAS e manter presos POLÍCIAS COM “ACHISMO” dá-lhe brasil sil sil : (

  • Maria de Fátima de Lima Moraes. f disse:

    Enquanto os policias estão sendo assassinados,a sociedade não olha para o outro lado da moeda.E não é só a sociedade que faz vista grossa para isto,o MP também alega que as leis do país não são rigorosas para
    bandidos. Só vão sentir na pele quando um ente querido é assassinado brutalamente.Como entender as leis que os Recursos Humanos também defendem bandidos? É uma vergonda.
    ,

  • Maria de Fátima de Lima Moraes. f disse:

    Vergonha

  • Também sou policial e desde desta prisão que deixei de dar o meu sangue pela sociedade vaces vão ver logo haverá uma guerra civil por enquanto os vagabundos vindo pra cima dá gente com apoio de alguns​ politico envolvidos no crime organizado mas a sociedade em geral vão começar sofrer esses atentados aí todos vão ver o valor que tem um policial

  • Alex disse:

    O Dep.Vagner só sabe comprar e reclamar. Mais nada. É fácil ser parlamentar assim.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *