Futebol do Povo

Presidente do Fortaleza, Luis Eduardo Girão é contra liberação de bebidas alcoólicas nos estádios

2347 45

 

Com base em diversas experiências e argumentos científicos, que serão apresentados nesta tarde durante seminário na Sesporte, às 15 horas, o presidente do Fortaleza, Luis Eduardo Girão (na foto, no centro), vai defender a não liberação de venda de bebidas alcoólicas nos estádios do  Ceará.

“Embora estejamos em um trabalho bem bacana pela paz com o Ceará, nosso rival, nesse ponto discordamos frontalmente. É um momento de paz que estamos buscando e essa situação é um retrocesso”, avalia o dirigente.

Efetivamente, o presidente do Ceará, Robinson de Castro, já se mostrou completamente a favor da medida.

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) aprovou na tarde desta terça-feira, 29, o projeto de lei que trata da regulamentação da comercialização e do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol no Ceará. A autoria da matéria é do deputado Gony Arruda (PSD).

O projeto foi aprovado com um placar apertado de 4 a 3. Os deputados Evandro Leitão (PDT), relator da matéria e líder do Governo na AL; Robério Monteiro (PDT); Joaquim Noronha (PRP); e Sérgio Aguiar (PDT) votaram a favor. Contrários a proposta estiveram os deputados Walter Cavalcante (PP), Capitão Wagner (PR) e Dra. Silvana (PMDB).

Segundo Evandro Leitão, o texto ainda deve sofrer alterações para ser aperfeiçoado. “Precisamos estabelecer critérios e parâmetros como horário de venda e material dos recipientes a serem utilizados para o consumo”, disse.

45 Comentários

  • Leandro Gonçalves disse:

    Luiz Eduardo Girao é dos mais sensatos presidentes que o time da SÉRIE C ja teve…Ele tem o direito de não concordar. Mas é mais um que procura a culpa no ponto errado.

    Será mesmo que a bebida é o principal problema do faroeste em que hoje se tornou a sociedade brasileira?

    Nos anos em que houveram depredacoes ao castelao nos jogos do mata-mata do FEC,a bebida era permitida? Não!

    Na final do cearense de 2015 e toda a barbarie que aconteceu,a venda de bebidas estava acontecendo? Não!

    É preciso saber enxergar a fonte dos problemas. A legislalacao penal brasileira é hoje escudo de amparo para os mais variados tipos de delitos,isso inclui o ambiente esportivo…

    Mas claro,a culpa vai ser a venda de bebidas…Sinceramente…

    • Carlos Cavalcante disse:

      Concordo, a ineficácia de apontar os infratores (onde se tem um ambiente monitorado por câmeras), a falta de vontade do poder público junto com um código penal totalmente desatualizado, são problemas bem maiores do que venda de bebida alcoólicas, em que pese a bebida seja um combustível a mais para desencadear conflitos.

    • Humberto Cunha disse:

      Como se pena resolvesse algo no Brasil. E como os infratores estivesse preocupados com o que prevê os tipos penais. Cara escreveu um monte de gracinhas bobas, e no final faz um arremate desse. Palmas para essa mente brilhante.

      • Robson disse:

        Beccaria deve estaria dando urros no caixão ao ler certas teorias “brilhantes” de certos juristas de Facebook.

        Saudações Tricolores !

        • Valterlan Jr disse:

          Falou o pseudointelectual da lan house.

        • Leandro Gonçalves disse:

          Falou o gênio que apontou as soluções para o problema…Mas claro que não,os idiotas se preocupam apenas em analisar os que os outros escrevem e nisso caem na própria hipocrisia…

          Os “haters” não dão tregua nem aqui,Graziani…kkkkkk

          • Robson disse:

            Evidentemente a solução é culpar o código penal, mesmo partindo tal brilhante premissa de quem nunca leu uma única linha do citado diploma legal e mesmo assim, por algum motivo misterioso, vira penalista da noite para o dia, literalmente.

            O problema é que esse tipo de “especialista” tem como única ou principal fonte de informação o lugar comum disseminado nas redes sociais, desprovido de informação e crítica. Na ânsia de parecer com algum entendimento sobre algum assunto acabam apenas demonstrado que o próprio capital intelectual é da profundidade de um pires.

            Mas, para não ser acusado novamente de não apontar soluções, sugiro que leia Beccaria e Michel Foucault, pode abrir um pouco mentes fechadas e tende a prevenir certas patetices sem nexo com a melhor ciência jurídica.

            Saudações Tricolores !

          • Leandro Gonçalves disse:

            Mais retórica vazia,que preguiça senhor …não é preciso ler beccaria,vacaria,ou quem quer seja pra concluir que o codigo penal é retrogrado e com premissas defasadas.Basta se atentar à data de sua criação!Adequar o codigo penal a atual realidade social é fundamental pra pelo menos amenizar à curto prazo,o bang-bang brasileiro. Mas não so isso,concordo….

            E sim,longe de mim querer dar uma de jurista,uma profissão nobre mas que de uns tempos pra ca é revestida apenas de ego. Nada mais…E você é a personificação legitima dessa patética impafia que não leva a absolutamente nada…

    • bosco paulo disse:

      Concordo plenamente consigo, caro Leandro.

  • Magal disse:

    Concordo Leandro a bebida não tem culpa da leoa não subir e a pobre das cadeiras é que paga

  • Felipe CSC disse:

    Se ele é contra… E eu com isso?

    Essa pergunta vale para qualquer comentário e qualquer opinião de qualquer pessoa.
    Duro é gastar tempo escrevendo isso.
    FG

  • Voltaire disse:

    Presidente do Fortaleza deveria estar preocupado era com os resultados pífios do clube que ele comanda e eminente eliminação do mesmo já na primeira fase. Deveria estar focado em já montar o time para o próximo ano, uma vez que este já está perdido, e não ficar entrando em polêmicas sobre liberação de bebida alcoólicas nos estádios. Isso não deveria ser nem polêmica. Em qualquer lugar civilizado do mundo se vende bebidas alcoólicas nos estádios e não existe essa selvageria que temos aqui na Brasilandia. É mais fácil por a culpa na bebida do que tomar medidas mais efetivas para punir e banir os bandidos que dominam os estádios. Bando de Piruliteiros, só fazendo políticagem pra boi dormir… mas o povo brasileiro merece!!!

  • Carlos cesar disse:

    O maior tumulto dos estadio e justamente pq os torcedores querem beber ate a última gota antes de entrar ni estadio e na saída a mesma coisa.querem sair as pressas pra beber de novo assim qualsando confusão na entrada e saída. Obs.a maioria já entra com a cara cheia vão só bardernar lá centro. Os mágicos do futebol cearense tao espussando os torcedores

  • Gilberto Filho disse:

    Sou contra a liberação da bebida, principalmente por conta dos
    acidentes de trânsito que podem ser causados pelo consumo de bebido dentro do estádio . Não tem como conciliar bebida com
    direção , essa combinação não é legal .

    • eduardo disse:

      São duas coisas distintas. Beber e depois dirigir continuará sendo proibido. Ademais, quem quer beber o faz antes e depois do jogo.

    • Deval Paixão Alvinegra disse:

      Tá doido manaégua, bebida e direção não combina, mas quem vai dirigir sabe que não pode beber, e isso não tem nada a vê com liberação de bebidas nos estádios.

    • Joca disse:

      Caro Gilberto, este argumento não pode caber, visto q os torcedores q bebem e dirigem(erradíssimo) bebem antes e depois do jogo. Portanto o problema de acidentes de trânsito, neste caso não seria a permissão de bebidas dentro do estádio.

    • Pimentel disse:

      Ainda tem esse agravante, a turma vai sair mamado do estádio, p da vida ou eufórico de felicidade e pegar a direção, o caso é complexo.

  • Amaury disse:

    vamos falar sério, de que adianta proibir venda de bebidas nos estádios se a turma enche o papo até a hora do jogo já entra de tanque cheio e o efeito é infinitamente pior? assim a venda deve ser totalmente liberada desde que a preços honestos o que não vem sendo feito com refrigerantes e outras itens vendidos nos estádios a preços estratosféricos, não é uma cervejinha que acaba a paz mas a idiotice de insanos, a manipulação e ódio entranhado nas torcidas devidamente estimulado há anos por todo tipo de cretinos.

  • Luciano disse:

    Não me importa o que o presidente da tercerona acha. O importante é que agora poderei tomar minha cerva no estádio curtindo o vozão! E outra: é tolice achar que o consumo de álcool incita violência uma vez que a maioria já enche a cara logo na entrada do castelão. Mas pelo preço das coisas no castelão tenho até medo do preço da bebida!

  • Maria disse:

    Sou totalmente contra a venda de bebidas alcoólicas no estadio, não é o principal problema mais faz parte do contexto, como torcidas organizadas (maginais organizados) a impunidade dos torcedores que são identificados e não são punidos, isso tudo é que faz incentivar a violência nos estádios.

    • Joca disse:

      Permitam-me: sou favorável porque até o momento nenhum argumento me convenceu. Quem vai pra fazer violência, bebe, cheira e fuma dentro do estádio mesmo sendo proibido hoje. É só ir pra arquibancada q vc vê gente c cachaça, cheirando cocaína e fumando maconha(pense num cheiro forte). Também há pessoas, do bem e do mal, q tomam todas, cervejas e cachaça, excessivamente até 5min antes do jogo porque não vão poder beber dentro, e qdo saem voltam a tomar TODAS para tirar o atraso. Vou ao FORTAL, forró, UFC, Copa do Mundo, etc e a bebida é permitida. Porque então não vender principalmente nos jogos de torcida única(time grande contra pequeno). O poder público tem q agir melhor com inteligência contra a violência.

  • Gabriel disse:

    A opinião é muito subjetiva e particular. Prá mim será ótimo uma cervejinha gelada nos estadios, pois o calor às vezes é insuportável. Acompanho o Leão de Aço, pelo mundo afora, sempre que posso; e o único lugar que não tem bebida prá vender no estádio é aqui em Fortaleza.
    Briga ou quebra-quebra sempre haverá. Seja com a linda torcida Tricolor ou seja com a obscura e horrorosa torcida do canal da veínha.
    LIBERAÇÃO DE BEBIDA, PONTO POSITIVO!

  • Kalil disse:

    SOU A FAVOR DE UMA BEBIDAZINHA NO ESTÁDIO. ORA, TODO CANTO DO MUNDO TEM. SE O TIME DO LEÃO DO PICI NÃO PRESTA OU SE O TIME DO CANAL IMUNDO É FRACO E SE AMBOS NÃO CONSEGUEM SEUS OBJETIVOS, HAJA CADEIRA VOANDO PRA LÁ E PRA CÁ, SEM BEBIDA OU COM BEBIDA. COMO FORAM NESSES OITO ANOS DO TRICOLOR DE AÇO DO PICI E NOS ÚLTIMOS QUATRO ANOS DAQUELE CANAL LACOLÁ.

  • Robson disse:

    Discussão importante, pertinente, mas infelizmente recheada de lugares comuns de quem só percebe as coisas de um ponto de vista superficial.

    Grande parte dos profissionais envolvidos em segurança pública como promotores, agentes de segurança, pesquisadores, delegados e etc, corroboram a ligação entre violência e abuso de bebida alcoólica nos estádios, posição essa corroborada por dados e pesquisas conduzidas de forma séria.

    Alguém acha realmente que o abuso de bebida alcoólica não é um forte catalizador para a violência ?

    Se essa relação é indiscutível na sociedade, é ainda mais perigosa em um estádio de futebol onde a rivalidade é a regra do ambiente. Ao contrário do que alguns gênios às avessas pregam, a questão não se há ou não violência nos estádios com ou sem bebidas, a violência sempre vai haver independentemente da comercialização, a questão é diminuir os fatores que podem potencializar essa violência.

    Eu particularmente gostaria de tomar minha cerveja ou whisky assistindo a um clássico no estádio sem precisar sair do Brasil para isso, mas tendo vivido 2 anos da minha vida profissional atuando no Parquet Federal, sei que nós não estamos preparados como sociedade para tal liberdade.

    Acho que quem defende esse tipo de atitude pensa mais no conforto individual do que no bem estar social o que por sí só não é pecado, mas ajuda a explicar por que ainda temos um bom tempo pela frente antes de atingirmos um nível razoável de consciência coletiva.

    Saudações Tricolores !

  • Rui Jorge Carvalho disse:

    Com todo respeito ao Presidente, mas o senhor está completamente por fora do Assunto.
    Já está mais que provado que a bebida não é a culpada pela violência dentro e fora dos estádios.
    Já está mais que na hora dos senhores dirigentes buscarem alternativas para banir os maus elementos dos estádios.
    Como responsabilizar a bebida pela violência, se ela está presente nos arredores, porque proibir o torcedor de beber dentro do estádio e obriga lo a entrar em cima da hora do jogo após o consumo de bebida? Será que o consumo Fora e não dentro evita as confusões?
    Uma medida infundada, feita por quem não frequenta estádio e que está mais que provada que é errada, pois a violência não parou depois da lei.

  • Neto disse:

    Já flagraram “torcedor” cheirando até cocaína em pleno castelão. Uma cervejinha assistindo um jogo em momento de lazer não atrapalha ninguém. Proibir a cerveja no estádio é punir o cidadão de bem por causa da minoria delinquente.

  • Ricardo disse:

    O cidadão de bem, com ou sem bebida, sempre irá ao estádio para ver o jogo e torcer pelo seu time em paz.
    O vagabundo, com ou sem bebida, vai pro jogo atrás de baderna, tumultuar, arranjar briga e roubar.
    O problema da violência definitivamente não é a bebida e sim a certeza da impunidade que os vagabundos têm.

  • Celio Miranda Albuquerque disse:

    Graziane, a opinião do presidente tricolor pode ser a de quem ñ seja chegado a beber. E como a de um evangélico, ñ adianta convence-lo. O juiz que proibio, ñ é chegado. Chama-se a isto, manifestações arraigadas ñ a uma visão coletiva, mas a convicções influenciadas por religiões e/ou egocentrismo – ae ñ gosto, ñ dou o prazer a ninguém.
    Caso o Sr Luiz Girão ñ esteja enquadrado neste item, está equivocado por querer adotar a filosofia do carrapato(mata-se o boi para acabar com o carrapato),ou seja, tira-se o direito ao prazer de uma cervejinha no estádio(coisa q combina bastante, até pelo ns clima…), por causa de meia dúzia de marginais. Ê passar recibo de incapacidade a segurança ser derrotada por essa minoria de adolescentes gangueiros, que devem ser combatidos a partir da origem, digo, de suas comunidades.
    Ao presidente do Fortaleza, meus parabens por deflagrar a luta pela paz nos estádios e sugiro a ele adotar estratégias de fazer chegar ås organizadas tricolores, sua linda filosofia de cultura de paz. Oxalå que o do meu Ceará faça o mesmo. Ñ sou a favor da extinção das organizadas, que são vítimas da mesma minoria de marginais; que a inteligência tem que identificá-los e suspendê-los dos estádios por um tempo ou baní-los, depwndendo da gravidade do delito que cometerem.

  • Armando Ponte disse:

    Contra ou a favor, nesta seara eu não entro. O que penso e digo é que seja qual for a medida tomada para acabar ou pelo menos atacar com eficiência a violência nos estádios de futebol (agora Arenas), nenhuma delas será capaz de gerar resultados imediatos e satisfatórios, afinal, o que se destrói em 30 (trinta) anos não se constrói em um ano. E esta destruição que me refiro é referente ao comportamento de nossa sociedade brasileira que perdeu a noção de “educação”, no sentido amplo que se inicia em casa diante de uma família estruturada. E o que vemos a cada dia são mais famílias desestruturadas que levam adolescentes a embarcarem no mundo das drogas, homens e mulheres investindo sem controle na sodomia e crianças tendo uma construção que facilmente desmorona ante as futuras ofertas que lhes mostrarão os criminosos, essa famigerada lavra de traficantes que “casam e batizam” todos os dias por este Brasil afora, estimulados pela impunidade.

  • João Ximenes disse:

    Perco tempo com isso não porque essa discussão não leva a nada mesmo, já que quem vai decidir isso não é quem é o mais interessado… O TORCEDOR.
    Pra MIM tanto faz ter ou não ter pois até já me acostumei com isso. Última gelada que bebi no Castelão foi num jogo de Copa do Mundo que já nem lembro qual, num COPÃO que me custou R$ 10,00(dez contos). A não lembrança do confronto deve ter sido o efeito dos 1 X 7.

    Digo só que a quem compete resolver a situação, encontrou na bebida a sua DESCULPA ESFARRAPADA e TÁ empurrando com a barriga as suas RESPONSABILIDADES por não conseguirem fazer seu trabalho, e quem gosta de assistir os jogos tomando umas geladas, como EU, tá pagando o pato. A coisa é simples: quem gosta, certamente é a favor, e quem não gosta é contra.
    E “SE” aprovado em definitivo, quem gosta deve beber e quem não gosta deve ficar só olhando, e tudo volta ao normal, já que FUTEBOL sem CERVEJA nesse nosso calorão e abafo dos Estádios é igual a comer BAIÃO DE DOIS sem QUEIJO.

    Já que o ARGUMENTO maior é de que ISSO é uma Lei, então a infringiram quando permitiram a venda nos jogos da Copa pra agradar aos ESTRANGEIROS BEBUNS que vieram acompanhar o melhor evento esportivo da terra.

    Esses “políticos” deveriam tá discutindo era a situação da SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, SÊCA que assola o nosso Estado desde quando EU ainda usava fraldas e outros assuntos pertinentes as suas funções que seria mais produtivo, e deixarem a bola rolar como é pra ser – com cerveja, celularzinho de cana, cigarro(que também é proibido mas pegaram uma “alta autoridade” dando um tapa no danado igual um “caipora” nos camarotes), churrasquinho de gato, rolo de cana e bandejas de salgadinhos de aniversário infantil.

    O que ME importa de fato é que o Fortaleza Esporte Clube começou vencendo na Fares Lopes, e ISSO SIM, pra MIM É O QUE INTERESSA.

    ESPERO que não seja só arranque, e que essa equipe CONSIGA RECUPERAR nossa vaga perdida na Copa do Brasil 2018, o que seria um presentão pro ANO DO CENTENÁRIO.

    VAMO PRO PAU atrás da vaga ?!

  • Ernesto Matos disse:

    Eu só seria contra a venda de bebida nos estádios se houvesse um bafômetro em cada catraca do estádio, Como não é possível, as pessoas que gostam de beber, enchem a cara fora do estádio e já entra embriagado, ou entra com garrafinhas escondidas nas roupas, ou seja é pior, pois se venderem a bebida dentro dos estádios, a pessoa chega ao estadio sóbrio e vai bebendo aos poucos por que a bebida esta ali a sua disposição na hora que quiser. Quanto ao presidente do meu Leão ser contra, é um direito dele, mas acho que ele deveria ser contra o futebol que o nosso tricolor vem jogando, PÉSSIMO.

  • Magal disse:

    Proibam a venda dentro, que nós beberemos fora e já entraremos chapados. Não bagunçamos, mas tem uma torcidazinha de terceira que não pode ver um mata mata. ……..

  • Carlos disse:

    Nesse caso, teria que proibir a venda na praia, nos shows (que quando são no Castelão tem bebida alcoólica liberada), nos bares, restaurantes, etc. Vamos instituir logo a “shaaria”.

  • GABRIEL disse:

    MUDANDO DE CONVERSA.
    NA FARES LOPES, NÃO NOS INCOMODEMOS COM O IMUNDO CANAL.
    É NOSSO FREGUÊS DE CARTEIRINHA. VAI VER QUE NAQUELE PENTA FANTASMA QUE A CANALHADA INVENTOU, TALVEZ TENHAM INVENTADO GOLEADAS IMAGINÁRIAS EM CIMA DO LEÃO, QUANDO AINDA NEM EXISTIA O PAI LEÃO DE AÇO DELES.
    VALE LEMBRAR QUE NINGUÉM SABE ATÉ HOJE QUEM FORAM OS VICE-CAMPEÕES, OS JOGADORES, OS JUÍZES, ONDE FORAM JOGADAS AS PARTIDAS E QUAIS E QUANTOS TIMES COMPETIRAM. QUE COISA MAIS ABSURDA E NEGRA COMO A HORROROSA BANDEIRA CANALENSE.
    QUANDO SERÁ DESMASCARADA ESSA FARSA?

  • JORGE AMADO disse:

    A Culpa é de quem não sabe beber, e não da bebida. E não se deve punir o time, mas sim os bardeneiros, de sempre. O Leão deveria se preocupar em obter o acesso, pois já se passaram NOVE ANOS de tanta vergonha e sofrimento.

    Pode ser que agora consiga este feito, se classificando na última rodada e em último lugar, pois já sabemos como foram apresentações nos outros anos. O Zago pode nos presentear, mesmo o time atual sendo de péssima qualidade. o futebel é cheio de surpresas. Quem sabe!

  • Robson disse:

    A propósito, o tal projeto de lei é apenas mais um dos muitos projetos legislativos que vão de encontro ao interesse público apenas para beneficiar interesses corporativos.

    Dá pra esperar absolutamente qualquer medida abjeta de uma casa legislativa que aprova uma espécie de isenção de fiscalização para templos religiosos.

    Felizmente, o Ministério Público cearense dificilmente assistirá inerte essa infeliz manobra.

    Saudações Tricolores !

  • torcedor disse:

    Sou Contra, mas o que acontece no estádio :
    1) Muita gente entra de tanque cheio, com ou sem proibição.
    2) Vários torcedores entram nos 10min antes do jogo para aproveitar para tomar todas fora, causando muito tumulto
    3) Liberando a bebidas os clubes irão receber uma parcela da receita, pois a bebida vai ser mais cara dentro do estádio.
    4) Se oficialmente liberar, então Detran e AMC bliz direto com bafômetro, pois depois do jogo já saem muita gente “tonta” com a bebida proibida, imagine bebendo durante o jogo todo
    5) Já se compra “celulares” de ambulantes, pois já tem alguém ganhado com esta entrada irregular por baixo dos panos
    6) Outros estados liberam. Então já tem precedente

  • torcedor disse:

    Por falar em birita, quando será o lançamento da C erveja Minuto 47 ???? estamos esperando……………. kkkkkkkkkk……faiô foi? …kkkkkkkk……se não tem C erveja, vamos tomar C achaça MIMI 48……kkkkkk….que lascou a Stella todinha…no ano do 100 T NADA……

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *