Radar do Comércio

Como deve ser a rotina de gestantes e bebês na pandemia

Gestante segurando coração de papel em frente à própria barriga; gestantes e bebês enfrentam desafios nesta pandemia

Pré-natais continuam como direito das mulheres gestantes e não podem ser suspensos (Foto: Bruna por Pixabay)

Os cuidados como pré-natal, amamentação, canais de parto e pós-parto são orientados pela enfermeira instrutora do Senac 

Idosos e pessoas com doenças crônicas, consideradas do grupo de risco, foram prioridades no alerta às autoridades e pessoas no mundo todo sobre os cuidados em tempos de pandemia, certo? A necessidade de atenção para esses grupos, que são considerados vulneráveis para o contágio da Covid-19, permanece. Esses cuidados são os mesmos relacionados à higiene regular das mãos, objetos, isolamento, uso de EPIs, dentre outros considerados padrão pelo Ministério da Saúde. Mas, e as gestantes, e mamães que deram a luz recentemente, estão se cuidando?

As últimas atualizações da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), referentes ao Coronavírus, trazem algumas orientações importantes para as gestantes. Com base nas instruções da entidade, a instrutora e enfermeira do Senac Ceará, Renata Nobre, destaca dicas fundamentais para mulheres em período de gestação e aquelas que estão amamentando.

Ela salienta que “essas mulheres não são classificadas como pessoas de alto risco, apesar de estarem na classe dos imuno-suprimidos. Apesar do período da gravidez deixar as gestantes mais suscetíveis à infecções e a riscos de complicações das mesmas, elas entram em um grupo relativo de risco. Como ela está gestando outra vida, pode ter um quadro de imunidade um pouco mais vulnerável do que uma mulher que não está gestando, ou seja, qualquer infecção adquirida tende se agravar com facilidade”, informa a enfermeira.

Conforme as orientações da Febrasgo, os pré-natais continuam como direito de uma gestante. “Não podem ser suspensos. E nesse período de quarentena, o ideal é que as gestantes mantenham contato com seus médicos por telefone ou redes sociais, para agendar suas consultas, de acordo com suas necessidades, pedindo orientações de possíveis exames a serem feitos, bem como a ida aos laboratórios. Tudo isso evitando o deslocamento para clínicas e hospitais. Se possível comparecer sozinhas aos pré-natais, e no caso de ir com um acompanhante, que não seja idoso maior de 60 anos ou menores de idade”, pontua Renata.

Que tipo de parto escolher também é um ponto importante abordado pela técnica do Senac, e que necessita de esclarecimento voltados para esse público. Dúvidas como antecipação do parto, parto cesário para evitar um contágio vertical – quando há o contágio do bebe no canal de parto – são destacadas pela profissional de enfermagem. “Não há necessidade dessas medidas se a gestante não está infectada. Não há indícios, nem estudos ou comprovações cientificas que o vírus esteja presente no sangue placentário, no líquido amniótico, no sangue do cordão umbilical ou no canal de parto”, esclarece Nobre.

É orientado também:

– Evitar o pânico

– Esperar o tempo de nascimento do bebe concluindo as semanas gestacionais

– Manter um plano alimentar recomendado pelo médico (acrescentando suplementação como de polivitamínicos e vitamina D indicados pelo obstetra)

– Evitar estresse emocional

– Cuidar de saúde mental evitando quadro de depressão

– Manter o isolamento social no pós-parto (ficando apenas com o bebê e a família que está no mesmo isolamento. Evitar visitas de familiares, principalmente avós.

– Durante a amamentação: mantendo as práticas de boa higienização das mãos e mama, não há nenhum risco de contágio para o bebe se a mãe não tiver infectada. Até o momento, não há estudos que comprovem a existência de risco nesse aspecto. Contudo, não é indicado que gestantes que estejam com o vírus se aproximem do recém-nascido para amamentar.

Em quarentena? Dicas de cursos gratuitos para fazer sem sair de casa

Em tempos de pandemia do Covid-19, causada pelo novo Coronavírus, a regra é clara: fique em casa, se possível. Como muitos estudantes tiveram as aulas presenciais suspensas e o trabalho em muitas empresas passou a ser em regime de home office, os horários para fazer atividades em casa aumentaram. Para não cair no ócio nessa nova rotina, que tal aproveitar esse tempo e expandir seus conhecimentos?

Pensando nisso, o Senac EaD disponibiliza diversos cursos totalmente gratuitos e com certificação nacional através das plataformas online. No catálogo, estão cursos de extensão universitária nas áreas de Educação, Gestão e Saúde, além de cursos livres de Finanças, Gastronomia, Moda e muitos outros conteúdos online. O acesso às inscrições e aulas podem ser feitas no site https://www.ead.senac.br/.

Cursos Gratuitos Senac EaD

Para os professores que precisam se atualizar e se aproximar dos alunos, por exemplo, a lista conta com opções de conteúdo para ajudar na produtividade com os cursos “Docência e mediação pedagógica online”, “Elaboração de materiais didáticos com recursos tecnológicos” e “Produção de Conteúdos para EAD”.

Já que o momento exige, mais do que nunca, organização e equilíbrio financeiro, o Senac EaD oferta o curso de “Finanças Pessoais – planejamento e controle” com carga horária de 20 horas para ensinar a importância desta prática e, além disso, desenvolver estratégias para a aquisição de bens e aplicações. Além desse, na área de cursos livres, as oportunidades vão desde “Aproveitamento Integral de Alimentos” a “Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais”, entre outros.

Confira a lista completa

Serviço
Cursos gratuitos Senac EaD

Inscrições: www.ead.senac.br

Recomendado para você