Leituras da Bel

Leia “É guerra contra o pobre”, texto do escritor Baticum

É guerra contra o pobre
— Por Baticum

Arte de Antônio LaCarne

Não é guerra às drogas
É guerra contra o pobre
(Guerra não. É extermínio, pois numa guerra você consegue se defender)
– Servir e proteger.
Eles dizem
Ah! só se for aos ricos
Enquanto isso a gente daqui morre.
Mais um empreendedor da nação
Lava o dinheiro com seu sangue que escorre
Pena de morte sem condenação
Mais uma mãe sem filho
Mais um filho sem pai
A população não se comove.
Aqui é cada um por si
E o deus dinheiro contra todos
O senhor de escravos moderno veste terno
O Capitão do mato veste farda
E os escravos somos nós
Que pedimos por escravidão
E vestimos uma marca
Do salvador da pátria ou do menos ruim ladrão.

Atiramos a primeira e a última pedra
Não sentimos que esse fanatismo pelo opressor nos cega?
Enquanto isso nos dividem e nos dividimos
Sempre seremos conquistados, humilhados…
Pois os exaltados estão nos destruindo
Com promessas, nos ensinando a entregar as nossas vidas nas mãos do pastor, do padre ou político
Apocalipse é a realidade agora!
Não é só um fato bíblico.

Sigo armado até os dentes
Com um monte de livros
Vou amando e praticando o respeito, para que sigamos vivos
Estou cansado de sobreviver nessa matrix
Poesia é a minha cura
É pra isso que a gente vive

Mito…
Já é muita frescura
Luto para ser livre!

***

Baticum

É poeta, arte educador, músico e articulador do Slam da Okupa.

Antônio LaCarne

É cearense, formado em Letras Inglês pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Autor de Elefante-Rei: Poemas B (CBJE, 2009), Salão Chinês (Patuá, 2014); Todos os poemas são loucos (Gueto Editorial, 2017) e Exercícios de fixação (AR Publisher, 2018). Participou das antologias “A polêmica vida do amor” (Oito e meio, 2011) “A nossos pés” (7Letras, 2017), “Golpe: antologia-manifesto” (Nosotros Editorial, 2017) e “Rotatórias” (Galeria Sem Título Arte, 2018).

***

Você também pode gostar de:

Recomendado para você