Futebol do Povo

Ceará: desânimo de Lisca e sinceridade dos jogadores retratam pior ataque como mandante na Série A

4881 18

Ceará x Bahia: Foto: Julio Caesar / O POVO

É impossível e injusto criticar o elenco do Ceará por falta de vontade nos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. Em que pese ser obrigação de todo time de futebol profissional, a determinação nem sempre está presente em todos.

A raça dos jogadores, entretanto, não tem bastado para a equipe driblar o principal problema desde o começo da competição: a péssima produtividade ofensiva.

Após 21 jogos, o Ceará tem o segundo pior ataque no geral, com 12 gols anotados. Como mandante, foram apenas sete tentos em 11 partidas, o mais baixo desempenho no quesito entre os 20 clubes.

Líder do elenco, o zagueiro Tiago Alves resumiu melhor do que ninguém a situação após a derrota para o Bahia, no PV, na noite de quarta-feira. “Muita vontade e pouca qualidade”. O jogador também foi honesto ao notar que há precipitação e falta de paciência para aproveitar as oportunidades.

Juninho Quixadá deixou a partida lamentando muito o gol perdido ainda no primeiro tempo, depois de grande jogada pelo lado direito de campo. “Difícil toda hora falar, falar e falar. Estamos entrando numa situação muito difícil. Temos que trabalhar e ter vergonha na cara porque só a gente pode sair dessa situação”. E emendou, notadamente sentido. “Eu que vinha batendo na tecla de não poder desperdiçar chances, hoje tive e desperdicei”.

Lisca, que tem um temperamento intenso nas vitórias, foi ainda mais convicto após a partida: “Foi uma porrada bem dura”. E completou com uma análise igualmente acertada. “Não conseguimos fazer gol e isso vem sendo uma constante nesse Série A. O número de gols da equipe é muito baixo. Isso numa Série A é fatal”.

O técnico tem razão. O Ceará é o time que mais precisa finalizar em casa para conseguir fazer um gol. São necessárias 22 finalizações para que um tento seja marcado, retrato de muito esforço e pouca produtividade, que independe de quem atue no setor, afinal, o elenco foi mal montado do meio-campo criativo para frente.

Com 17 pontos e restando 17 partidas para o fim da campanha, o Ceará precisa melhorar muito seu aproveitamento, que hoje é de 27%. De acordo com site Chance de Gol, para ter 90% de possibilidade de não cair para a Série B, uma equipe precisa atingir os 42 pontos. Se alcançar os 43 pontos a probabilidade de permanência na Série A em 2019 passa a ser de 95%. Apenas com 45 pontos o índice chega aos 99,9%.

Para atingir os 42 pontos, o Alvinegro tem que fazer mais 25, que podem surgir de oito vitórias e um empate, por exemplo.

Recomendado para você