Radar do Comércio

Harmonização de vinhos torna experiência gastronômica ainda mais saborosa

Mayú: uma mão segura um garfo com um pedaço de peixe em um prato de cor escura. Ao lado, há uma taça com vinho branco.

Chef Ivan Prado, gestor do Restaurante Mayú, indica unir sabores e composições de alimentos aos aromas e características dos vinhos (Foto: Davi Pinheiro)

Para tornar a experiência gastronômica ainda mais saborosa, a dica do Chef Ivan Prado, gestor do restaurante Mayú, é unir sabores e composições de alimentos aos aromas e características dos vinhos. Isso é possível a partir da harmonização, que explora a diversidade em safras, produtores, temperaturas e cepas dos vinhos, assim como ingredientes, tempero, frescor e forma de preparo da comida.

Com menus temáticos que passeiam pela culinária internacional a cada semana, durante o almoço, e um menu degustação de alta gastronomia no jantar, o restaurante Mayú apresenta também uma carta de vinhos e drinks que possibilita complementar as escolhas dos pratos. Seja na entrada, prato principal e sobremesa ou nas oito etapas da degustação, a combinação ideal pode elevar o nível da experiência.

O sommelier e educador em vinhos, Zeh Lima Filho, explica mais sobre harmonização com vinhos presentes na carta do Mayú:

– O salmão, por exemplo, é um peixe que apresenta complexidades de sabores suficientes para uma variedade de dinâmicas em harmonização vinho-comida. Para o prato principal – salmão mi-cuit com purê de couve-flor com alho poró e molho de dill, da semana francesa no Mayú -, o sommelier indica “seguir a máxima clássica de casamento entre peixes e frutos do mar com vinhos brancos, ressaltando a delicadeza da proteína e utilizando a acidez presente na bebida para elevar e acentuar os sabores do prato”.

– Uma boa pedida, então, é o Louis Latour Chablis 2018, produtor tradicional da nobre região francesa que utiliza a uva Chardonnay como base. Se o objetivo é trazer ainda mais dinâmica à combinação, vinhos rosés podem ser o instrumento para isso, como o Provenance Rosé.

– Observe o ano de fabricação dos vinhos rosés, já que em sua maioria devem ser consumidos mais jovens e frescos.

– Quando se trata de carnes vermelhas sob uso intenso de cocção e especiarias como o Steak au Poivre com batata à moda camponesa, um dos pratos principais da semana francesa, dificilmente foge-se do emparelhamento com tintos clássicos: tânicos e encorpados. “Há tantas complexidades de sabores em uma preparação como essa que é necessário o par em igualdade no vinho”, aponta Zeh Lima Filho.

– Rótulos sul-americanos, como o Septima Malbec 2018 ou o Marques de Casa Concha Carménère 2018, se igualam em força e poder, tornando a experiência gastronômica ainda mais completa e apreciável.

Mais informações no perfil do Instagram do Restaurante Mayú.

LEIA MAIS | Dicas de como aproveitar o Dia Mundial do Chocolate

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *