Política

“Se de fato usei o termo, peço escusas”, diz Moro para o grupo MBL

3524 2

Foto: Agência Brasil

Em áudio enviado ao grupo Movimento Brasil Livre (MBL) neste domingo, o ministro Sergio Moro (Justiça) se desculpa por ter eventualmente utilizado o termo “tontos” para se referir a integrantes da entidade.

Na mensagem, à qual o Blog Política teve acesso, Moro ressalva que não sabe se de fato usou a palavra em conversa com o coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol – os diálogos foram revelados hoje pela Folha de S. Paulo em parceria com o The Intercept.

“Nem sei se as mensagens são verdadeiras, mas uma das mensagens ali, que não sei se são autênticas, tem uma referência na qual eu reclamaria contra um protesto realizado em 2016 na casa do ministro Teori Zavascki”, relata o ex-juiz.

Em seguida, Moro passa a explicar que aquele período que se seguiu à divulgação de conversa entre Lula e Dilma, em 2016, “foi complicado”.

“Gerou uma pressão, foi um período complicado. Achei que esse protesto (do MBL) na época era um tanto quanto inconveniente”, continua Moro.

“O ministro (Teori) era boa gente, e a realização daquele protesto poderia gerar uma animosidade do Supremo contra a 13ª Vara, o que não era desejado.”

O ministro da Justiça prossegue no áudio: “Consta ali um termo, não sei se usei mesmo, acredito que não, pode ter sido adulterado, mas queria pedir minhas escusas se eu eventualmente utilizei”.

Moro acrescenta que sempre respeitou o MBL. “Sempre agradeci o apoio que o movimento deu, não apenas a Lava Jato.”

O ex-juiz finaliza: “Quero externar meu respeito a todos os membros do MBL. Enfim, se de fato usei o termo, peço escusas, mas saibam que têm todo meu respeito”.

2 Comentários

  • CLINCA disse:

    Kkkkk…É muita cara de pau!

  • Francisco disse:

    E muito interessante tudo isto. Para quem há poucos meses encarnava o estereótipo do “superman” da moralidade, da retidão e da imparcialidade, hoje pede escusas, constantes e reiteradas, por palavras e diálogos que estão sendo divulgados.
    Claro, para não destoar, a defesa continua sendo a de todos- não sei, não conheço, não reconheço, é fraude, etc, etc, etc.
    Muito interessante vera divina comédia humana.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *