Radar do Comércio

Herança Nativa: encontro celebra a importância das tradições cearenses

Herança Nativa: uma mulher indígena, com vestes tradicionais como cocar e colares, entrega uma cumbuca de barro para alguém. Ela está no foco da imagem, e há outras pessoas atrás dela.

Herança Nativa: programação do evento conta com oficinas, vivências, palestras, práticas alimentares e apresentações artísticas tradicionais (Foto: JR Panela)

Até a próxima quarta-feira, 22, o Sesc Ceará realiza o Encontro Herança Nativa, momento que vai reunir as expressões socioculturais dos povos originários do Estado. Em sua sétima edição, a ação promove um verdadeiro encontro entre os coletivos comunitários dos sertões e serras cearenses, contando com a participação dos Povos Indígenas, Ciganos, Quilombolas, comunidades sertanejas e serranas.

Como um importante desdobramento do Povos do Mar, o Herança Nativa também busca a difusão dos saberes e das práticas históricas dessas comunidades, como o canto, a dança, a música, a espiritualidade, o cultivo e a alimentação, de modo que amplia os horizontes, alarga os repertórios, produz aprendizagens significativas e constrói sentidos plurais e amplos.

Neste ano, o Herança Nativa reúne etnias indígenas, comunidades quilombolas e núcleos ciganos, que vão participar de oficinas, vivências, palestras, práticas alimentares e apresentações artísticas tradicionais. “É, ainda, uma oportunidade de possibilitar o reconhecimento de si e do outro, a partir de troca de experiências e do debate da construção da identidade dos cearenses em suas mais diversas formas”, explica Paulo Leitão, consultor do Sesc e um dos organizadores do encontro.   

Na programação do evento, que acontece de forma online, destaque para as Trilhas Ecológicas e Rodas de Saberes, além do Encontro de Loiceiras, quando artesãos vão trocar ideias e experiências sobre o ofício tradicional do barro, e atividades referentes às práticas alimentares, a exemplo da preparação do porco assado, feita pelos moradores do Sumaré, em Sobral, e a Moqueca de Arraia ao Molho Indígena, do Povo Tremembé, de Itarema. 

Manifestações culturais também estão presentes na programação. Na terça-feira, por exemplo, às 15h30min, vai acontecer o Encontro de Rabequeiros e Sapateadores. Na quarta-feira, último dia do Herança Nativa, tem apresentação artística com o Instituto Cigano do Brasil e com o Mestre Bigode, de Pedra Branca. O encerramento, como já é tradição, fica por conta do Torém Tremembé.   

A programação completa você confere aqui.

LEIA MAIS | Exposição fotográfica registra vivências de barqueiros e moradores da Barra do Ceará

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.