Política

PEN do Ceará quer liberação para apoiar Ciro em vez de Bolsonaro em 2018

404 9

Representante do PEN na Assembleia defende apoio a Ciro no 1° turno em 2018 (Foto: Divulgação / AL-CE)

Aposta do PEN para disputar a presidência da República em 2018, o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), ainda no PSC, pode não ter palanque no Ceará no 1° turno. Isso porque a sigla no Estado é aliada do grupo dos Ferreira Gomes e vai tentar liberação para apoiar o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) na eleição. A informação é do único representante do PEN na Assembleia Legislativa, deputado Bruno Gonçalves.

“Ouvi falar que dia 11 será a filiação do Bolsonaro em Barrinha, em São Paulo, e nós iremos para tratar disso. Precisamos conversar, afinal nós temos um grupo político no Ceará, um grupo político de amigos que terá um candidato a presidente. Então, a gente vai, com certeza, na hora lá pedir a liberação para que no primeiro turno a gente possa apoiar Ciro Gomes”, afirmou.

O parlamentar disse que se não houver liberação, vai conversar com o grupo para tomar um posicionamento. “Na minha opinião, uma aliança com o Ciro no 1° turno, para a gente poder agregar a maior quantidade de votos para o Ciro no 1° turno, a gente poderia ser mais forte para o Bolsonaro em um eventual 2° turno”, defendeu.

“Extremismo”

Embora tenha comemorado a filiação de Bolsonaro à sigla, afirmando ser um “grande nome” com apoio de 20% da população, Bruno Gonçalves disse que o deputado federal terá de abrandar posicionamento “extremista“.

“(O Bolsonaro) é extremista total, o Bolsonaro é uma das pessoas que, para ganhar eleição, precisa ouvir gente como a gente, de que extremismo não vai para canto nenhum, todos os extremistas ou estão presos ou mortos. Eu admiro o Bolsonaro pelas declarações firmes, mas ele precisa também ter um lado conciliador para agregar os 30% da população que ainda falta”, disse.

O anúncio de que Bolsonaro embarcaria no PEN saiu nesta segunda-feira, 31.

Recomendado para você