Educação

Câmara aprova projeto que exige curso superior para professor infantil

760 3

A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que torna obrigatório que todos os professores do ensino básico tenham diploma universitário e licenciatura.

De acordo com a proposta, a exigência de formação superior valerá para creches e escolas de ensino fundamental, tanto na rede pública quanto na privada. O texto altera a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), que estabelece as regras para a educação no país.

Pre_escolarA proposta vai agora para o Senado. Hoje, não há exigência de curso superior para quem trabalha na educação infantil ou nos anos iniciais do fundamental (1ª a 4ª séries). Esses docentes precisam ter apenas concluído o ensino médio ou o magistério.

De acordo com o deputado Iran Barbosa (PT-SE), autor do substitutivo, o projeto não traz prazo para adaptação e caso seja aprovada no Senado e sancionada pelo presidente Lula, a regra passará a valer assim que for publicada no Diário Oficial da União.

O Ministério da Educação (MEC) elogiou o projeto e prometeu ampliar investimentos para cumpri-lo, mas criticou a exigência do diploma e licenciatura na pré-escola.

O MEC parece esquecer que é na pré-escola que as crianças precisam de mais atenção. O cuidado deveria ser específico, planejado. É nessa fase que as crianças começam a descobrir o coletivo, o grupo, aquilo que os cerca fora da casa materna. Por isso a escola precisa de profissionais especializados sim. Os professores passarão de cuidadores, tias, babás, para profissionais com orientações corretas ajudar na construção dos cidadãos.

 

Recomendado para você

3 Comentários

  • Manoel Djacir Braga disse:

    Exmo sr. Ministro Fernando Haddad.
    E agora?
    Eu vou pagar uma faculdade com que dinheiro?
    E a isomonia salarial?
    Eu nem vou dizer de qual Município(Prefeitura) estou falando!
    Só um camentário voltado para o último parágrafo.
    Parece que quem planeja projetos no MEC não tem nenhum conhecimento de quem foi Jean Piaget, no tocante a Teoria Cognitiva.
    “No estágio sensório-motor, que dura do nascimento até aproximadamente o segundo ano de vida, a criança busca adquirir controle motor e aprender sobre os objetos que a rodeiam. Esse estágio é chamado sensório-motor, pois o bebê adquire o conhecimento por meio de suas próprias ações que são controladas por informações sensoriais imediatas”.
    É nessa fase que a criança entra na pré-escola.
    Cito: “As principais características observáveis durante essa fase, que vai até os dois anos de idade da criança são:

    * a exploração manual e visual do ambiente;
    * a experiência obtida com ações, a imitação;
    * a inteligência prática (através de ações);
    * ações como agarrar, sugar, atirar bater e chutar;
    * a coordenação das ações proporcionam o surgimento do pensamento;
    * a centralização no próprio corpo;
    * a noção de permanência do objeto”.
    O MEC realmente esqueceu da pré-escola.
    Como ficará o professor da pré-escola?
    Acorda MEC.
    Falta de conhecimento escolar.
    Precisa existir um trabalho de campo.
    E o salário?
    É isso.

  • thiago andrade disse:

    Sem dúvida essa proposta deve ser aprovada, pois é de fundamental importância a preparação mais qualificada dos professores que atuam nas fases inicias da aprendizagem. Muito se engana quem acredita ser simples o processo de transmissão de conhecimentos educacionais, principalmente voltados para crianças que necessitam de uma atenção especial por estarem desenvolvendo seus primeiros conhecimentos cognitivos.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *