Futebol do Povo

Ceará 1×0 Sport: objetivo e mais organizado na defesa, time venceu a primeira na Série A

2165 10

Depois de 16 jogos sem vencer – 12 na Série A – o Ceará conquistou o primeiro triunfo no Brasileirão 2018. Com uma postura defensiva organizada, quatro zagueiros e três volantes, e com as linhas de marcação mais próximas, a equipe venceu o Sport 1 a 0, gol do mais talentoso atleta do elenco: Arthur. A partida, no PV, contou com 14.558 pagantes, bom público.

Sem fazer questão de ficar com a bola, o Alvinegro, que terminou com 40% de posse, permitia ao Sport avançar com tranquilidade até a intermediária, quando a pressão era feita para as saídas nos contra-ataques. No primeiro tempo o objetivo funcionou taticamente, mas esbarrou na péssima atuação de seus homens de frente, especialmente Éder Luis, que até agora não justificou a sua contratação e tomou muitas decisões erradas em campo. Reina também manteve a média de pouca produção criativa, o que prejudicou a transição.

No segundo tempo Lisca corrigiu seu equivoco e sacou Éder Luis para a entrada de Arthur. Antes dos 10 minutos o atacante já tinha aberto o placar em cabeçada difícil de dentro da área, cruzamento de Felipe Azevedo. A partir daí o Ceará recuou ainda mais, não mantinha a bola, além de não conseguir sair em velocidade.

Quando a defesa não conseguia cortar, Everson dava conta do recado e fez pelo menos três intervenções fundamentais. Nos 15 minutos finais, Lisca colocou cinco defensores e manteve os três volantes. O time já não mostrava a mesma intensidade, correu riscos, mas manteve a vitória sobre uma equipe que entrou em campo com 14 pontos a mais do que o Alvinegro.

Na segunda-feira que vem o adversário é o Inter, no Beira-Rio.

Recomendado para você

10 Comentários

  • Torcedor disse:

    Chola kurral…

  • magnus almeida disse:

    Graziane…a sua visão me deixa tranquilo. algumas vezes não concordo com seu ponto de vista mas, vc é um grande analista, a despeito de um dia vc me bloquear por não concordar com os seus gostos…RSS. Tem todo o meu respeito. Um grande abraço e muito sucesso na sua vida.

  • magnus almeida disse:

    Graziane, vc me deixa muito tranquilo quando leio a sua opinião. A despeito de vc me bloquear uma vez no twitter quando discordei dos seus gostos, vc ainda é a minha referência quando vou opinar sobre qlqr coisa de futebol. Grande abraço e muito sucesso. Magnus

    Voltei esses dias pro Twitter. Estava faz mais de um ano fora. Conta nova, começando do zero. @fgraziani
    Abraço e valeu
    FG

  • Antônio disse:

    Grazziani o Lisca pode entrar com o garoto da BASE na lateral direita, promissor jogador, deixar o Arthur na frente e arranjar um camisa 10. Para se pensar em permanecer na A.

  • Roysson disse:

    “O ataque do Ceará é fraquíssimo”, dizia um locutor de Recife. Acho que a maioria de nós concorda.

    O maior valor dessa vitória é a saída do peso de ainda não ter vencido. No entanto, fica claro que 40% de posse de bola jogando em casa, um esquema cheio de defensores e vendo os melhores momentos no YT, onde o Sport chegou perto de um empate, que a missão de estar na 16ª posição no fim da temporada é um sonho distante, mesmo após um mês parado para ajustes e recuperação de contundidos

    • Oliveira disse:

      A frança ganhou a maioria dos jogos dela na copa com posse de bola entre 30 e 40%, principalmente no mata-mata. Contra a Argentina teve 31% de posse contra 69% da Argentina. O Barcelona perdeu nesses últimos anos na champions league 2 vezes em mata mata para o Atlético de Madrid, o time de Lionel Messi sempre com 60 e poucos % de posse de bola, nos dois jogos, mesmo jogando na casa do Atlético de Madri. Ano passado o Corínthians não fazia questão de ter posse de bola igualmente. Não ter a bola pode fazer parte da estratégia do time e não denotar a sua “ruindade”. Quando o Ceará perdeu para o Vitória neste mesmo campeonato brasileiro teve mais posse de bola, mesmo jogando no Barradão… e não é por ter sido melhor que o Vitória, mas por fazer parte da estratégia do rubro-negro baiano jogar no contra-golpe. E foi o que o time do Lisca fez ontem: deu a bola para o Sport sair e dar espaços, ao recuperar o Ceará buscou chega rápido no campo do rival, aproveitando os espaços deixados pois o time pernambucano estava adiantado em campo. E deu certo. Claro que o setor ofensivo do Ceará é péssimo para uma série A, pra mim não se salva ninguém (nem este Arthur que não me agrada), mas ter a posse de bola maior que o rival não significa nada.

  • Leandro Gonçalves disse:

    Tivemos partidas que jogamos bem e levamos fumo.Ontem foi uma partida horrível. Sofrível. Ataque mal agrediu e um meio campo altamente improdutivo. Quanto é que o Reina tá pagando aos diretores para ser escalado?

    Enfim…Foi a vitória da raça,para dar confiança ao grupo. No fim das contas,isso serve ! Mas não me iludo. Não tem como acreditar em permanência jogando 90% do tempo dentro do gol…

  • carlos disse:

    Pelo esforço valeu, mas ainda não dá para confiar, com excessão do goleiro e do Arthur, o resto não dá para confiar.

  • Marcelino disse:

    O elenco do Ceará, mesmo depois das novas contratações, ainda não mostrou a qualidade mínima que se espera para um time de primeira divisão. O jogo ainda é feio, tecnicamente pobre e taticamente sofrível. No segundo tempo o Lisca realmente melhorou taticamente o time com as mexidas, mas longe de mostrar qualidade para um time de Série A.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *