Plínio Bortolotti

Áudios: situação de Moro pode se agravar

303 5

Reprodução do artigo publicado na edição de 27/6/2019, editoria de Opinião do O POVO.

Áudios: situação de Moro pode se agravar

Pena que os apoiadores do ministro da Justiça, o ex-juiz Sérgio Moro, tenham sido tão poucos no depoimento do jornalista Glenn Greenwald à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. A ausência dos principais militantes do “partido do governo”, como os chamava Greenwald, privou a audiência de um saudável confronto, que oporia as provas apresentadas pelo site jornalístico Intercept Brasil e os argumentos dos que contestam a veracidade do material. Na falta de divergências mais profundas, sobraram elogios de deputados da oposição para Greenwald, que pôde dissertar tranquilamente sobre o caso.

Um dos momentos mais tensos do depoimento foi quando a deputada Kátia Sastre (PL-SP) afirmou que quem deveria ser julgado era o jornalista, por ter cometido crime “em conjunto com o hacker”, que, segundo ela, teria invadido telefones das autoridades. Depois referiu-se a uma teoria da conspiração que circula no submundo das redes bolsonaristas, espalhando que Greenwald teria “comprado” o mandato de seu marido, David Miranda (Psol-RJ), pelo valor de 700 mil dólares. O jornalista respondeu que a deputada expressara “acusações graves”, mas disse que faltava mostrar indícios de que ele cometera crime: “Ela não tem evidência nenhuma. Tem apenas tática de intimidação”.

Outra situação – entre o drama e a comédia – foi protagonizada pelo deputada Carla Zambelli (PSL). Ela perguntou por que o jornalista não divulgava todas as provas coletadas, desafiando-o a “tocar o áudio aqui, agora”, pois ele dissera haver gravações em meio material em seu poder. Greenwald respondeu que os áudios seriam divulgados quando estivessem prontos “jornalisticamente, com responsabilidade”. E emendou: “Acho que você vai se arrepender muito de ter desejado isso”, possível referência à alta voltagem da revelação.

Moro, de fato, depois do susto inicial, conseguiu emplacar uma contranarrativa para convencer e dar argumento a seus “fãs” mais aguerridos; surgindo uma situação mais grave será difícil culpar o “hacker” – e continuar afirmando que a atuação dele, como juiz, foi “normal”, mesmo trabalhando em conjunto com a acusação.

Recomendado para você

5 Comentários

  • Plínio,Plínio,Plínio…o corregedor do MP descartou quaisquer sanções contra o Ministro Sérgio Moro por entender que não viu nada de anormal na suposta coversa naqueles vazamentos,além de serem conseguidos de forma ílicita e não periciada.O Sr.Glen Greenwald não pratica o jornalismo investigativo,The Intercept nada mais é do que um site tendencioso ligado às “ideologias ” de seus fundadores.
    Mais de 2000 mil (dois mil)juízes estão apoiando o Ministro Sérgio Moro.Apenas 30(trinta) juízes federais assinaram o tal “manifesto”contra.

    • Plinio Bortolotti disse:

      Pois é né? Ainda bem que o juiz de Curitiba é imparcial, com atestado do MP. Imagine se morássemos em um país no qual um juiz afastasse o principal adversário de um candidato e depois virasse ministro do vencedor. Impensável.

  • LEITOR CONSCIENTE E INTELIGENTE disse:

    DEU NO JORNAL HOJE DE MANHÃ

    Conselho Nacional do Ministério Público, que apurava atuação do procurador da Lava Jato, conclui que mensagens trocadas com ex-juiz foram obtidas pelo “The Intercept” de forma ilícita e que não houve infração funcional.O corregedor do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Orlando Rochadel, decidiu nesta quinta-feira (27/06) arquivar um processo administrativo disciplinar contra o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, e outros procuradores que teriam trocado mensagens com o então juiz e hoje ministro da Justiça, Sergio Moro. As conversas foram divulgadas no início do mês pelo portal The Intercept Brasil. … – Veja mais em (Não publico links em comentários. Se quiser faça um resumo, por favor)
    Isso encerra este assunto???

  • Hélio Pontes disse:

    Parabéns pelo trabalho, Sr. Plínio. Nem sempre concordo com o senhor, mas vejo que és muito responsável ao emitir suas análises. Neste caso do SM, é preciso estar muito cego de paixão para não ver o que ele fez. Se fosse nos EUA, país que SM e sua trupe amam tanto, ele já estaria na cadeia há muito tempo. Mas o Brasil é um país jovem, democracia jovem, ainda temos muito que aprender. Só espero que dê tempo! Um abraço.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =