Educação

Plano Nacional de Educação

352 5

O Brasil corre o risco de começar o primeiro ano do governo Dilma sem um Plano Nacional de Educação.

O atual foi lançado em 2000, com vigência de 10 anos, e ainda não foi atualizado. O governo federal não enviou ao Congresso o texto do novo plano, que, para valer, precisa ser votado na Câmara e no Senado, o que dificilmente ocorrerá até o fim de 2010.

Enquanto isso, lacunas se formam na educação infantil e no ensino médio, etapas que não foram incluídas no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), criado em 1998.

Essas duas modalidades começaram a receber recursos em 2007, com o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Segundo o Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb, na educação infantil, o total de crianças de 4 e 5 anos fora de sala de aula chega a 1,568 milhão.

No ensino médio, 1,634 milhões de jovens, entre 15 e 17 anos, estão excluídos da educação. Há ainda fragilidades na qualidade de ensino nas duas modalidades.

Fonte: O Globo (RJ)

5 Comentários

  • Se não houver uma mobilização da Sociedade pela educação de qualidade o futuro deste país será negro. É preciso valorizar a quem trabalha com educação para formação da cidadania e para melhoria da vida de nossos irmãos. É preciso desenvolver um processo de resgate do respeito ao professor que poucos tem nos dias de hoje.

  • Paulo Roberto Girão Lessa disse:

    Acessibilidade é também educação…

    ACESSIBILIDADE

    Quem ama liberta e deixa livre!
    Os portadores de deficiência física
    estão na luta pela acessibilidade.
    Todos lutamos pelo direito de
    locomover-se livremente pelas
    calçadas, dentro dos onibus,
    dentro de casa e ao usar o
    banheiro.
    A luta é por abrir caminhos.
    O deficiente não é um inativo
    e quer o seu espaço na sociedade.
    Senhores arquitetos e engenheiros
    pedimos que procurem atualização
    em ONGS e outras fontes específicas
    para já construírem pensando no
    irmão que necessita acessibilidade.
    Quem puder e desejar reforme sua
    casa para permitir o acesso de uma
    visita.
    Quem abre caminhos beneficia a si
    mesmo e a outros que um dia virão
    e necessitarão de caminhos livres.
    Quem dá acesso ao deficiente físico
    é amigo do homens e das mulheres.
    Caminhos livres para todos!

  • Silvestre disse:

    É como diz o slog da ONGS tem que está todos unidos pela a educação principalmente a sociedade, precisamos precionar os governos para que faça sua parte como representante do povo e da nação…

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *