Política

MPF quer ressarcimento de 26 políticos cearenses pela “farra das passagens”

376 2

MP quer ressarcimento de 26 políticos cearenses pela “farra das passagens” (Foto: Divulgação)

Dentre os mais de 500 políticos que estão na mira do Ministério Público Federal (MPF) pela “farra das passagens”, como ficou conhecido escândalo de uso indevido de passagens aéreas pagas pela Câmara dos Deputados entre 2007 e 2009, 26 são cearenses. Lista foi divulgada pela Procuradoria da República do Distrito Federal (PR-DF).

Oito anos após revelação do escândalo, o MPF quer ir à Justiça para cobrar o ressarcimento de todos os políticos, que atuavam como deputados federais na época, somando mais de R$ 50 milhões. Só os valores gastos por cearenses somam mais de R$ 3 milhões.

A procuradora responsável pelo caso, Sara Moreira Leite, afirmou ao portal que pretende processar todos os políticos, que teriam gastado 76 mil passagens irregularmente, através de familiares, assessores e voos domésticos e internacionais para viagens não relacionados à atuação na Câmara. Antes, porém, o MPF precisa atualizar os valores, retirar os políticos que já ressarciram as quantias e abrir as ações na Justiça.

Veja lista dos cearenses listados abaixo:

Estado

Nome do

político

Voos intern. Gasto (R$) Voos domést. Gasto (R$) Total Qtde. Gasto total (R$)
CE Aníbal Ferreira Gomes 14 25.772,91 284 191.255,44 298 217.028,35
CE Antonio Eudes Xavier 335 195.191,37 335 195.191,37
CE Antonio Marcelo Teixeira Sousa 21 33.317,05 148 105.000,14 169 138.317,19
CE Carlos Mauro Cabral Benevides 3 3.110,62 239 168.362,43 242 171.473,05
CE Ciro Ferreira Gomes 1 12.839,36 14 7.716,40 15 20.555,76
CE Eugênio Rabelo 14 22.715,53 372 197.377,12 386 220.092,65
CE Eunício Lopes De Oliveira 8 11.288,62 44 33.301,15 52 44.589,77
CE Flávio Bezerra Da Silva 181 153.239,03 181 153.239,03
CE Francisco Almeida Lima 64 36.227,96 64 36.227,96
CE Francisco Ariosto Holanda 2 3.227,16 108 87.769,70 110 90.996,86
CE Francisco Lopes Da Silva 219 136.366,41 219 136.366,41
CE João Alfredo Telles Melo 12 11.641,98 12 11.641,98
CE José Airton Félix Cirilo Da Silva 1 1.918,85 262 153.289,77 263 155.208,62
CE Jose Arnon Cruz Bezerra De Menezes 3 9.498,60 180 134.106,30 183 143.604,90
CE José Barroso Pimentel 1 398,62 126 131.246,50 127 131.645,12
CE José Gerardo Oliveira De Arruda Filho 5 18.030,51 201 145.058,46 206 163.088,97
CE José Linhares Ponte 117 87.597,06 117 87.597,06
CE José Nobre Guimarães 3 3.648,96 188 128.197,62 191 131.846,58
CE Leonardo Rosario De Alcantara 19 45.852,81 99 67.164,99 118 113.017,80
CE Manoel Salviano Sobrinho 2 2.670,05 257 191.977,54 259 194.647,59
CE Maria Gorete Pereira 5 9.534,81 74 38.780,10 79 48.314,91
CE Moroni Bing Torgan 29 38.631,76 29 38.631,76
CE Paulo Henrique Ellery Lustosa Da Costa 13 27.904,07 156 99.527,03 169 127.431,10
CE Pedro Ribeiro Filho 73 57.268,83 73 57.268,83
CE Raimundo Gomes De Matos 138 109.599,52 138 109.599,52
CE Vicente Ferreira De Arruda Coelho 87 79.422,18 87 79.422,18

O outro lado

O presidente Eunício Oliveira (PMDB) está entre os acusados de usar passagens irregularmente. No total, foram  oito voos internacionais e 44 nacionais, somando R$ 44.589,77. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do senador, mas não recebeu resposta.

O maior valor foi gasto pelo ainda deputado federal Aníbal Gomes (PMDB), que, com 14 voos internacionais e 284 nacionais, usou R$ 217.028,35. O parlamentar não atendeu os telefonemas nesta manhã, mas, na época, negou acusações de vendas de passagens e informou que havia trocas. Segundo ele, quando sua cota estourava, ele recorria à agenda de viagens do irmão, que emprestava as passagens e depois era ressarcido.

O pré-candidato à presidência da República Ciro Gomes (PDT) também está listado, com um voo internacional e 14 domésticos, somando R$ 20.555,76. Na época, o ex-governador foi acusado de pagar a passagem da sua mãe com o recurso da Câmara, mas explicou que houve uma troca da companhia aérea, a TAM, que passou seu bilhete com o cartão pessoal e o de sua mãe com o da Casa. A TAM chegou a confirmar versão.

O vice-prefeito de Fortaleza Moroni Torgan (DEM) também está na lista e teria usado indevidamente o valor de  R$ 38.631,76. A reportagem entrou em contato com a sua assessoria, mas não recebeu resposta até o momento.

Dentre os listados, o ex-vereador de Fortaleza João Alfredo (Psol) devolveu à União o valor de R$ 19.580,15, incluindo até valores, segundo ele, não utilizados. À época, ele explicou que seu uso não foi indevido porque “não se caracterizava como conduta ilegal à época”, mas “por reconhecer ter sido um erro a utilização deste saldo após o fim do mandato” decidiu fazer o ressarcimento.

O ex-deputado federal Mauro Benevides informou que se sente “profundamente constrangido” com as acusações. “Na vida pública, sempre pautei os meus atos rigorosamente dentro das prescrições legais, pela minha formação moral e jurídica não iria cometer nenhum ato que não tivesse um lastro de absoluta legalidade”, disse. Também afirmou que, quando retornar a Brasília, vai procurar mais informações sobre o caso para “dissipar todas as dúvidas em relação à legalidade” de suas ações.

O deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB) informou que tomou conhecimento do assunto através da reportagem e que não recebeu nenhuma comunicação da Mesa Diretora da câmara dos Deputados até o momento.

O deputado José Airton (PT) afirmou que seu processo já foi arquivado pelo Ministério Público e nada consta contra ele.

2 Comentários

  • SEBASTIAO COELHO disse:

    Um bando de salafrários, usurpadores do dinheiro público. Se este caso fosse na China, Japão etc eles se suicidavam. Brasil, mostra a tua cara.

  • Doge Lucas disse:

    Uma observação apenas: Moroni Torgan não exerceu mandato entre 2007 e 2009. Em 2006 ele concorreu ao Senado Federal e perdeu.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *