Artesanato da Mente

Construindo relacionamentos significativos

611 3

muvuca1.1

Todos nós buscamos a presença de pessoas que nos façam bem, que nos tragam alegria, que acrescentem algo de positivo às nossas vidas. Esse desejo inato do ser humano só pode ser vivido com equilíbrio se a pessoa buscar primeiramente se harmonizar. Cada vez mais tenho aprendido que para sermos felizes e harmoniosos, precisamos deste equilíbrio, não ser demais nem de menos. Para refletir sobre isso, compartilho algumas palavras do monge budista Karmapa.

“Quando a nossa preocupação em relação a nós está em harmonia com a nossa preocupação com os outros, a nossa vida está em equilíbrio. Quando a nossa vida está desequilibrada e sem sentido, geralmente notamos que nossos relacionamentos também se tornaram insalubres. Ao pensar cuidadosamente sobre como podemos nos orientar para nos aproximarmos dos outros e de nós mesmos, podemos construir e desfrutar de relacionamentos saudáveis. Podemos aprender a cultivar relacionamentos que são calorosos e verdadeiramente significativos.”

Karmapa

Nestas palavras ele elucida o caminho do meio, o caminho do equilíbrio, tão bem ensinado pelo Buda. Muitas pessoas não nutrem relacionamentos significativos por causa dos excessos ou das negligências. Algumas são muito carentes, esperam demais dos outros, e assim se frustram. Outras são muito arrogantes, achando que a presença da pessoa amada não é fundamental em sua vida, têm um ego exacerbado. Esses dois comportamentos são destrutivos, gerando muito sofrimento em ambas as partes e gerando também infelicidade.

Devemos ter em mente que todas as nossas mudanças começam sempre dentro da gente, e se refletem no mundo exterior. Mudando nosso olhar sobre nós mesmos, mudamos a maneira de olhar as outras pessoas, e isso faz com que uma energia positiva comece a surgir e se expandir. Desta forma, como um processo natural e simples, vamos melhorando nossos relacionamentos, tornando-os significativos.

Busque desenvolver em você as nobres virtudes que nos fazem melhorar os relacionamentos em todas as esferas, virtudes como a humildade, a paz, a serenidade, a honestidade, a compaixão, a benevolência. Elas nos ajudam a equilibrar as emoções e, consequentemente, os relacionamentos. Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Recomendado para você

3 Comentários

  • José Teógenes Abreu disse:

    Camarada Isaías, tenho visto postagens várias no Facebook que defendem o preservar-se de pessoas ditas negativas.

    No meu entender, mantermo-nos em equilíbrio, em ambiente favorável a esse estado, não nos põe muito à prova, não nos desafia muito, pois que apenas replicamos uma situação esperada. O grande mérito está em mantermos o equilíbrio em situação adversa a esse estado. É por isso que, sabiamente, o mestre Karmapa alia à preocupação conosco a preocupação com os outros, para atingirmos o equilíbrio.

  • José Teógenes Abreu disse:

    O que não nos demite jamais de procurarmos buscar forças em lugares e pessoas que reforcem nossa busca por equilíbrio. São as academias espirituais. Mas, após cada exercitação, é preciso frequentar o mundo e ele é constituído de vários níveis de energização. E é nesse cenário que somos postos à prova e que temos oportunidade de auxiliar outros em sua busca de equilíbrio.

    A profissão que exerço me questiona constantemente sobre esse desafio: manter o equilíbrio em situações totalmente adversas a este. Quão distante me sinto dessa capacidade. Sei que nunca chegarei próximo ao ideal, mas persisto e essa persistência me faz bem. Abraço, Deus o abençoe.

    • Isaias Costa disse:

      O equilíbrio é uma busca constante e eterna. Todos os dias são oportunidades para crescermos em amor e consciência, esse crescimento nos traz o equilíbrio e o equilíbrio se reflete em tudo, inclusive nos relacionamentos. Devemos sempre persistir nesse caminho de crescimento, mais ainda diante das adversidades. Grande abraço!

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 6 =