Ancoradouro

Wagner responde a questões sobre aborto e ideologia de gênero; Sarto silencia

136 1

Na reta final para o segundo turno da eleição municipal para a Prefeitura  Fortaleza, o Blog Ancoradouro enviou aos candidatos que disputam o pleito, questões sobre temas considerados importantes para os cristãos como aborto e ideologia de gênero. Apenas o candidato Wagner (Pros) respondeu às perguntas. A assessoria do candidato Sarto (PDT) foi acionada via whatsapp e e-mail, mas não atendeu à demanda. Foi pedido também aos candidatos que emitissem sua opinião acerca dos assuntos  liberação da maconha, corrupção, políticas públicas para moradores de rua, lockdown e autonomia dos líderes religiosos no cenário de pandemia.

Reproduzimos abaixo as respostas encaminhadas pelo candidato Wagner. O mesmo espaço foi oferecido ao candidato Sarto, que não atendeu à entrevista solicitada.

Aborto

Qual a opinião do senhor sobre o aborto?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Esse debate ultrapassa as barreiras políticas. Ainda não existe um consenso entre a ciência e a religião quanto a isso. Mesmo assim sou a favor de que nenhuma vida seja sacrificada. Ainda mais quando essa vida nem pode se manifestar em defesa própria. Temos que ter muita responsabilidade para debater a questão do aborto, colocando a vida em primeiro lugar, e o bom senso logo em seguida, para também não sermos totalmente inflexíveis em determinados casos. Alguns deputados apresentaram na Câmara Federal, projetos, por exemplo, para liberar o aborto a partir do terceiro mês sem nenhum critério. Sempre serei uma voz daqueles que não podem se defender. O Aborto, além de crime, pode trazer inclusive consequências graves contra a saúde física e psíquica da mulher.

O senhor assinaria um termo se comprometendo em não promover esta causa?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Sim, assinaria.

Moradores de rua

Quais políticas públicas o senhor  vai implementar para essa população, caso seja eleito?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Estamos cientes das centenas de pessoas em situação de rua em Fortaleza. Vamos estabelecer o Plano Municipal de Políticas para a População em Situação de Rua, com foco na promoção da cidadania; do respeito à dignidade humana; da proteção dos direitos; da segurança; do atendimento humanizado; da primazia da responsabilidade do Estado; e da reinserção ao trabalho e ao ambiente familiar. Vamos também garantir a prioridade no acesso aos programas de moradia. Criar os consultórios de rua, para a assistência médica e psicológica às pessoas em situação de rua. É importante, também, a efetivação do primeiro censo municipal da população em situação de rua, para fundamentação das ações do Poder Público.

Drogas

Qual a opinião do senhor sobre a legalização da maconha?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Também sou contra a descriminalização das drogas. É por causa dela, que temos uma seríssima guerra de facções.

Quais políticas públicas estão previstas em seu mandato para combater o tráfico de drogas na capital cearense?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Educação e profissionalização: Vamos fomentar ainda mais o acesso a educação, profissionalismo e ao esporte em nossa cidade, para ocupar nossos jovens e os capacitando para um futuro promissor. Vamos  criar a Rede Jovem Empreendedor de Fortaleza, para o desenvolvimento da intersetorialidade das políticas estruturais, programas e ações voltadas para os fortalezenses com idade entre 15 e 29 anos de idade.  Vamos ampliar alternativas de inserção social do jovem, promovendo programas que priorizem o seu desenvolvimento integral e participação ativa nos espaços decisórios; (diretriz constante no Estatuto da Juventude), Reestruturação do Programa Bolsa Jovem, com ênfase à capacitação e o empreendedorismo. Criação dos Centros de Formação para a Juventude, com foco na formação para o trabalho. Garantir o pleno funcionamento da Rede CUCA.

Corrupção

O senhor é ficha limpa?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Sim. Nada pesa sobre minha vida política.

O Papa Francisco considera a corrupção, entre outras coisas, como uma degradação da pessoa. Como o senhor pensa em combater este mal durante os 4 anos de mandato?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Como já falamos, não vamos permitir corrupção em nossa gestão. O secretário ou servidor que for pego roubando, será demitido e seremos os primeiros a exigir uma investigação e uma punição severa.

Pandemia

Qual a opinião do senhor sobre o lockdown?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Acredito que todas as medidas para conter o aumento do número de infecções devem ser feitas com muita responsabilidade, através de um embasamento técnico. A pandemia pegou a todos de surpresa, mas não é parando tudo de maneira abrupta, sem nenhum planejamento, que isso vai se resolver. Já estamos na iminência de uma segunda onda do Coronavírus, e sentindo sintomas de uma recessão econômica. Muitos pais e mães que sustentam suas famílias trabalhando em setores que estão paralisados, estão sem perspectiva de retorno, e é aí que a prefeitura pode auxiliar, dialogando com as classes, criando políticas de planejamento para estruturar de maneira mais justa e inteligente o funcionamento de todos os setores, e não fazer de qualquer jeito, deixando tudo completamente parado, mas sim fazendo tudo funcionar com segurança.

Como avalia as medidas do governo municipal anterior frente ao combate da pandemia?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Primeiro, imperou a corrupção acerca da verba que veio para ajudar a curar as pessoas que contraíram Covid-19. A pandemia revelou o quanto a saúde pública está abandonada pela atual gestão. Muita sujeira que estava debaixo do tapete veio à tona. A corrupção matou muitos de nossos entes queridos. Os respiradores que nunca chegaram. Pagamos antecipado R$ 17 milhões a uma empresa que não tinha condições de entregar nenhum desses equipamentos. Até hoje os respiradores não chegaram. O Hospital de Campanha, como cita a investigação da Polícia Federal, aponta prejuízos aos cofres públicos superiores a R$ 7 milhões. Além disso, faltou diálogo com a população, com o setor produtivo. Enquanto os comerciantes eram impossibilitados de trabalhar, outra parcela sofria com a redução da frota de ônibus, ou seja, obrigados a pegar ônibus lotados.  O que vimos foi uma gestão incoerente e sem responsabilidade sobre uma problemática que custou a vida de muitos fortalezenses.

Como o senhor avalia a autonomia dos líderes religiosos diante do cenário de pandemia?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Entendo que todo e qualquer cidadão deve ter autonomia de se expressar, independente da sua posição política ou religiosa. Infelizmente o grupo político que há mais de 30 anos está no poder em nosso estado, não tem sido um exemplo de pluralidade de ideias e tolerância. Estamos em 2020, e a perseguição religiosa ainda é amplamente praticada! Padres e pastores foram presos a mando do Sr. Ciro Gomes durante essa pandemia, simplesmente por estarem angariando doações para pessoas necessitadas nesse período. O que mais chama a atenção é que ele nem sequer está investido em algum cargo de autoridade política, mas curiosamente manda e desmanda em tudo.

Ideologia de gênero 

Qual a opinião do senhor sobre a ideologia de gênero?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: O pluralismo de ideias é garantido pela nossa Constituição Federal, portanto todo cidadão tem autonomia sobre o que escolhe para si. A metodologia de como essa pauta deve ser inserida na sociedade é que precisa ser debatida e estudada toda a sociedade, para que assim as pessoas entrem em um consenso. Eu sou contra que a pauta da Ideologia de Gênero seja abordada nas escolas municipais. Esse é um tema que deve ser abordado pelos pais e pela família.

O senhor adotaria uma cartilha para escolas infantis ensinando sobre o tema, por exemplo?

Candidato Sarto: não respondeu.

Candidato Wagner: Sou contra, porém essa não é uma simples decisão que depende apenas de um prefeito, pois envolve um debate nacional sobre o PNE (Plano Nacional de Educação) que estabelece as diretrizes do que deve ser ensinado nas escolas. A nível municipal, cabe ao prefeito cumprir com o que é determinado pelo MEC, o que faremos com toda certeza. Também defenderemos e representaremos os interesses da população, que tem sua cultura e tradições próprias. Chegando na prefeitura, nosso maior esforço será conseguir mais recursos, abrir mais escolas, atender com mais atenção as periferias, e trazer melhorias para as escolas que já temos. Também será prioridade a formação das crianças e a valorização professores e da família.

Recomendado para você

1 comentário

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *