Radar do Comércio

Desafios e mudanças na rotina dos professores durante a pandemia

Sala de aula com notebook aberto; congresso debate desafios de professores e educadores

II Congresso de Educação Sesc Senac aborda o tema Inteligência Emocional em Tempos Adversos e a Atuação Docente (Foto: Unplash)

Com novos equipamentos, home office e quarentena, os profissionais da Educação precisam propor um aprendizado além do convencional 

O ano de 2020 foi marcado pela aceleração no processo de transformação digital em diversos segmentos da sociedade, sendo a Educação um dos mais afetados. Devido à pandemia da Covid19, com as aulas presenciais suspensas, professores, gestores educacionais, educadores e alunos tiveram que repensar e aprender novas formas de seguir com a aprendizagem.

Embora já houvesse um processo em curso no uso de novas tecnologias no ensino, a necessidade de adaptação imediata a uma nova realidade de aulas online ou remotas trouxe novos desafios para o dia a dia dos profissionais da Educação. Em 2020, o instrutor do Senac Cariri, Daniel Costa, educador inovador certificado pelo Google, ministrou o curso Aplicativos Google para Professores de forma remota e percebeu que as principais adversidades enfrentadas pelos professores estão relacionadas às plataformas e suas especificidades.

LEIA MAIS | Mesa Brasil Sesc completa 20 anos consolidado como maior banco de alimentos do País

“Ficou mais evidente que a falta de um curso de informática básica faz grande diferença no resultado diante dessa mudança. Para muitos educadores foi e ainda é desafiante utilizar de maneira assertiva os recursos tecnológicos (computador/smartphone) e as plataformas virtuais de ensino, bem como orientar sua utilização pelos alunos. Outro grande desafio é o acesso à Internet por parte dos alunos, que muitas vezes se limita ao pacote de dados do smartphone, e, geralmente, é insuficiente para assistir aulas remotas”, explica.

Para a professora Carmem Lúcia, aluna do curso do Senac, os desafios abriram novos olhares em sua profissão. “Todas as possibilidades tecnológicas já existiam, mas agora nós as redescobrimos no sentido de entendermos que nós precisamos estar conectados. Algumas vezes mais, outras menos, mas nós precisamos nos logar para interagir”, afirma.

Entre novos equipamentos, home office e quarentena, os profissionais da Educação foram desafiados a propor um aprendizado além do convencional, integrando tecnologias e estratégias didáticas com inovação para manter os alunos motivados. O que exige não só estrutura física como, principalmente, inteligência emocional e cuidados com a saúde mental.

Além da necessidade de vencer as limitações no ambiente de trabalho, Carmem também pontua a importância de cuidar do contexto pessoal. “Quando nos deparamos com o isolamento social, a gente vê várias emoções que precisam ser cuidadas cotidianamente. É fundamental ter essa consciência”.

Diante do fator positivo, segundo Daniel Costa, de melhorar o controle da logística educacional, registro e acesso aos conteúdos trabalhados, o uso de tecnologias também levantou questões como a falta de amparo aos professores que foram colocados à prova nesse período. “Muitas instituições de ensino apenas repassaram a responsabilidade das aulas virtuais, mas não deram subsídio aos profissionais. Percebendo esse desequilíbrio, o Senac atuou com o curso Aplicativos Google Para Professores, no intuito de minimizar essa situação”.

Dicas básicas

As mudanças rápidas também exigem respostas imediatas e, para os professores e educadores que ainda não se adaptaram ou têm dificuldades, Daniel cita algumas dicas: usar computador ou notebook como a ferramenta mais apropriada para aplicação de recursos digitais e ter um curso de informática básica alinhado ao conhecimento de plataformas digitais de ensino. “A plataforma Google for Education é gratuita e oferece excelentes possibilidades de aplicações na educação em todos os níveis”, orienta.

Passar pelas mudanças e precisar se adequar aos novos formatos de ensino também despertou em Carmem Lúcia a reflexão sobre a importância da educação como partilha de saberes, afinal “nós não sabemos de tudo. Está provado que as nossas certezas caíram e nos deixaram segregados em limitações que se não tivermos força e coragem, não conseguiremos rompê-las. Cresci muito na tecnologia a partir dessa possibilidade que o Senac através dos seus professores nos ofertou, a limitação ela existe, mas nós podemos ir atrás de recurso para vencê-la”, finaliza.

 II Congresso de Educação Sesc Senac 

Dentro da programação interna do II Congresso de Educação Sesc Senac, que tem como tema Inteligência Emocional em Tempos Adversos e a Atuação Docente, serão apresentados cases como esse de metodologias inovadoras e uso de tecnologias em sala de aula. Será uma oportunidade de troca de vivências entre professores do Sesc e instrutores do Senac. O evento conta ainda com quatro palestras gratuitas e abertas ao público para discutir não só o uso de tecnologias, mas principalmente questões emocionais.

Com links exclusivos para acesso às palestras, as inscrições podem ser feitas através do site https://bit.ly/2NdinEb.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *