Blog do Vozão

Um legado para as gerações – Parte I: Porangabuçu

670 8

Estádio Carlos de Alencar Pinto, em Porangabuçu (Foto: Cearasc.com/Divulgação)

Quem acompanha o site oficial e as mídias sociais do Vozão percebe claramente o quanto esse setor vem crescendo no Clube. Capitaneado pelo gerente de Comunicação, Bruno Reis, a equipe vem produzindo matérias interessantes, mostrando ao torcedor coisas além do “dentro de campo”.

Como aquilo que é bom e bonito precisa ser mostrado, o Blog do Vozão estará sempre trazendo para seus leitores alguns desses materiais produzidos pela equipe de comunicação do Vozão. Outro dia mostramos sobre o futebol feminino, dessa vez mostraremos um pouco sobre a estrutura na sede do Clube em Porangabuçu.

Confira abaixo.

Em seus 105 anos de existência, o Ceará Sporting Club tem se consolidado como um dos maiores clubes do futebol brasileiro. Nesse momento, um dos grandes focos da diretoria é focar em construir uma estrutura que ajude o Ceará a crescer ainda mais e enfrentar novos desafios.

Todo esse crescimento é feito de forma sensata e organizada. Confira a matéria no site oficial da Comunicação do Ceará Sporting Club sobre a situação financeira do clube:

Acompanhe o Vozão nas mídias sociais

Site Oficial do Clube: cearasc.com/

Twitter: twitter.com/CearaSC

Instagram: instagram.com/cearasc/

Facebook: facebook.com/CearaSC/

YuoTube: youtube.com/vozaotv

8 Comentários

  • Vovozão10 disse:

    Sei criticar, más também sei reconhecer. Diante do exposto no vídeo, venho de forma pública, parabenizar ao Presidente Robson de Castro pelas belíssimas instalações de Carlos de Alencar Pinto. Moderna, padrão europeu de qualidade e que interfere diretamente no futebol apresentado pelo atleta do Ceará dentro de campo. Parabéns Robson! Sem mais para o momento, fico por aqui. AVANCEMOS!!!

  • Bosco disse:

    Estou mandando esse video para amigos que torcem por times do sul para mostrar a eles que nossos clubes nordestinos são melhores do que muitos clubes do sul. Caminham para serem melhores do que muitos clubes cariocas e paulistas.

    Robinson de Castro procura sempre manter atualizado o protocolo que a FIFA orienta aos clubes de sempre na medida do possivel investir na estrutura. Não é obrigado, mas RC sabe que nenhum clube é de fato grande se não tiver um lastro estrutural que impressione seus jogadores dando a eles orgulho de dizer: Sou contratado por um clube grande de fato, e não por arremedo de time.

    WEIBER;
    Quero ver dpois uma matéria dessas, mas atualizada, sobre a Cidade Vozão de hoje. que está bem mais robusta, bonita, estruturada e equipada do que a original quando compramos anos atrás.

    Amigos compartilhem essa matéria nas redes sociais de voces. mostre a seus filhos e sobrinhos.

  • Oliveira disse:

    Isso é muito mais importante do que ficar contratando jogador pra cobrir todas as posições que a torcida pede. Ficar se baseando no que a torcida pede é fácil, conveniente e, de certo modo, blinda do dirigente das críticas, mas, ao mesmo tempo, impede o crescimento do clube.

    Um exemplo claro disso pra mim é quando o Robinson conta como o Jorginho saiu e o Lisca chegou. Ele disse que depois do jogo do Cruzeiro (Ceará 0x1 Cruzeiro – no ano passado) o Jorginho queria falar com ele para pedir as contas. Diz ele que, antes, foi falar com o Evandro (presidente querido pela galera). O Evandro ficou “louco” com a situação e orientou o RC a dissuadir o FRAQUÍSSIMO (COMO TÉCNICO) Jorginho de deixar o clube. No que o Robinson rechaçou de pronto e disse que ia aceitar na hora, disse mais, disse que ia trazer o Lisca. Aí o Evandro ficou mais “louco” ainda e disse que ele ia ser fuzilado de críticas (notem: a preocupação do Evandro – e não digo que seja má fé dele, é apenas o jeito dele de entender futebol – era blindar o RC de críticas, a preocupação dele era mais com o amigo que com o clube em si). O RC respondeu dizendo que o importante era o final (ou seja, o CSC ficar na série A e que se ele fizesse o que a galera queria naquela momento e desse errado ele ia ser fuzilado do mesmo jeito, logo, melhor que fosse fuzilado fazendo segundo suas convicções).

    Esse caso fático contado pelo RC (está em vários vídeos/entrevista dele no ano passado) mostra bem o motivo do clube está crescendo agora muito mais do que com o EL. Mais do que isso: o RC aprendeu a agir assim aos poucos, no começo ele era muito mais sensível ao torcedor do que hoje.

    O CSC hoje não tem de modo algum que gastar os tubos e ser “ousado” como muitos dizem ao contratar. Isso é a receita do fracasso no longo prazo. O CSC poderia, se fizesse essa política ousada que muitos dizem, até ir para uma libertadores. Não digo que seja impossível, pois com um elenco mais qualificado teríamos no mínimo uns 23 pontos (não é nada impossível, basta imaginar que o time tivesse vencido galo, santos e bahia em casa, seriam 7 pontinhos a mais e a história desses 3 jogos se desenhou de um jeito que eram totalmente vencíveis). Mas seria insustentável no longo prazo tal política, pois iria comer cada vez mais dinheiro, mais e mais e mais, no futebol o dinheiro é um saco sem fundo. Lembrando que jogador se contunde e se vc não tiver estrutura física e humana (profissionais que operarão a estrutura física) boa, vc terá jogadores contundidos por mais tempo e por mais vezes, o que acarretará mais ousadia (trazer jogador caro pra suprir os contundidos) e gerará uma bola de neve. O Cruzeiro vai pagar a conta de uma política ousada nos próximos anos. Podem escrever que eles passarão uns bons 2 ou 3 (quem sabe até mais) anos lascados (flertando com o z4 e quiçá até caindo) para pagar as contas dos últimos 2 anos. Se um Cruzeiro fica nessa situação… imagine o CSC. O Vitória hoje (lanterna da série B) é o produto de uma política “ousada” que muitos “zé doidins” por aqui falam. Estou ainda curioso para saber onde estão os que diziam que comprar o Leandro Cachaça foi um erro ou mesmo o Wescley. Dizer uma barbaridade dessas é o mesmo que dizer que trocar um carro 2014 por um 2019 zerado é um erro porque, com 3 dias de uso, o carro novo deu defeito e teve que passar 2 semanas na retífica por causa da demora para trazer uma peça nova. Entendam: esses jogadores são ATIVOS (PROPRIEDADES) do clube e estão sob contrato com o clube durante ANOS e não só até o final de 2019. EM 2020 e 2021 (talvez até mais) eles estarão aqui cedendo seu talento em prol do clube OU serão vendidos por somas bem mais altas do que a que foram comprados, gerando, além do ganho futebolístico, ganho financeiro.

    ALém disso, claramente uma estrutura MELHORA jogadores. O Fabinho é um exemplo visível disso. Era um volante MUITO discreto e hoje é o dono do meio campo do Ceará, defendendo, atacando e até se apresentando muito bem pelo lado direito para dar passes decisivos. O Valdo – defenestrado por muitos aqui – é outro exemplo. E, em alguma medida, Cachaça e Wescley também são exemplos. O primeiro já faz seus golzinhos e dá passes; o segundo já está voltando do estaleiro.

    O que falta, na verdade, pro futebol do Ceará engrenar de vez é a formação do time de transição (que numa entrevista nessa semana o RC já disse que irá montar). Esse time seria o espelho do time do Athletico PR que joga o estadual e teria justamente esse condão: começar o ano (dois primeiros meses) de modo a que o time principal pudesse fazer uma pre temporada REAL, de 2 meses só treinando o físico e o tático, sem jogos ou, se houver jogos, que sejam apenas amistosos), montado em sua maioria com jogadores abaixo dos 23 anos (mas nada impede que entre 5 e 7 jogadores tenham até 28 anos, com o intuito de tanto testar esses jogadores como, também, de dar um lastro de sustentação pros garotos terem como espelho e referência e também para sustentar o time em momentos difíceis). Esse time alternativo é MUITO MAIS IMPORTANTE do que qualquer “arrojo” em contratação. É num time desses que jogadores como Feijão e João Paulo deveriam ser integrados e a torcida, assim, ou não teria a raiva de ver essas pustemas no principal ou iria receber ambos já burilados, melhorados. Tenho certeza que um Renan Lodi não começou no Athletico sendo um jogador de 40 mi de euros, mas cometia erros infantis… o problema é que ele os cometia no time de transição e esse time é EXATAMENTE PRA ISSO, pro jogador errar e aprender, por isso ele disputa uma competição totalmente secundária NO PLANEJAMENTO DO CLUBE que é o estadual. Depois de aprender e melhorar lá, aí sim, o jogador evolui e vai pro time principal.

    É claro que a diretoria do CSC erra E MUITO. Mas está muito, mas muito longe, de comprometer o planejamento de futuro do clube com seus erros. Porque o planejamento tem mais acertos que erros. O elenco do CSC é TOTALMENTE COMPATÍVEL com O GRANDE OBJETIVO DO ANO (ficar na série A – e falo isso desde que começou o torneio). E mais: a maioria esmagadora do plantel do CSC é ATIVO do clube por anos, ou seja, o elenco não irá ser desmanchado no final desse ano a menos que o CSC seja recompensado com a cláusula penal… o que deixaria os cofres abarrotados.

    • NILTON CESAR disse:

      Caro Oliveira,

      Que opinião fantástica a sua, PARABÉNS, dessa forma precisamos ver o clube através de outro paradigma que por sinal bem mais otimista e promissor para o futuro do clube. Assim, vamos parar um pouco às críticas ao RC, treinador e apoiar muito mais a instituição O MAIS QUERIDO CEARÁ. Bastou, um pouco mais de tempo para o treinador ajustar as peças e os contundidos e mal fisicamente voltarem a atuar. Se conseguirem implantar essa idéia de time de transição, no que sou 100% a favor temos CAP como exemplo, vai chover críticas da imprensa e alguns torcedores, mas precisamos dar sustentação ao clube nesse quesito. A partir de hj, creio que só critiquemos a diretoria para ajudar e abrir os olhos da mesma quando estiverem perdidos no que fazer, como foi esse ano em deixar o Lisca fazer o que quis e perdemos um TRICAMPEONATO que era bem fácil.

      SA

  • Netto disse:

    Como falou o nosso ex presidente Evandro Leitão,o nosso MAIS QUERIDO DO ESTADO DO CEARÁ antes era uma bodega,hj somos um supermercado. Parabéns à todos os pq fazem o Ceará SPORTING CLUB.

  • Humberto disse:

    Weiber, agradecemos pelo post. Demonstração que o trabalho está sendo bem feito..tanto dentro como fora de campo.
    Pedimos lotação máxima no jogo de amanhã. Esperamos no mínimo 45 mil de público. cChegaremos aos 20 pontos e ficaremos a 2 ou 3 pontinhos do G6.
    No mais, é manter o trabalho e provar aos incrédulos que somos sim o maior Clube do nordeste!!! PRA CIMA DELES!!

  • Junior Mota disse:

    Belíssimo comentário Oliveira.

  • Clodoaldo disse:

    Não resta dúvida, o grande gestor financeiro que é o R. de C. Nunca questionei isso. O que questionei e questiono é o marketing e o futebol que se andassem com a mesma evolução das áreas citadas estávamos bem além. Porque não? Somos a quinta capital do país! Temos torcida, tradição, história e mercado! Porque não disputar libertadores? Ganhar títulos como a sul-americana?

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *