Política

Deputado cearense quer obstrução de votações até o fim de cortes na educação

Idilvan Alencar é ex-secretário da Educação do Ceará (Gustavo Simão/ Especial para O POVO)

O deputado federal Idilvan Alencar (PDT) levou solicitação à Frente Parlamentar de Defesa das Universidades Públicas requerendo que os partidos passem a obstruir votações no Congresso até que o governo reveja bloqueios bilionários no ensino superior brasileiro.

“Nós não podemos aceitar esse corte, essa questão está acima dos partidos. Esse corte torna inviável a educação pública do ensino superior. PDT orienta pela obstrução, presidente Margarida vai levar essa orientação para os líderes”, destacou Idilvan.

Com isso, votações de interesse do governo, como da reforma da Previdência, teriam mais dificuldade em tramitar na Câmara. “É importante que o Congresso não fique omisso e não se cale diante do fim da educação superior desse país”, continua o deputado, que já foi secretário da Educação do Ceará.

Recurso bloqueado

Desde o final da semana passada, decisão do MEC que bloqueou até 30% dos recursos de custeio de todas as universidades do Brasil repercute no meio político. Na Universidade Federal do Ceará (UFC), cortes superam R$ 46,5 milhões e ameaçam inclusive inviabilizar o funcionamento do órgão.

A política de redução nos investimentos de educação superior não é de hoje. Desde o segundo mandato de Dilma Rousseff (PT), sucessivos cortes na área vem ocorrendo. Na época, no entanto, se cortava ações de expansão e investimento, como o Fies. Agora, cortes vêm no custeio.

Nos últimos dias, diversos reitores de instituições públicas publicaram notas criticando as medidas, destacando o pouco embasamento técnico das ações e o impacto na prestação de serviços, como na manutenção de laboratórios de pesquisa e até de atendimentos em hospitais universitários.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − dez =