Ancoradouro

Kit Gay distribuído pelo MEC

O que você diria sobre o fato da escola no qual estuda seu  filho de dez ou dozes anos assisitir a um vídeo – produzido com dinheiro público – sobre um garoto de quinze anos que se traveste de mulher ? O vídeo já foi produzido junto com outras peças que visam promover o homo-erotismo, embora o MEC diga que é para combater a homofobia.

O chamado Kit Gay gera polêmica na Câmara. A bancada evangélica formada por mais de setenta parlamentares se mobilizou para coibir a distribuição do material mas bem provável que o veredito final seja dito pela presidente Dilma Rousseff.

O processo e erotização e homossexualização  não bastasse está nas ruas, televisão agora pretende disseminar sua mentalidade no ambiente de formação. É urgente que os pais e educadores se mobilizem para proibirem a distribuição dos vídeos nas escolas.

O telefone do MEC para manifestar seu descontentamento com o Kit Gay é  0800 61 61 61.

Recomendado para você

Nenhum comentário

  • Fabiano, Marta e Tobias disse:

    Caros irmãos,

    Nós como cristãos devemos fazer valer a voz dos valores que nos regem. Isso é uma infâmia. Uma vergonha e uma agressão aos nossos filhos e a moralidade do país.

    No link abaixo podemso acessar o site PETIÇÃO PÚBLICA e assinar um abaixo assinado contra esta vergonha.

    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=PROL

    Deus os abençoe

  • Lauro disse:

    Acredito que a opinião do blogueiro não se justifica; demonstra um desconhecimento acerca do tema homossexualismo, principalmente de ver que “eles” são tão pessoas como “nós” (na verdade não existe separação alguma é apenas a tendência sexual).
    Deste modo, acredito que o blogueiro nunca tenha interagido ou conversado com uma pessoa homossexual, ou nunca tenha buscado ter empatia, descobrir as provações que muitos passaram por se interessarem por pessoas do mesmo sexo, não apenas sexualmente, mas também romanticamente.
    Todo material didático sobre o assunto é importante, principalmente para aqueles adolescentes que ficam angustiados pois descobrem muitas vezes se interessar por pessoas do mesmo sexo.
    É uma opinião retrógrada enterrar o homossexualismo na sociedade como se fosse um desvio de conduta ou “pecado”; evitar o diálogo é a pior alternativa.
    E sugerir que o material é “propaganda gay” demonstra sim uma opinião preconceituosa, considerando que o MEC tem a obrigação de educar os jovens que estudam em escola PÚBLICA, ou seja uma instituição que tem que ser laica por princípios morais.
    Se as escolas católicas querem evitar o diálogo sobre o homossexualismo e fingir que não existem homossexuais entre suas fileiras, que preguem às suas escolas a proibição do tal material. Todavia isso não vai impedir algo que faz parte da constituição social e dos sujeitos.
    A educação sexual deveria ser mais divulgada, principalmente pela grande falta de conhecimento formal sobre o corpo do próprio adolescente, e não proibida como se fosse algo “imoral”.
    Ninguém “vira” gay por influência de um vídeo ou palestra. Isso é comprovado psicologicamente, é só pesquisar sobre homossexualismo em qualquer site respeitável de psicologia.
    O blogueiro, até como futuro jornalista, deveria pesquisar melhor suas fontes, até para ter uma noção imparcial do assunto…

  • Yascara disse:

    Creio ser muito triste essa visão que está cada vez mais disseminada de que o homossexualismo é uma questão de opção, de escolha, de tendência….
    Uma leitura mais apurada do assunto de forma histórica verá que é muito claro que houve, em nome da não discriminação dos homossexuais, da educação para não haver preconceito, uma forma de formação ideologica a favor do homossexualismo e não do homossexual individualemte.
    Está tristemente claro, que não é uma questão de opção somente se bem form visto que durante muito tempo o homossexualismo foi visto como doença psicologica e agora não o é mais, não por que foram feitos estudo sérios no assunto, mais simplesmente por que a maioria entende que é uma tendência que deve ser respeitada!!!
    Fico sinceramente preocupada pensando o que mais deixará de ser doença para ser tendência, a pedofilia, a ânsia desemfreada por sexo..??Onde será nosso limite? Quando serão respeitados aqueles que acreditam nos ditames da moral?
    Ao que parece todos devem ser aceitos por serem diferentes, mas aqueles que são comuns, ou seja moralmente corretos, é que podem ser desrespeitados em suas opniões e posturas, e até taxados de “homofóbicos”!!!!

  • Lauro disse:

    Yascara, você escreveu que: “durante muito tempo o homossexualismo foi visto como doença psicologica e agora não o é mais, não por que foram feitos estudo sérios no assunto, mais simplesmente por que a maioria entende que é uma tendência que deve ser respeitada”
    Posso lhe afirmar que o homossexualismo, dentre outras questões sexuais, sempre foram estudadas seriamente pela psicologia, psiquiatria, psicanálise, etc. Antes ela era considerada “doença”, porém até mesmo a medicina reconheceu que ela é uma forma de constituição do sujeito.
    Homossexualismo não é “opção” no sentido restrito do termo. A pessoa não “escolhe” ser homossexual apenas por vontade. Muitos descobrem que são homossexuais durante a vida. Alguns reprimem sua homossexualidade e vivem vidas infelizes, e acabam prejudicando até mesmo pessoas a seu redor, além de si mesmas.
    Sempre relembro às pessoas que homossexuais nascem como qualquer outra pessoa, vindas de uma relação heterossexual, e frequentemente são criados por casais heterossexuais.
    A questão é que em sua vida privada, as pessoas tem o direito de fazer o que bem entendem, desde que sejam adultos, conscientes e que as relações, pessoais ou sexuais, sejam consentidas.
    O mesmo não acontece com a pedofilia, onde um adulto abusa de uma criança ou adolescente, sendo que este é vulnerável e não tem maturidade física ou psicológica de reagir. Desta forma, isso é uma violência contra outro ser humano.
    Desta forma, qual “moral” é a correta? A igreja tem a sua moral, mas é um desrespeito ao ser humano e sua liberdade que ela queira que todos sigam sua regras sem questioná-las.

  • Yascara disse:

    Caro Lauro, com toda sinceridade respeito sua opnião, apesar de descordar dela inteiramente, porém como dizia o filosófo “defenderei até a morte sua liberdade dizê-la”.
    Sobre a questão do homossexualismo ter dixado de ser doença psicilógica, continuo afirmando que até hoje não há unanimidade nesse ponto existem estudos para ambos os lados, quando me referi que não existia estudos sérios confesso que não me expressei bem, existem sim, mas não são conclusivos e nem muito menos definitivos.
    Particularmente, apesar de não ser minha área, gosto muito de estudar psicologia e com toda a segurança e tranquilidade afirmo a vc que é muito mais provável, não quero dizer com certeza mesmo que para mim seja, que seja uma doença basta estudar psicologia moderna como a de Viktor Franklin. Entretanto, quando se fala o termo doença parece que torna a coisa mais pejorativa, como se estivesse dizendo que os homossexuais são um bando deficientes mentais e não é isso…
    Especialmente na psicologia moderna entende que o vasto campo do subconsciente é muito mais amplo que tudo aquilo que estudamos até hoje, sendo que é justamente nesse ponto onde a sexualidade se torna obscura a compreensão humana que está o homossexualismo.
    Continuo reairmando que pessoalmente sou contra ter saído do rol de doenças da oms pq se deixa de estudar e aprofundar o assunto para torná-lo simplesmente comum debate de rua…
    Na certeza de que as diferentes formas de pensar enriquerem muito aqueles que que as respeitam deixo minha opnião deixando claro que não é somente minha e que relamente não me baseio somente no meu ponto de vista, mas como católica uso tb dos meios que a minha fé oferecem.
    Um grande Abraço

  • Yascara disse:

    Ah, só um detalhe que esqueci….
    A Igreja cada vez mais respeita e, em algumas ocasiões, até fomenta o debate, mais isso não quer dizer que ela irá mudar suas posturas, mas que ajuda a aprofundar as convicções e, como diz São Pedro, “dá razões a sua fé”.

  • Lauro disse:

    Yascara, respeito sua opinião, todavia é complicado afirmar questões como “doença” no caso do homossexualismo. Não é questão de psicologia “moderna”, mas sim de estudos que embasaram a decisão de diversos órgãos “psi”, como a Associação Americana de Psiquiatria (desde de 1973 não considera homossexualismo como doença), Associação Americana de Psicologia, Conselho Federal de Psicologia (desde 1985), e a OMS (desde 1990). Estes estudos realizados vão além de mera visão teórica, são especificações e determinações de órgãos de classe mundiais.
    O conceito de “doença” em saúde mental implica que a pessoa tem um distúrbio que a prejudica em exercer suas atividades e de interagir com demais pessoas, por isso ela é uma expressão incorreta. Os homossexuais interagem normalmente com a sociedade em geral, tem os mesmos processos mentais, a diferença está na orientação sexual, que é voltada para pessoas do mesmo sexo que o seu. Apenas isso.
    Continua sendo estudada seriamente no mundo todo, mas não como uma “doença”, mas sim como algo da constituição do sujeito. É estudada como outros comportamentos sexuais, e essa é uma área muito interessante. Como você se interessa em psicologia, recomendo o livro “Sexo e a Psique” de Brett Kahr, sobre várias formas de sexualidade humana investigadas através de pesquisa científica rígida, que mostra que a sexualidade humana é extremamente variável e não necessariamente “anormal”.
    Compreendo que tenha suas convicções cristãs, todavia, nesse caso o conhecimento científico da igreja vai contra as suposições de todos os órgãos “Psi” reconhecidos nacional e internacionalmente.

  • CÍCERO CIRO disse:

    DEVERIA SER LANÇADO O KIT RESPEITO AO PRÓXIMO.OS GAYS SÃO OS ÚNICOS PERSEGUIDOS ? SÃO OS ÚNICOS VÍTIMAS DA VIOLÊNCIA ? NO BRASIL A PESSOA É DESCRIMINADA POR SER POBRE,NEGRA,GORDA,SER CADEIRANTE,SER DE DETERMINADO LOCAL DO PAÍS,SER DE CERTA RELIGIÃO…PARECE QUE QUEREM DOUTRINAR AS PESSOAS,E AGORA AS CRIANÇAS,AO HOMOSSEXUALISMO.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *