Política

General Theophilo diz que ditadura foi “contragolpe democrático”

1312 3

(Foto: Alex Gomes/Especial para O POVO)

O candidato do PSDB ao Governo do Estado, General Theophilo, afirmou em entrevista no programa Live Política, do O POVO, que a tomada do poder pelos militares foi um “contragolpe democrático”. Segundo ele, o País, presidido por João Goulart, estava caminhando para sistema econômico comunista, o que foi evitado pelos militares. Evidência disso, segundo o  candidato tucano, foi a condecoração do revolucionário cubano  Che Guevara pelo então presidente Jânio Quadro, em 19 de agosto de 1961.

Ele ponderou, entretanto, que os líderes do período cometeram erros.  Disse que o mais acertado seria o primeiro presidente do regime militar, Humberto de Alencar Castelo Branco, ter repassado o poder para os civis. Ele classificou Castelo Branco como um herói cearense, que levou o País a combater “toda essa estrutura comunista”.

Confira a entrevista:

#LivePolítica | Entrevista com o General Theophilo, candidato ao Governo do Ceará pelo PSDB. #opovo

Publicado por O POVO Online em Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

 

Sobre a última pesquisa Ibope/Verdes Mares, que o coloca com 4% das intenções de voto, ele ironizou com perguntas: “a pesquisa é confiável? o Ibope é de quem? Agora, recentemente, a senadora Kátia Abreu estava disparada para Tocantins, que lugar tirou ela?”. A vice de Ciro Gomes terminou o pleito suplementar – após cassação do mandato do ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) e de sua vice, Cláudia Lélis (PV) – para o Governo de Tocantins em quarto lugar.

Sobre segurança pública, Theophilo atribuiu o recrudescimento do tráfico e facções criminosas ao governo de Camilo Santana (PT) que, para ele, é “frouxo”. Para a área, ele diz que deve se tirar o “oxigênio das facções, que é o combustível da droga”.

Prometeu ainda combater o “colarinho branco” do crime organizado, que incluiria, segundo apontou, desembargadores, políticos e, inclusive, militares. “Como eu não tenho comprometimento com ninguém, vou atuar em todos os setores e doa a quem doer”, garantiu. Perguntado  pelo jornalista Ítalo Coriolano sobre o perfil ideal para a Secretaria de Segurança e Defesa Social (SSPDS), o tucano falou que, embora não tenha nome em mente, traça um militar com a mesma formação que teve.

Recomendado para você

3 Comentários

  • carlos anselmo disse:

    o general, passados os anos, ainda permanece ancorado na guerra fria.
    apreço pela democracia, o que é bom, nenhum.
    mais um autoritário na cena política. será breve como uma chuva de verão.
    passar bem.

  • Marcelo Amaral disse:

    Mas uma cria do autoritarismo e da ignorância. Apoiador da tortura e de centenas de mortes nos porões da ditadura.

    A verdade é que não havia ameaça comunista nenhuma; o que houve foi um golpe militar financiado pelos EUA, que pretendendo ampliar sua hegemonia na América latina, promoveu golpes militares em quase todos os países da América do Sul.

    Outra, parem de falar sobre o que não conhecem, tenho certeza que 99% dos críticos do comunismo (inclusive o general) nunca leram uma obra de Karl Marx.

    Parem de reproduzir o senso comum, de servir de massa de manobra da propaganda ideológica neoliberal.

    Regime militar nunca mais!

  • Marcelo Amaral disse:

    Quem defende a ditadura faz apologia ao crime e deveria responder por isso.

    O TSE deveria está de olho nesses candidatos que defendem a morte, o estupro, a tortura e todos os crimes contra a dignidade humana.

    Abra o olho população que o próximo pode ser você.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *