Ancoradouro

Artigo] Por que Maria é chamada Mãe de Deus?

4335 20

 Por Iury Nascimento, seminarista da Arquidiocese de Fortaleza.

No início do ano a Igreja celebra a Festa da Santa Mãe de Deus, Maria Santíssima. Uma festa que nos conduz providencialmente, a iniciar um novo ano nos consagrando à Santa Mãe do Verbo Encarnado. Poderíamos entender logicamente que Maria é Mãe de Deus vendo que nasceu dela o Filho de Deus, feito carne; mas vamos entender um pouco o que a Igreja nos ensina sobre esta Maternidade Divina de Maria.

Maria Mãe de Deus.

Maria Mãe de Deus.

A Igreja, no Catecismo “denomina ‘Encarnação’ o fato de o Filho de Deus ter assumido uma natureza humana para realizar a nossa salvação” (CAT. n.461, linha 2), e como nos diz São João no seu Evangelho: “O verbo se fez carne” (Jo 1,14) Nisto, o Verbo que era Deus se fez homem em Jesus Cristo, sem deixar de ser Deus. Jesus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem, como nos ensina mais uma vez o Catecismo:

“O acontecimento único e totalmente singular da Encarnação do Filho de Deus não significa que Jesus Cristo seja em parte Deus e em parte homem, nem que ele seja o resultado da mescla confusa entre o divino e o humano. Ele se fez verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem (CIC n.464).

A Igreja nos seus primeiros séculos, nos Concílios defendia firmemente, desmascarando as heresias, essa realidade de Deus ter se encarnado em seu Filho Jesus Cristo. Diante da heresia Nestoriana que dizia ver em Cristo uma pessoa humana unida à pessoa do Filho de Deus, São Cirilo de Alexandria e o III Concílio Ecumênico rebateram esta heresia dizendo que:

 “‘O Verbo, unindo a si em sua pessoa uma carne animada por uma alma racional, se tornou homem’. A humanidade de Cristo não tem outro sujeito senão a pessoa divina do Filho de Deus, que assumiu e a fez sua desde a concepção” (CAT n.466, linha 4).

      Maria Santíssima é Mãe de Deus porque Jesus Cristo, o Verbo feito carne, nasceu dela. Ela concebeu em seu seio virginal pelo o Espírito Santo o Filho de Deus, como nos mostra o Concílio de Éfeso proclamando no ano 431, e relata para nós o Catecismo:

 “Mãe de Deus não porque o Verbo de Deus tirou dela sua natureza divina, mas porque é dela que tem o corpo sagrado dotado de uma alma racional, unido ao qual, na sua pessoa, se diz que o Verbo nasceu segundo a carne” (CAT. n.466, linha 10).

Diz-nos ainda São Basílio de Selêucia (séc. V): “Corpo sagrado que abrigava o Senhor! Em Maria foi anulada a constatação de nosso pecado, pois foi nela que Deus se fez homem, permanecendo Deus. Ele quis submeter-se a esta gravidez, e se humilhou ao nascer como nós; sem abandonar o seio do Pai, satisfez-se com os afagos de sua mãe”.

São Tomás de Aquino também nos diz: A Santíssima Virgem, foi escolhida para ser Mãe de Deus e para tanto o Altíssimo capacitou-a certamente com sua graça. Antes de ser Mãe foi Maria, por conseguinte, adornada de uma santidade tão perfeita, que a pôs à altura dessa grande dignidade”³.

Celebremos neste dia, esta grande festa com alegria e amor à Santa Mãe de Deus. Maria é mãe de Deus, segundo a humanidade porque Deus se fez homem em Jesus Cristo, nosso irmão, e isto sem deixar de ser Deus, nosso Senhor. Sendo Jesus inseparavelmente verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Isso é o que a Igreja confessa, isso é o que a Igreja crer e ensina.

 

Recomendado para você

20 Comentários

  • carlos disse:

    Essa confusão se dá exatamente pelo fato das religiões da cristandade equipará a criatura Jesus com o Criador, Jeová Deus. Jeová é o Pai, Todo-Poderoso e Jesus, seu filho, a quem enviou para sacrificar sua vida vida humana e equilibrar a balança da vida desequilibrada com o pecado de Adão que levou a morte eterna. Jesus na terra representava a presença do próprio Deus Jeová. A biblia muitas vezes usa essa linguagem a se referi a pessoa de Jesus e acaba que muitos distorcem aí gra essa confusão.

  • Enio Azevedo disse:

    Em Lucas 1:41-43 temos:

    “E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
    E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre.
    E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?”

    Ora, quem é o Senhor??? Claro que é Deus!!! Não precisa dizer mais nada.

  • Idelcílio disse:

    JESUS veio ao mundo para nos livrar de nossos pecados, e somente através do seu Sangue é que somos justificados perante DEUS.
    Como pode maria ser mãe de DEUS, se Ele já existia antes dela?
    Sabemos que maria é criatura, e DEUS o criador! E JESUS é DEUS.

    A Palavra de DEUS que é a BÍBLIA nos fala em um versículo bem conhecido que diz, Eu Sou o Caminho, a Verdade, e a Vida, ninguém vem ao PAI senão por MIM – João 14:6
    Vejam que a atenção está voltada a CRISTO e a Ele/Nele que devemos nos santificar.
    Maria foi uma grande serva do SENHOR, escolhida por DEUS para que JESUS fosse nascido de Mulher assim como falavam nas profecias, mas Ele Já existia antes de estar no ventre dela.

    Toda atenção está voltada a CRISTO e somente a Ele daremos culto pois assim a Bíblia nos ensina e a igreja deve ensinar da mesma forma.
    – Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem

    Que a luz da palavra esteja com todos, e que DEUS os abençoem!

  • Bernadete disse:

    Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem que Se entregou para resgatar a todos (1 Tim 2, 5-6). Pq q os protestantes gostam de recortar versículos ? Na citada passagem, São Paulo fala de “mediador” no sentido de “salvador”. De fato, somente Jesus nos reconcilia com o Pai, pois Ele morreu na cruz para nos salvar. Os santos, por sua vez, não podem salvar ninguém; mesmo a Virgem Maria necessita da salvação de Cristo. Os santos podem, porém, ser mediadores das graças divinas, pois são membros do Corpo de Cristo.

  • CLEBER AMORIM disse:

    Caro Idelcílio,como leigo que sou vejo que não desceu do céu nenhuma gota de sangue ou pedaço de carne,então consigo concluir que o mesmo sangue que nos salvou é o mesmo sangue de maria mãe de Deus,mulher cheia de graça que merece toda honra e toda glória.
    LC 1 46-48″E Maria disse: Minha alma glorifica ao senhor,meu espirito exulta de alegria em Deus, meu salvador,porque olhou para sua pobre serva.por isso desde agora,me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” Ops a mais de 2000 anos mil anos a promessa vem sendo cumprida obs: Honrar e Amar não é idolatrar e nem trocar o filho pela mãe. Grande Abraço !!!

  • EVILÁSIO AGUIAR disse:

    O Artigo é histórico, esclarecedor, mas deixa a desejar. O Concílio de Éfeso, em 431 d.C., foi convocado para, entre outras, rebater algumas heresias, dentre elas a citada, bem como a dos Arianos que, assim como as “Testemunhas de Jeová”, negam a DIVINDADE DE JESUS CRISTO. Assim, a alcunha “MÃE DE DEUS”, não tinha o condão de exaltar Maria, mas a Jesus, ratificando sua pré-existência e divindade. O Foco da afirmação histórica daquele concílio é Cristo e não Maria. Não resta dúvida que Maria é Mãe de Deus, porém como tenha existindo antes de Deus, mas porque Deus humanizou-se, tomou a forma humana através dela. Como Deus, Jesus é o Verbo, o Logos, e existia antes de Maria existir, na forma divina, como afirma Paulo em Filipenses 2. 6-11. Quanto a expressão “bem-aventurada”, significa “Feliz” ou “Abençoada”. Ela, Maria, é e será, inegavelmente, feliz e reconhecidamente abençoada para sempre. Contudo, o retrocitado não deve ser motivo para se quebrar o 1º Mandamento do Decálogo, o que trata da idolatria. Corroborando com o dito, o próprio Senhor Jesus, filho de Maria, disse: “Enquanto ele assim falava, uma mulher levantou a voz do meio do povo e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe, e os peitos que te amamentaram (Maria)! Mas Jesus replicou: ANTES bem-aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus e a observam!”. São Lucas 11:27-28

  • Lilian disse:

    Alguns evangélicos na escola de INRI CRISTO

    O que de fato incomoda grande parte dos evangélicos são as doutrinas católicas que defendem:

    1)A perpétua virgindade de Maria;
    2)Sua condição de Mãe de Deus;
    3)Seus privilégios como serva do Altíssimo Deus, especialmente sua atuação como intercessora.

    A fala comum que aproveita a todos pode ser observada no seguinte exemplo:

    Texto: “Maria, genitora de Cristo há dois mil anos, foi uma mulher pecadora igual às demais, sujeita às fraquezas e falhas inerentes aos seres humanos. Se ela fosse verdadeiramente mãe de DEUS como ensina a proscrita igreja romana em suas espúrias orações (Ave Maria – “santa Maria mãe de DEUS”), ela teria intimidade com o ALTÍSSIMO…”

    Nosso comentário:

    O texto afirma que Maria foi pecadora;
    O texto afirma que Maria não é mãe de Deus;
    O texto afirma que Maria não tem intimidade(prerrogativas) junto a Deus.

    Onde se encontra o texto ?

    O texto foi produzido por INRI CRISTO.

    E pode ser visto no endereço eletrônico: http://www.inricristo.org.br/index.php/pt/curiosidades/humanidade-precisa-saber/229-verdade-virgem-maria-cristo – Disponível na Internet em 18/03/2015

    E quem concorda com as palavras do INRI CRISTO ?

    Além do INRI CRISTO, estão contra Maria Malafaia da Bíblia da prosperidade. Macedo que prega a favor do aborto. Santiago que prega a heresia de Ário. RR Soares que prega a confissão positiva. Terra Nova que prega o perdão do homem a DEUS e a regressão ao útero materno.

    Estão ainda contra Maria, o pastor Marcos Pereira e o casal Hernandes cujas doutrinas dispensam comentários.

    Estão também contra Maria o Reverendo Moon que nega que a obra de Cristo tenha sido perfeita e que foi recebido com pompas na Assembleia de Deus.

    Também advogam contra Maria o pastor Pororoca, Neusa Itioka, Sarah Sheeva, Valadão com grito de leão, Valnice que previa a volta de Jesus em 2007 e a denominação que disse que João Paulo II era a besta do Apocalipse.

    A todos eles juntam-se Renato Vargens, Ciro Zibordi, Solano Portella e Abner Ferreira.

    E contra Maria também temos as denominações Bola de Neve, Florzinha de Jesus, a Igreja Jesus é Lindo e Cheiroso e tantas outras com nomes estranhos.

    Não há como errar.

    Se todos estão contra Maria, incluindo o INRI CRISTO, duas coisas podemos afirmar com total lucidez:

    .É errado dizer que eles estão certos
    .É certo dizer que eles estão errados

  • Lucia Mendes disse:

    “Há sessenta rainhas‚ oitenta concubinas‚ e inumeráveis jovens mulheres; uma porém‚ é a minha pomba‚ uma só a minha perfeita; ela é a única de sua mãe‚ a predileta daquela que a deu à luz. Ao vê-la‚ as donzelas proclmam-na bem aventurada‚ rainhas e concubinas a louvam. Quem é essa que surge como a aurora‚ bela como a lua‚ brilhante como o sol‚ temível como um exército em ordem de batalha?” (Cant 6‚ 8-10)

    Quem é esta mulher escolhida entre as prediletas?

    Quem é essa mulher que é a perfeita e proclamada bem aventurada entre as concubinas e rainhas?

    Quem será essa mulher que é mais bela que o luzeiro da noite e que brilha comparada ao sol?

    Quem será essa mulher que‚ além de bela como a lua‚ é temível como um exército preparado para um ataque?

  • Lilian disse:

    Já estamos preparando novo artigo para desmascarar mais um pastor e seu ódio contra a mãe de Jesus Cristo.

    Será: Desmascarando o trio Roberto Torrecilhas, Pororoca e INRI CRISTO.

    Grato pelo espaço.

  • Lilian disse:

    DESMASCARANDO O “BISPO” EVANGÉLICO ROBERTO TORRECILHAS E SEU PROTESTANTISMO DELIRANTE

    Segundo ensinou Matinho Lutero, pai do protestantismo, mentir contra a Igreja Católica ou contra o papado não tem nada demais.
    Martinho Lutero:

    “QUE MAL PODE HAVER SE UM HOMEM DIZ UMA BOA E GROSSA MENTIRA POR UMA CAUSA MERITÓRIA E PARA O BEM DA IGREJA (LUTERANA)?”
    “PARA ENGANAR E SUBVERTER O PAPADO JULGAMOS QUE TUDO NOS É LÍCITO.” (DE WETTE. I, 478).

    Infelizmente, alguns dos seus seguidores tem preservado a máxima de Lutero e assim dedicam parte de seu tempo a escrever textos e mais textos caluniosos contra a Igreja Católica, contra a Virgem Maria, contra o Papado e contra os santos.
    Outros menos capazes intelectualmente também produzem pérolas contra o catolicismos por ignorância ou por terem se tornado meros repetidores das doutrinas pregadas por terceiros.
    E ainda há outros que desejando superar seus mestres acabam produzindo artigos e observações ainda mais delirantes do que seus professores.

    No texto em questão, vamos destacar uma observação feita pelo auto escolhido bispo Roberto Torrecilhas que é chefe de uma das 220.000 denominações evangélicas e a qual também se proclama a verdadeira Igreja de Jesus Cristo sob o nome de MINISTÉRIO APOSTÓLICO GERAÇÃO GRAÇA E PAZ – MINISTÉRIO GERAÇÃO GRAÇA E PAZ.

    Não sabemos exatamente se o Bispo em questão erra por ignorância ou por vaidade.

    Mas o fato é que o texto publicado no site de Torrecilhas é uma vergonha do ponto de vista técnico/científico:

    VII. A VIRGEM MARIA

    A essência da adoração na Igreja Católica Romana gira não em torno do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas da pessoa da Virgem Maria. No decorrer dos séculos as mais diferentes e absurdas crendices têm sido criadas em torno da humilde mãe do Salvador.”

    O texto pode ser visto no endereço eletrônico – http://gritosdealerta.blogspot.com.br/p/desmascarando-o-catolicismo-romano-19.html

    Torrecilhas que não frequenta Missas, não estuda catolicismo e não é visto em catequeses ou em consultas com membros do clero católico, concluiu, segundo suas próprias palavras que:

    “A essência da adoração na Igreja Católica Romana gira em torno da pessoa da Virgem Maria.”

    Mas o que ensina a igreja Católica afinal ?

    Não é possível neste texto reproduzir toda colossal doutrina católica de 2.000 anos.
    Mas podemos relembrar ensinos básicos que ao que tudo indica o mundo conhece com exceção do Sr. Torrecilhas

    Catecismo da Igreja Católica

    A ADORAÇÃO
    2096. A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-Lo como tal, Criador e Salvador, Senhor e Dono de tudo quanto existe, Amor infinito e misericordioso. «Ao Senhor teu Deus adorarás, só a Ele prestarás culto» (Lc 4, 8) – diz Jesus, citando o Deuteronômio (Dt 6, 13).
    2097. Adorar a Deus é reconhecer, com respeito e submissão absoluta, o «nada da criatura», que só por Deus existe. Adorar a Deus é, como Maria no Magnificat, louvá-Lo, exaltá-Lo e humilhar-se, confessando com gratidão que Ele fez grandes coisas e que o seu Nome é santo (10). A adoração do Deus único liberta o homem de se fechar sobre si próprio, da escravidão do pecado e da idolatria do mundo.

    Comentário:

    O catecismo ensinado aos católicos recorda que Maria adorou a DEUS.

    E se Maria adorou a DEUS, é óbvio que não é ela a pessoa a ser adorada.

    Mas a ignorância de Torrecilhas não para por aí:

    Dogmas católicos:

    5 – A Santíssima Trindade

    No Deus Uno há três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Cada uma possui a imutável Essência Divina.

    Comentário: A Igreja não ensina que Maria é deusa.

    11 – Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do Sacrifício de sua morte na Cruz

    Jesus Cristo quis oferecer-se a Si mesmo a Deus Pai, como Sacrifício apresentado sobre a ara da Cruz em sua Morte, para obter-nos o perdão eterno.

    Comentário: A Igreja nunca ensinou que Maria salva.

    E se Maria não salva não pode ser DEUS.

    E se Maria não é DEUS não pode se adorada.

    41 – O Fim do mundo e a Segunda vinda de Cristo

    No fim do mundo, Cristo, rodeado de Majestade, virá de novo para julgar os homens.

    43 – O Juízo Universal

    O Cristo, Senhor e Salvador, depois de seu Retorno, julgará a todos os homens.

    Comentário: A Igreja não ensina que Maria irá retornar para julgar a humanidade.

    E se Maria não vai julgar a humanidade e se apenas DEUS é quem pode julgar, fica claro que Maria não pode ser DEUS.

    Tratado da Verdadeira Devoção da Santíssima Virgem
    14. Confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada, portanto, à Majestade infinita ela é menos que um átomo, é, antes, um nada, pois que só ele é “Aquele que é” (Ex 3, 14) e, por conseguinte, este grande Senhor, sempre independente e bastando-se a si mesmo, não tem nem teve jamais necessidade da Santíssima Virgem para a realização de suas vontades e a manifestação de sua glória. Basta-lhe querer para tudo fazer.

    Comentário: Muito fácil de entender que DEUS é o criador que pode todas as coisas e que Maria é pura criatura.

    O item 61 do mesmo tratado ainda diz:

    61. Primeira verdade. – Jesus Cristo, nosso salvador, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, deve ser o fim último de todas as nossas devoções; de outro modo, elas serão falsas e enganosas. Jesus Cristo é o Alfa e Omega, o princípio e o fim de todas as coisas.

    Precisa comentar ?

    Custa crer que Roberto Torrecilhas não tenha entendido.

    Portanto, se alguém quiser saber sobre catolicismo, estamos obrigados a reconhecer que menos ruim do que ir a Roberto Torrecilhas é consultar RR Soares, Edir Macedo, Malafaia ou Santiago.
    Mas se você quiser realmente conhecer a verdade, melhor mesmo é consultar a Igreja Católica, coluna e sustentáculo da verdade 1 Timóteo, 3, 15

    E respondendo ainda a máxima de Lutero “QUE MAL PODE HAVER SE UM HOMEM DIZ UMA BOA E GROSSA MENTIRA POR UMA CAUSA MERITÓRIA E PARA O BEM DA IGREJA (LUTERANA)?”
    “PARA ENGANAR E SUBVERTER O PAPADO JULGAMOS QUE TUDO NOS É LÍCITO.” (DE WETTE. I, 478).

    Resposta:
    “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. Mas, porque vos digo a verdade, não me credes.” João 8:44,45

    Autor: Anderson Dantas – Autorizada a divulgação mencionando-se o autor com a menção do nome

  • Dani Acioli disse:

    DESCONSTRUINDO A DOUTRINA FATIADA DE ROBERTO TORRECILHAS

    Tendo por objetivo atacar a doutrina católica no clássico estilo dos pastores televisivos, o Sr.Roberto Torrecilhas expôs em seu site particular denominado “Gritos de alerta”, texto que entre inúmeras distorções afirma fora de contexto o seguinte:

    “7.3.3. Maria Não Exerce Mediação a Favor do Pecador

    “Porque há um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1 Tm 2.5).”

    O texto ainda está disponível em 07/01/2015 – http://gritosdealerta.blogspot.com.br/p/desmascarando-o-catolicismo-romano-19.html

    O texto evidentemente pretende sugerir que no catolicismo romano se ensina que existem outros mediadores além de Jesus Cristo.

    A Virgem Maria é sempre um dos alvos preferidos.

    E a rotina evangélica como todos sabem é produzir apontamentos aqui e acolá, contra e a favor, na melhor das hipóteses com algumas meias verdades .

    Primeiro de tudo é que o texto sobre mediação não pode ser entendido fora do seu contexto.

    Parece claro que a mediação ali descrita refere-se a redenção do gênero humano.

    O texto não está tratando de intercessões para obtenção de graças ou favores do Altíssimo DEUS.

    O ensinamento é exatamente este: Cristo é mediador porque morreu por todos. Ou seja, Cristo e tão somente Cristo tem poder para resgatar o homem.

    Por isto mesmo podemos ler um outro texto que foi omitido propositalmente pelo autor:

    “Por essa razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança.” Hebreus 9:15

    Nota-se de forma clara: “..visto que ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança….”

    O texto evangélico teve por escopo distorcer a mediação única de Jesus Cristo para condenar a doutrina católica da intercessão dos santos.

    E neste sentido, foi possível perceber que o Sr.Roberto Torrecilhas cometeu quatro erros fundamentais.

    Os dois primeiros possivelmente como estratégia para confundir o leitor, se não vejamos:

    O primeiro “engano” foi justamente distorcer o texto. Se ninguém pode interceder por ninguém, então porque Roberto Torrecilhas ora por seus súditos e por que pede oração a eles ?

    Por que não vão todos a Jesus Cristo, segundo ele, único mediador para se pedir qualquer coisa ?

    O segundo erro de Torrecilhas foi omitir o texto de Hebreus 9:15 que em conjunto com o texto que citou, 1 Timóteo 2:5 não deixa qualquer dúvida de que a mediação ali descrita refere-se a redenção do gênero humano que só pode ser alcançada por Cristo Jesus.

    E para não deixar rastros e induzir o leitor ao erro, Torrecilhas só citou o versículo 5 de 1 Timóteo 2. Ele omitiu o versículo 6 que diz: “..O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo.”

    Mas nem tudo em Torrecilhas é proposital. Ele também comete erros por completa ignorância.

    Torrecilhas desconhece o que ensina a Igreja Católica sobre a mediação única de Jesus Cristo:

    Catecismo da Igreja Católica 432: O nome de Jesus significa que o próprio nome de Deus está presente na pessoa do seu Filho, feito homem para a redenção universal e definitiva dos pecados. Ele é o único nome divino que traz a salvação e pode desde agora ser invocado por todos, pois a todos os homens Se uniu pela Encarnação, de tal modo que não existe debaixo do céu outro nome, dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos» (Act 4, l2) .
    Catecismo da Igreja Católica 480: Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, na unidade da sua Pessoa divina; por essa razão, Ele é o único mediador entre Deus e os homens.
    Também por ignorância, Roberto Torrecilhas não entende os ensinos de outros dois textos que ele próprio citou:
    Ainda no item 7.3.3

    “………………………………………………………………………………………….

    Se, todavia, alguém pecar, temos um Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo” (1 Jo 2.1).”

    E depois:

    “7.3.4. Só Cristo Intercede pelo Pecador

    “Por isso também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hb 7.25).

    Ora, os dois textos citados por Torrecilhas dizem o óbvio que é Jesus Cristo quem salva do pecado.
    Os textos não ensinam que não se pode ter outros intercessores para se pedir um emprego ou a cura de uma doença.
    Os dois textos deixam clara a mediação única de Jesus Cristo para salvar o homem do pecado.
    Torrecilhas não entendeu nada.
    Sua “interpretação” bíblica é um desastre.

    E nem poderia ser diferente, pois está escrito:
    “Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.” 2 Pedro 1, 20

    Roberto Torrecilhas “interpretou” quando estava proibido de faze-lo.
    E repudiou a Igreja, quando estava obrigado a ouvi-la:
    “Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.” 1 Timóteo 3, 15

    E aqueles que rejeitam a Igreja não devem se esquecer:
    “Quem vos ouve a vós, a mim me ouve; e quem vos rejeita a vós, a mim me rejeita; e quem a mim me rejeita, rejeita aquele que me enviou.” Lucas 10, 16

    Autor: A.Silva com a colaboração de Dani Acioli – Livre divulgação mencionando-se o autor

  • Willian disse:

    CARO IDELCILIO: MARIA MAE DE DEUS PRA FICAR MAIS CLARO NAO QUER DIZER QUE ELA È MAE DO DEUS PAI O DEUS REFERENTE QUE DIZER DO DEUS FILLHO POR QUE DO VERBO QUE È DEUS SE FEZ CARNE QUE FOI JESUS CRISTO VERDADEIRAMENTE DRUS E HOMEM

  • osny jose rodrigues da silva disse:

    Nossa, que briguinha mais tola. Por isso que muitos estão fugindo das igrejas e das religiões. William esta certo, em minha opinião. Quando oro dizendo “Santa Maria, Mãe de Deus…(esta explicito que é mãe de Jesus, menino Deus!!! Que por ela ele se fez carne”. Sempre tive essa dúvida mas um dia pesquisando percebi a colocação. A mim esta entendido, agora, que busca espiritualidade e fica procurando pecuinhas vai somente enxergar pecuinhas e se perder nelas.

  • Augusto Paiva disse:

    Embora Maria Santíssima foi também por Deus tornada PARTICIPANTE DA NATUREZA DIVINA, subtraindo-se à corrupção que a concupiscência gerou no mundo (2 Pe 1,4) por plena obediência a Deus, ela NÃO é endeusada pela Igreja Católica como falsamente dizem os hereges ANTIDICOMARIANITAS, pois a Igreja Católica condenou o Coliridianismo.

    Mas, pela força da União Hipostática, podemos sem escrúpulo chamar Maria de MÃE DE DEUS, pois de fato ela o é. Santa Isabel não poderia ser mais eloqüente com a exclamação ”Mãe do meu Senhor” (cf. Lc 1,43), pois foi o Espírito Santo, inerrante, quem a inspirou a dizer isto. Maria é de fato a MÃE DE DEUS, pois JESUS É DEUS! Na Bíblia, vemos que só o Senhor é Deus.

    Em Jesus Cristo habita CORPORALMENTE toda a plenitude da divindade (Cl 2,9), e como disse São Gregório de Nissa, “A plenitude da divindade que residia em Cristo, brilhou através de Maria, a imaculada”. Maria gestou o corpo divino de Cristo no seu ventre virginal (Is 7,14/ Mt 1,23/ Lc 1,31) e Jesus nasceu dessa mulher (cf. Gl 4,4). Maria alimentou com o seu seio essa corpórea plenitude divina.

    Portanto, Maria não é somente a mãe da natureza humana de Cristo (HERESIA NESTORIANA), pois tal heresia implica que Jesus deixou de ser Deus, sendo, pois, que a sua natureza humana e divina são INDIVISÍVEIS! Mas tem crentelho que nega a maternidade de Maria usando a embriologia. É uma blasfêmia chamá-la de mulher qualquer, quando todas as gerações chamam-na de bem-aventurada (Lc 1,48)!

    Em suma, é isso: A Virgem Maria é a MÃE DE DEUS, pois Jesus é Verdadeiro Homem e Verdadeiro Deus, isto é, Jesus é Aquele que É (Ex 3,14/ Jo 8,58) e que se fez Homem (Jo 1,14) pelo ventre de Maria Virgem (Is 7,14/ Mt 1,23/ Lc 1,31/ Gl 4,4). Como dizia o antigo responso da liturgia, Maria Santíssima é a vencedora de todas as heresias. Quanto ao que não crê nesse artigo de fé bimilenarmente ortodoxo e atestado nas Escrituras Sagradas, este faz-se um filho da serpente diabólica.

  • Augusto Paiva disse:

    O QUE DISSERAM OS HERESIARCAS PROTESTANTES SOBRE A BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA

    1 — ”É uma doce e piedosa crença esta que diz que a alma de Maria não possuía pecado original; esta de que, quando ela recebeu sua alma, ela também foi purificada do pecado original e adornada com os dons de Deus, recebendo de Deus uma alma pura. Assim, desde o primeiro momento de sua vida, ela estava livre de todo pecado.” (Lutero, Sermão sobre o Dia da Conceição da Mãe de Deus de 1527)

    2 — “Esta é a consolação e a transbordante bondade de Deus, que Maria seja sua verdadeira mãe, Cristo seu irmão, Deus seu Pai. Se acreditares assim, então estás de verdade no seio da Virgem Maria e és seu querido filho.” (Lutero, Kirchenpostille, ed. Weimar, 10.1, p. 546.) Lutero considerava Maria como Mãe de Deus.

    3 — “Por isso em uma palavra compendia-se toda a sua honra: quando se a chama mãe de Deus, ninguém pode dizer dela maior louvor. E é preciso meditar em nosso coração o que significa ser mãe de Deus.” (Lutero, Comentário ao Magnificat, de 1521, [FiM95], pg.1121. Sermão, 1522:WA 7,572)

    4 — “Virgem antes, no, e depois do parto, que está grávida e dá à luz. Este artigo (da fé) é milagre divino.” (Lutero, já no fim de sua vida: [FiM95], pg.1122 Sermão Natal 1540: WA 49,182)

    5 — “Ele, Cristo, nosso Salvador, era o fruto real e natural do ventre virginal de Maria. Isto aconteceu sem a participação de qualquer homem e ela permaneceu virgem mesmo depois disso.” (Lutero, “Sermões sobre João”, cap. 1 a 4, 1537-39 dC)

    6 — “Creio firmemente que Maria, conforme as palavras do Evangelho que afirmam que de uma Virgem nos nasceria o Filho de Deus, permaneceu sempre pura e intacta. Virgem durante e depois do nascimento de seu Filho.” (Ulrich Zwinglio, citado em “Corpus Reformatorum” v.1, p.424)

    7 — “Ninguém nunca se esqueça de invocar a Virgem e os santos pois eles podem interceder por nós.” (Lutero, Prep. ad mortem)

    8 — “Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.” (Lutero, Comentário ao Magnificat)

    9 — “Não há honra, nem beatitude, que se aproxime sequer, por sua elevação, da incomparável prerrogativa, superior a todas as outras, de ser a única pessoa humana que teve um Filho em comum com o Pai Celeste.” (Lutero, Deutsche Schriften, 14, 250)

    10 — “Maria é a maior e a mais nobre jóia da Cristandade logo após Cristo. Ela é nobre, sábia e santamente personificada. Jamais conseguiremos honrá-la suficientemente.” (Lutero, Sermão do Natal de 1531)

    11 — “Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.” (Calvino, Comm. Sur l’Harm. Evang., 20)

    12 — “Maria é digna de suprema honra na maior medida.” (art. IX da Apologia da Confissão de fé de Augsburg, documento muito importante do Luteranismo)

    13 — “Somente Deus pode permitir que Maria se dirija ao mundo, através de aparições. Cristãos Evangélicos da Alemanha, deveremos talvez continuar a opor-lhes recusa e indiferença? Temos o direito de examinar tais fatos. Seria o cúmulo da tolice ignorarmos a voz de Deus que fala ao mundo, pela mediação de Maria, e dar-lhe as costas, unicamente, porque Ele faz ouvir sua voz através da Igreja Católica. No seu Magnificat, Maria declara que todas as gerações a proclamarão bem-aventurada até o fim dos tempos. Todos nós verificamos que esta profecia se cumpre na Igreja Católica e, nestes tempos dolorosos, com intensidade sem precedentes. Na Igreja Evangélica, tal profecia caiu em tão grande esquecimento que dificilmente se encontra algum vestígio da mesma.” (excerto do “Manifesto de Dresden” (Maio/1982) Teólogos Luteranos Alemães)

    14 — “O Filho de Deus fez-se homem, de modo a ser concebido do Espírito Santo sem o auxílio de varão e a nascer de Maria pura, santa e sempre virgem. (Martinho Lutero, “Artigos da Doutrina Cristã”)

    15 — “Creio que [Jesus] foi feito homem, unindo a natureza humana à divina em uma só pessoa; sendo concebido pela obra singular do Espírito Santo, nascido da abençoada Virgem Maria que, tanto antes como depois de dá-lo à luz, continuou virgem pura e imaculada.” (John Wesley, fundador da Igreja Metodista, em carta dirigida a um católico em 18.07.1749)

    16 — “Cremos que o corpo puríssimo da Virgem Maria, Mãe de Deus é templo do Espírito Santo… foi levado pelos anjos ao céu”. (Heinrich Bullinger)

    17 — “Quanto mais crescem a honra e o amor de Cristo entre os homens, tanto mais crescem também a estima e a honra de Maria, que gerou para nós um tão grande e propício Senhor e Redentor.” (Ulrich Zwinglio)

    18 — “Maria faz parte do Evangelho… É apresentada como aquela que ouviu de maneira exemplar a palavra de Deus, como a serva do Senhor que diz Sim à palavra de Deus, como a cheia de graça que por si mesma nada é, mas que é tudo por bondade de Deus. É, com efeito, o modelo original dos homens que se abrem a Deus e se deixam enriquecer por Ele, o modelo original da comunidade dos fiéis, da Igreja… ‘Concebido por obra do Espírito Santo, nascido da Virgem Maria’: é uma verdade que confessamos de Jesus; conseqüentemente, confessamos também que Maria é a Mãe de Nosso Senhor.” (Evangelischer Erwachsenenkatechismus, sob a direção de W. Jehtsh, Gütersloh).

    19 — ”Nós não acreditamos simplesmente que Deus favoreceu a santa e abençoada Virgem mais do que todos os Patriarcas e os Profetas, mas também que Ele a exaltou acima de todos os Serafins. Os anjos só podem qualificar-se como servos do Filho de Deus, criaturas e mão de obra de suas mãos, mas a Virgem santa não é apenas a serva e criatura, mas também a mãe deste grande e vivo Deus.” (CHARLES DRELINCOURT (1595-1669), citado por Thurian, página 89)

    20 — ”Eu estimo imensamente a Mãe de Deus, a sempre casta, imaculada Virgem Maria.” (Ulrich Zwinglio)

    21 — ”Era justo que tal Filho santo tivesse uma Mãe santa.” (Ulrich Zwinglio)

    22 — “Proclamava uma tão grande dádiva de Deus, que não era lícito silenciá-la…Reconhecemos que este dom foi altamente honroso para Maria. De boa vontade, seguimo-la como mestra, e, obedecemos aos ensinamentos e preceitos da Virgem” ( Calvini Opera 45,38)(Obra de Calvino 45,38)

    23 — ”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [para Maria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.” (Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

    24 — “Deus não recebeu sua divindade de Maria; todavia, não segue que seja conseqüentemente errado afirmar que Deus foi carregado por Maria, que Deus é filho de Maria, e que Maria é a Mãe de Deus. Ela é a Mãe verdadeira de Deus, a portadora de Deus. Maria amamentou o próprio Deus; ele foi embalado para dormir por ela, foi alimentado por ela, etc. Para o Deus e para o Homem, uma só pessoa, um só filho, um só Jesus, e não dois Cristos. Assim como o seu filho não são dois filhos… Mesmo que tenha duas naturezas.” (Martinho Lutero, “Nos Conselhos e na Igreja”, em 1539)

    25 — “A delicada mãe de Cristo sabe ensinar melhor do que ninguém – pelo exemplo de sua prática – como devemos conhecer, louvar e amar a Deus”… (introdução ao Magnificat, ano 1522).

    26 — “Maria é a Mãe de Jesus e a Mãe de todos nós, embora fosse só Cristo quem repousou no colo dela… Se ele é nosso, deveríamos estar na situação dele; lá onde ele está, nós também devemos estar e tudo aquilo que ele tem deveria ser nosso. Portanto, a mãe dele também é nossa mãe..” (Martinho Lutero)

    27 — “Certas pessoas têm desejado sugerir desta passagem [Mt 1,25] que a Virgem Maria teve outros filhos além do Filho de Deus, e que José teve relacionamento íntimo com ela depois. Mas que estupidez! O escritor do evangelho não desejava registrar o que poderia acontecer mais tarde; ele simplesmente queria deixar bem clara a obediência de José e também desejava mostrar que José tinha sido bom e verdadeiramente acreditava que Deus enviara seu anjo a Maria. Portanto, ele jamais teve relações com Maria, mas somente compartilhou de sua companhia… Além disso, nosso Senhor Jesus Cristo é chamado o primogênito. Isto não é porque teria que haver um segundo ou terceiro [filho], mas porque o escritor do Evangelho está se referindo à precedência. Assim, a Escritura está falando sobre a titularidade do primogênito e não sobre a questão de ter havido qualquer segundo [filho].” (João Calvino, “Sermão sobre Mateus”, publicado em 1562).

    28 — Ao referir-se a Mt 1,25, observa: “Destas palavras não se pode concluir que, após o parto, Maria tenha tido consórcio conjugal. Não se deve crer nem dizer isto” (Obras de Lutero, edição Weimar, tomo 11, pg. 323). Por isto Lutero se insurgia contra aqueles que lhe atribuíam a doutrina de que “Maria, a Mãe de Deus, não tenha sido virgem antes e depois do parto, mas tenha gerado Cristo e outros filhos com contato com José” (Weimar, tomo 11, pg. 314). Os irmãos de Jesus, mencionados no Evangelho, são parentes do Senhor (Weimar, tomo 46, pg. 723); Tischreden 5, nº 5839). O reformador prometia 100 moedas de ouro a quem lhe provasse que a palavra ‘almah em Is 7,14 não significa virgem (Weimar, tomo 53, pg. 640 ). A respeito das virtudes de Maria, dizia: “A bem-aventurada Virgem via Deus em tudo; não se apegava a criatura alguma; tudo, Ela o referia a Deus… Por isto é puríssima adoradora de Deus, Ela que exaltou Deus acima de todas as coisas” ( Weimar, tomo 1, pg.60s ). No fim de sua vida, aos 17/01/1546, Lutero exclamou um sermão muito agitado: “Não se deve adorar somente o Cristo? Mas não se deve honrar também a Santa Mãe de Deus? Esta é a mulher que esmagou a cabeça da serpente. Ouve-nos, pois o Filho te honra; Ele nada te nega. Bernardo foi longe demais ao comentar o Evangelho… Só a respeito de Cristo está dito: ‘Ouvi-o’ e: ‘Eis o Cordeiro de Deus’… Isto não foi dito a propósito de Maria, nem dos anjos, nem de Gabriel” ( Weimar, tomo 51, pg. 128s). Vê-se que até os últimos dias Lutero guardou certa devoção à Mãe de Deus… Que ele invocou no seu comentário ao Magnificat: “A mesma amantíssima Mãe de Deus queira obter a graça para mim, a fim de que possa expor o seu cântico com proveito e profundidade” (Weimar, tomo 7, pg. 545 ). Até o fim da vida, Lutero pregou em festas de Nossa Senhora: a da Purificação (2 de fevereiro) e a da Anunciação (25 de março) sempre lhe foram caras, ao passo que as da Assunção e da Natividade de Maria somente até certa fase de sua evolução religiosa.

    29 — “Cristo foi o único filho de Maria, e da Virgem Maria não teve filhos além Dele… Estou inclinado a concordar com aqueles que declaram que ‘irmãos’ significam realmente ‘primos’. A Sagrada Escritura e os judeus sempre chamaram os primos irmãos.” Lutero in Sermão, 1539.

    30 — “Uma nova mentira sobre mim está circulando. Dizem que eu preguei e escrevi que Maria, a Mãe de Deus, não era virgem antes ou depois do nascimento de Cristo, mas que ela concebeu Cristo através de José e teve mais filhos depois dEle.” (Lutero, Tha Jesus Christ Was Born a Jew[8], 1523)

    31— “(…)a infusão da alma (de Maria) é piedosamente acreditada como sem Pecado original. Tanto que, no momento da infusão da alma, o corpo foi simultaneamente purificado do Pecado original, e agraciado com Dons divinos para receber aquela alma santa infusa por Deus. Então, no seu primeiro momento de vida, ele [o corpo de Maria] estava livre de todo pecado.” (Lutero, Sermão On the Day of Conception of Mary, the Mother of God, dezembro de 1527)

  • Moacyr Cirilo disse:

    É incrível, se Maria é a Mãe de Deus, então Deus foi crucificado pelo poder de satanás? Jesus não precisava implora ao seu pai nas oração e implora ao seu pai na ressureição de Lázaro e na cruz ele exclamou dizendo pai porque me abandonaste, como Satanás confudem a mente das pessoas ate as autoridades da igreja…

  • Isaias rodrigues silva disse:

    Eu já li na bíblia onde fala que Maria pode ser chamada também de mãe de Deus sem nem um problema depende muito da interpretação do leitor . certa vez jesus disse: eu e o pai somos um só, ou seja ele é DEUS portanto Maria é mãe de deus.

  • Adorei este artigo estão de parabêns! e muito bom! Vou indicar este conteudo para os meus amigos

    Obrigada

  • Enaluisa disse:

    Santa. Maria. É. Ana. ?

  • Arthur Jorge Queiroz Motta disse:

    Acho que o termo correto na oração seria “Santa Maria, mãe do Menino-Deus”. Afinal, Jesus é filho de Deus e portanto Deus menino.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 4 =