Leituras da Bel

“eram cinco horas da tarde em ponto”, de Bruno Paulino

Por Bruno Paulino*

Foto: divulgação

eram cinco horas da tarde
em ponto
amiudamente
falei
teu nome
como bruxaria

um vento frio
forte
prenúncio
de tempestade
caiu sobre
quixeramobim
– terra devastada –

varreu
feito as saudades
escritas nos versos esquecidos
de um poeta andaluz

***

Bruno Paulino é cronista e aprendiz de passarinho.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *