Blog do Leão

A bola puniu

123 14
Hélio dos Anjos lamentou as muitas chances desperdiçadas

Hélio dos Anjos lamentou as muitas chances desperdiçadas

Caros tricolores, em um post recente reclamei de uma vitória estressante. Mas estressante mesmo é uma derrota com dois pênaltis desperdiçados ( um por Vinicius e outro pelo estrante Edson que ainda foi expulso) e três bolas na trave. Ora, ora! A bola pune a incompetência, nunca duvidem disso. Se quiser encaminhar uma derrota, é bem “facim”. Basta empurrar o pau a perder gols, que não dará outra.
Recebi dois telefonemas depois do apito final. Primeiro, um amigo otimista me ligou após o jogo, lembrando que ainda somos líderes, jogamos sem peças importantes e que essa derrota servirá para que a sujeira não seja empurrada para baixo do tapete. Depois outro amigo, este pessimista até a alma, esbravejava e lamentava que será mais um ano sem título estadual e sem conseguir o acesso, que outro Hitler nascia agora em alguma parte do universo e que o mundo se acabava em chamas. Porém, nenhum amigo realista me procurou pra conversar sobre o resultado, talvez por que o realista deve estar em silêncio, imaginando que o futebol surpreende o otimista e o pessimista, fazendo muitas vezes com que ambos caiam do cavalo, e que devamos deixar o calejado Hélio dos Anjos tocar o barco ao seu modo.
A verdade é que depois de hoje, o torcedor do Leão está, mais do que nunca, cheio de dúvidas e incertezas.
Ah, E eu? quer saber se estou incerto? Nem sim, nem não, muito pelo contrário…

 

Fortaleza 1×2 Guarani-J

Local: Estádio Alcides Santos
Data: 28/3/2013
Árbitro: Léo Simão
Assistentes: Anderson Farias e Rogério Ramos
Cartões amarelos: Esley (F), Gustavo (G), Roberto Baiano (G), Guídio (G), Lenilson (G), Djalma (G), Bruno Pacatuba (G)
Cartão vermelho: Edson (F)
Renda: R$ 30.386,00
Público: 3.802 pagantes (470 não pagantes)
Gols: Fabrício (contra), aos 36min do 1º tempo; Niel, os 13min, Leandro, aos 33min do 2º tempo

Fortaleza: João Carlos; Rafinha, Fabrício, Gabriel e Marinho Donizeti; Jackson, Esley (Jackson Caucaia), Lucas (Lúcio) e Edinho; Leandro e Vinicius (Edson). Técnico: Hélio dos Anjos

Guarani-J: Fábio; Roberto Baiano (Joilson), Jefferson Petrolina, Marcelo Mineiro e Lucas; Guídio, Gustavo, Djalma e Lenilson; Niel (Bruno Pacatuba) e Moré. Técnico: Play Freitas