Política

Presidente do TRT-CE diz que só pode haver reforma trabalhista com participação popular

Ato no Tribunal Regional do Trabalho no Ceará (Foto: Divulgação)

Em ato público de defesa à Justiça do Trabalho realizado na manhã desta sexta-feira, 31, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, desembargadora Maria José Girão, defendeu que as reformas em discussão no Congresso, inclusive a trabalhista, precisam ser debatidas com a população.

“Hoje não podemos fazer reformas sem que haja a participação popular, sem abertura para o diálogo. Somente assim, as reformas podem ser legítimas, porque as pessoas puderam expressar suas opiniões”, afirmou. O ato aconteceu no Fórum Autran Nunes, no Centro de Fortaleza.

A mobilização foi realizada simultaneamente em todo o Brasil pelos 24 Tribunais Regionais do Trabalho, em seus respectivos estados. O evento marca o lançamento de uma campanha nacional promovida pelo Colégio de Presidentes e Corregedores dos TRTs, com o objetivo de chamar a atenção da população para as recentes ameaças à Justiça do Trabalho e aos direitos trabalhistas.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), o advogado Marcelo Mota, também participou do ato. Ele afirmou que a extinção da Justiça do Trabalho e de direitos sociais seria um grande retrocesso. “Retirar direitos dos trabalhadores representa um grande atraso. Advocacia está mobilizada em todo o país em defesa desta instituição. Contem com nosso apoio”, disse.

O ato também reuniu magistrados, membros do Ministério Público, advogados, fiscais do trabalho, políticos, servidores, trabalhadores e representantes de entidades de classe.

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *