Artesanato da Mente

Os dois objetivos da nossa vida

352 2

autumn-wallpaper-1280x1024-0912063

Fico impressionado com o número cada vez maior de pessoas insatisfeitas com suas vidas, com seus empregos, com seus salários, com seus relacionamentos e com a vida como um todo. Sinto dizer, mas o nome desse sentimento é INGRATIDÃO. Todos nós, independente da situação atual, temos muitos motivos para agradecer e não o fazemos.

Estamos diante de uma dívida e achamos que estamos em um beco sem saída, rompemos um relacionamento amoroso e achamos que nunca mais vamos amar outra pessoa, não ganhamos um salário tão bom e ficamos invejando o vizinho que tem um carrão e conforto financeiro. Por que se importar demasiadamente com isso? Por que se afligir e perder as esperanças? Por que se considerar um desafortunado? Nós temos tanto que agradecer e hoje quero lhe levar a refletir sobre isso.

Li uma frase muito sábia que me fez refletir bastante sobre os objetivos da nossa vida.

Existem dois objetivos para serem atingidos na vida: primeiro, conseguir o que se quer; e depois, desfrutar o que se obteve. Apenas os mais sábios realizam o segundo.”

Logan Pearsall Blake

A maior parte das pessoas só realiza o primeiro objetivo e se fixa nele, ou seja, está sempre insatisfeito, procurando algo novo pra realizar e buscar. Crescer, evoluir e se aperfeiçoar é ótimo, faço isso. Tenho isso como meta de vida. Agora o problema é quando você não desfruta o que conseguiu. Um costume que eu tenho e que, inclusive, grandes mestres e pessoas de sucesso recomendam é: sempre comemore as pequenas conquistas.

Eu adoro fazer isso e sempre faço: um semestre da faculdade que terminava sem reprovações, um amigo que passou em um concurso público, ou que foi viajar para outra cidade, estado, país; um projeto que inicio, uma visita de alguém que vem a minha casa depois de muito tempo etc. Tudo issso é motivo de festa e celebração. Eu, minha família e amigos, nos reunimos e celebramos nossas vidas e conquistas. Isso é viver plenamente, isso é valorizar o simples, as pequenas coisas da vida.

Infelizmente, enquanto celebro minha vida assim, com festa nas pequenas coisas, milhares ou mesmo milhões de pessoas estão se projetando no futuro. Querendo ganhar mais, se promover mais, deixar a conta bancária mais gorda, se livrar de mais e mais pessoas que queiram se beneficiar de seu patrimônio pessoal. Será que vale a pena viver desta forma? E o momento presente? Em que momento você vive? No agora ou no futuro? As pessoas que aprendem a viver no agora, pouco a pouco vão crescendo em sabedoria e realizando o segundo objetivo na vida, desfrutar do que se tem.

A sensação de desfrutar de tudo que se tem é mágica e libertadora. Tenho aprendido a agradecer até às mínimas coisas. Um bom dia, uma mensagem de alguém que eu amo, um pequeno favor que faço a um amigo e vice versa, um dia que ando pela cidade e pego um trânsito menor etc. Aprendendo a agradecer por tudo, nossa vida se enche de alegria naturalmente. A felicidade vem ao nosso encontro, como diz o grande psicólogo David Steindl-Rast: “Não é a felicidade que nos torna gratos, mas a gratidão que nos torna felizes…”. Se quiser ler seu depoimento completo sobre esse tema, deixo o link abaixo.

Quer ser feliz? Seja grato

Você é muito mais rico do que imagina. O simples fato de estar vivo, com saúde, ter todos os membros do corpo, ter um família, irmãos, filhos, amigos, uma casa para morar, comida na mesa… Isso já é motivo suficiente para ser grato e não ficar insatisfeito. Mas sei que, muito provavelmente, você tem até mais do que isso. Portanto! Agradeça! E veja o quanto isso se refletirá na sua vida, na sua alegria e na sua felicidade.

 

 

Recomendado para você