Política

“Quem foi que criou o boato? Foi o governo”, rebate Capitão Wagner

4314 3

Capitão Wagner, deputado federal do Pros (Foto: Agência Câmara)

Deputado federal pelo Pros e um dos aliados de Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, Capitão Wagner disse na tribuna da Câmara nesta quarta-feira que o governo federal “criou o boato” de que o contingenciamento dos recursos da educação estaria suspenso.

“Os partidos do presidente estavam presentes (à reunião com Bolsonaro no Planalto), e vem a líder do Congresso e diz que é boato. Quem foi que criou o boato?”, questionou o parlamentar, referindo-se à deputada Joice Hasselmann (PSL). “Foi o governo, que voltou atrás e depois voltou atrás de novo. Recuou duas vezes.”

Wagner era um dos deputados que estavam reunidos com Bolsonaro no fim da tarde de hoje quando o plenário da Câmara aprovou a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que terá de dar explicações na Casa sobre os cortes na verba para manutenção das instituições de ensino. A audiência está marcada para as 15 horas, na Câmara.

Ao Blog Política, o deputado do Pros disse ter testemunhado telefonema do presidente da República para Weintraub logo depois de aprovada a convocação.

Bolsonaro determinou, relatou Wagner, que o ministro suspendesse o corte e convocasse uma coletiva de imprensa para anunciar a decisão.

O relato do cearense foi confirmado por Delegado Waldir, também deputado e líder do PSL na Câmara, que narrou o mesmo episódio no plenário.

Bolsonaro ordenou que ministro suspenda cortes nas universidades, dizem deputados; Casa Civil nega

Horas depois, no entanto, a Casa Civil e o MEC desmentiram a história. Pelas redes sociais, Hasselmann escreveu que se tratava de “boato barato”.

Wagner então foi à tribuna. “Com todo respeito que tenho ao presidente em quem eu votei, eu não admito ser chamado de mentiroso”, defendeu-se.

“Espero que os demais parlamentares que estavam na reunião, amanhã (quinta), possam indagar ao ministro da Educação se ele recebeu uma ligação telefônica do presidente.”

O deputado acrescentou: “Porque ou o ministro está mentindo ou o presidente não ligou pra ele. Será que o presidente forjou a ligação na nossa frente? Tenho certeza que não”.

O congressista admitiu ainda ter dito para Bolsonaro que “ou o presidente assume a liderança dessa nação de fato ou nós vamos ter um problema grave de falta de condução desse país”.

E finalizou: “Eu disse na cara do presidente e dos demais deputados que estavam batendo cabeça – tá batendo cabeça o PSL, tá batendo cabeça a família do presidente, tá batendo cabeça esse guru lá dos Estados Unidos que fica atrapalhando”.

3 Comentários

  • CLINA disse:

    Como sempre!

  • Miqueias Maia disse:

    Essa vai pra página Bolsominions Arrependidos.

  • Rogério disse:

    Governo está sem credibilidade. Não cumpre as promessas feitas a exemplo da revisão da tabela do IR que já está 95% defasada. Um dia fala uma coisa, no outro desmente. É uma bagunça total, enquanto isso a estimativa do PIB só cai. Creditam isso a necessidade de se implantar uma reforma da previdência cruel, mas não implantam o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituição. Não tocam na elite. Tudo recai de forma perversa sobre a classe média e baixa. São 58 brasileiros na Forbes com fortunas somadas em mais de R$ 700 bilhões. Eles são intocáveis !!! Se deixarmos o pau vai quebrar só nas nossas costas, enquanto a classe alta fica cada vez mais bilionária. Acordem !!!

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =